Carregando

Antibióticos para diverticulite: tudo que você precisa saber

Camarada, se tem algo que vai aparecer no seu plantão, faça chuva ou faça sol, é dor abdominal. Agora, se essa dor for em um idoso com cerca de 60–70 anos, de característica constante, localizada no quadrante inferior esquerdo com sinais de irritação peritoneal, aí você PRECISA pensar em diverticulite aguda. Mas até aí tá tranquilo, né? A pergunta que você tem que se fazer, então, é: como que eu vou tratar meu paciente? Internado ou ambulatorial? Cirurgia? Quais antibióticos para diverticulite são recomendados? Por quanto tempo?

Calma, vamos te responder tudinho. Vamos por partes!

Antes de tudo, preciso recomendar que você conheça nosso novo curso: o Papo de Antimicrobianos 3.0, fruto de uma parceria entre a Medway e o Papo de Clínica! Com ele, você vai dominar com maestria o tratamento de doenças infecciosas, elevando a qualidade do seu atendimento no hospital ou no ambulatório. Bora lá saber mais clicando AQUI.

Primeiro, vamos definir alguns conceitos!

A doença diverticular ou diverticulose é a presença de divertículos — protusões saculares da parede do cólon. 80% das pessoas com divertículos vão estar tranquilas e assintomáticas. Algumas, por volta de 5%, vão ter o quadro clínico que descrevemos ali em cima: a diverticulite, que nada mais é do que uma inflamação secundária a microperfurações de um divertículo. 

Agora, classificar! 

A diverticulite aguda poder ser classificada em complicada ou simples:

  1. Complicada: como o próprio nome já diz, se trata da diverticulite acompanhada por complicações: obstrução intestinal, abcesso, fístula ou perfuração intestinal.
  2. Simples: sem complicações associadas (fácil, né?)

Bora para o tratamento da diverticulite então!

Opera ou não opera? Na ausência de complicações, ou seja, na diverticulite aguda simples, o tratamento pode ser clínico, já na complicada além do tratamento clínico da inflamação pode ser necessário intervenção cirúrgica!

Interna ou não interna? Sem muito segredo: se for complicada o tratamento vai ser internado, sem dúvidas. Agora, na simples, vamos ver os critérios de internação:
  

Sepse
Imunossupressão
Febre > 39°C
Leucocitose significativa
Dor abdominal intensa/peritonite difusa
Idade > 70 anos
Comorbidades significativas
Intolerância a ingesta oral
Falha de tratamento ambulatorial
Critério social

Belezinha? Deu pra revisar um pouquinho? Agora bora para o que interessa: antibióticos para diverticulite aguda! 

Tratamento ambulatorial: 7 a 10 dias 

Primeiro a pergunta crucial: a função renal e hepática do meu paciente está legal (lembra amiguinho, diverticulite é infinitamente mais comum em idosos, e idosos tem mais comorbidades, tem que ficar esperto!)? Se a resposta for sim, vamos ver os esquemas padrão ouro:  

Também podem ser utilizados:

Se o paciente não apresenta melhora clínica nas primeiras 48h do início do uso de antibióticos para diverticulite, está indicada a internação hospitalar e o tratamento com:

  • Ciprofloxacino 400 mg IV  12/12h + Metronidazol 500 mg 8/8h
  • Ceftriaxona 2 g IV 24/24h + Metronidazol 500 mg 8/8h 

Tratamento hospitalar: 10 a 14 dias

Nessa modalidade de tratamento, iniciamos os antibióticos intravenosos e conforme resposta clínica (2 a 5 dias) fazemos a transição para completar o tratamento via oral. Lembrando que esses esquemas de antibióticos para diverticulite aguda são para aqueles pacientes sem fatores de risco para infecção por germes multirresistentes.

  • Piperacilina-tazobactam 3,375 g IV  6/6h horas
  • Cefazolina 1 a 2 g IV 8/8h 
  • Cefuroxima 1,5 g IV 8/8h
  • Ceftriaxona 2 g IV 24/24h + Metronidazol 500 mg 8/8h
  • Ciprofloxacino 400 mg IV  12/12h
  • Levofloxacino 750 mg IV  24/24h

Lembrando que esses esquemas de antibióticos para diverticulite aguda são para aqueles pacientes sem fatores de risco para infecção para germes multirresistentes. Agora se esse for o caso do seu paciente a sua escolha padrão ouro será:

  • Piperacilina-tazobactam 4,5 g IV  6/6h horas
  • Meropenem 1 g IV 8/8h
  • Cefepime 2g 8/8h  + Metronidazol 500 mg 8/8h
  • Ceftazidima 2g 8/8h + Metronidazol 500 mg 8/8h

É isso pessoal, sem segredo!

Para finalizar, vamos lembrar três pontos importantes em relação ao uso de antibióticos para diverticulite aguda:

  1. Para não se enrolar na escolha do antibiótico na diverticulite e na vida: pense nos microrganismos que você espera matar. No caso da diverticulite seu antibiótico precisa cobrir os gram-negativos da flora intestinal, sobretudo Escherichia coli e Bacteroides fragilis. 
  2. Se você vai tratar ambulatorialmente seu paciente com diverticulite aguda, você precisa reavaliar ele em 48-72h para avaliar a resposta terapêutica ao antibiótico. 
  3. E por fim, não come bola e não esquece de checar a função renal do seu paciente, muitos dos antibióticos dessas listinhas precisam de ajuste de acordo com o clearance de creatinina. Atenção! 

No mais, agora que você está mais informado, temos uma dica pra você: que tal conferir mais conteúdos de Medicina de Emergência na Academia Medway? Por lá disponibilizamos diversos e-books e minicursos completamente gratuitos! Por exemplo, o nosso e-book ECG Sem Mistérios ou o nosso minicurso Semana da Emergência são ótimas opções pra você estar preparado para qualquer plantão no país.

Caso você queira estar completamente preparado para lidar com a Sala de Emergência, temos uma outra dica que pode te interessar. No nosso curso PSMedway, através de aulas teóricas, interativas e simulações realísticas, ensinamos como conduzir as patologias mais graves dentro do departamento de emergência! É isso, galera. Pra cima!

Até mais, pessoal!

*Colaborou: Amanda Rodrigues Vale, aluno de Medicina da UFSCar

Receba conteúdos exclusivos!

Telegram

É médico e quer contribuir para o blog da Medway?

Cadastre-se
AnuarSaleh

Anuar Saleh

Nascido em 1993, em Maringá, se formou em Medicina pela UEM (Universidade Estadual de Maringá) e hoje é residente em Medicina de Emergência pelo Hospital Israelita Albert Einstein e também editor e professor do PSMedway.