As instituições mais buscadas para fazer residência em Cirurgia Geral em SP

Fazer a escolha da residência desejada pode ser um processo muito difícil. Com tantas variáveis em jogo, é difícil achar uma especialidade que se destaque em todas elas. Mas há algumas boas candidatas. Seja pelo prestígio, pelo retorno financeiro ou pela dinamicidade que a área proporciona, a residência em Cirurgia Geral é uma das mais populares do Brasil.

E é exatamente esse o assunto hoje. Neste post, vamos falar um pouco mais sobre as seis instituições mais buscadas para fazer a residência em Cirurgia Geral em São Paulo. Assim, você fica conhecendo melhor suas opções e faz sua escolha com mais segurança. Vamo lá?

Agora bora saber quais são as instituições mais buscadas para fazer residência em Cirurgia Geral em São Paulo?

Mas antes disso…

Vale mencionar que, desde 2019, a residência em Cirurgia Geral é dividida em duas áreas: Área Cirúrgica Básica, com duração de dois anos, e o Programa de Cirurgia Geral propriamente dito, com duração de três anos.

Agora, somente quem completa a residência de Cirurgia Geral conquista o título de cirurgião. Quem se especializa em Área Cirúrgica Básica, por outro lado, ganha um certificado de competência ao fim dos 2 anos. No entanto, só vai ser considerado especialista quando terminar uma subespecialidade, como Cirurgia Pediátrica, Cirurgia Torácica, Cirurgia Plástica, entre outras.

Vale lembrar que quem opta pelo programa de Cirurgia Geral também pode seguir para outras especialidades cirúrgicas depois. Aliás, para saber quanto ganha um cirurgião geral e qual o salário das subespecialidades cirúrgicas, confira este artigo

As instituições de residência médica podem ser credenciadas pelo MEC para ofertar os dois programas, tanto o de Cirurgia Geral quanto o de Área Cirúrgica Básica. Também pode ofertar apenas um dos programas, se assim desejar.

Com tudo isso esclarecido, agora sim: vamo lá conversar sobre as seis instituições mais procuradas para a residência em Cirurgia Geral em SP!

USP

Fachada do Instituto Central do Hospital das Clínicas da FMUSP, onde é realizada a residência em Cirurgia Geral da USP
Fachada do Instituto Central do Hospital das Clínicas da FMUSP

A USP é uma das instituições que adota a divisão entre os programas de residência em Cirurgia Geral e de pré-requisito em Área Cirúrgica Básica. Por isso, na hora de realizar sua inscrição, é bom que você já saiba qual das duas vai fazer.

Segundo o edital de residência médica da USP 2021, foram ofertadas 33 vagas de pré-requisito em Área Cirúrgica Básica, além de 10 reservadas às Forças Armadas. Cada uma delas foi disputada por quase 22 candidatos!

Já a residência em Cirurgia Geral contou com 3 vagas, além de 2 reservadas às Forças Armadas. A relação candidato/vaga foi de 21.

Como os primeiros residentes desde que os programas foram separados estão chegando agora, acredita-se que muitas atividades sejam as mesmas. Mas podemos te dar um gostinho de como está sendo a experiência de fazer residência em Cirurgia Geral na USP para quem entrou um ano antes dessa separação!

A Bruna e o Matheus são R2 de Cirurgia Geral por lá e, em entrevista, nos contaram um pouco da trajetória dessa especialidade. Segundo eles, ao longo do R1 e do R2, passa-se em todas as especialidades cirúrgicas — Urologia, Torácica, Vascular, Plástica, Cabeça e Pescoço, Oncologia, 3 meses de Gastro, infantil, Parede Abdominal, Anatomia e Técnica Cirúrgica e UTI dos Queimados, além dos estágios da Cirurgia Geral com enfermarias, PS e ambulatórios. Muito completo, né?

Se isso te animou, aproveita e dá uma olhada no nosso Guia Definitivo da USP-SP, que tem tudo o que você precisa saber para se tornar residente na USP, desde a preparação e as provas até a vida de quem já é residente.

Unicamp

Vista aérea do campus onde é realizada a residência em Cirurgia Geral da Unicamp
Vista aérea do campus da Unicamp (Créditos: Antoninho Perri/Unicamp)

Instituição pública muito reconhecida, a Unicamp também já adota a divisão dos programas. Para a residência em Cirurgia Geral, foram oferecidas apenas 2 vagas para 2021. Já para a residência em Área Cirúrgica Básica, foram 16 vagas, além de uma reservada ao Exército. As relações candidato/vaga ainda não foram reveladas.

A Unicamp conta com um complexo hospitalar de grande porte, no qual os residentes têm a oportunidade de colocar os conhecimentos em prática. Para quem vai fazer a residência em Cirurgia Geral, há atuação no Hospital de Clínicas da Unicamp, no Hospital Estadual Sumaré (HES), no Centro de Diagnóstico de Doenças do Aparelho Digestivo (Gastrocentro) e alguns Ambulatórios Médicos de Especialidades (AMEs), localizados em diversos municípios paulistas. Muita variedade, né?

Vale ressaltar: excepcionalmente esse ano a Unicamp NÃO tem entrevista e nem prova prática na segunda fase, somente entrega de currículo! Contamos todas as novidades do edital de residência médica da Unicamp 2021 aqui no blog — vale a pena conferir!

Unifesp

Fachada do Hospital São Paulo, onde é realizada a residência em Cirurgia Geral da Unifesp
Fachada do Hospital São Paulo

Outra instituição bastante tradicional, a Unifesp está oferecendo 6 vagas para a residência em Cirurgia Geral, segundo o edital. A concorrência não é pouca: 19 candidatos por vaga!

Para a residência em Área Cirúrgica Básica, por outro lado, foram 17 vagas (+1 reservada às Forças Armadas). A relação candidato/vaga foi ainda um pouco maior, chegando a 21.

Se você quer ter a experiência de vivenciar o cotidiano do maior hospital universitário do país, o Hospital São Paulo, a residência em Cirurgia Geral da Unifesp é a escolha ideal para você. Os residentes da Unifesp têm a oportunidade de aprender por meio de treinamento em serviço e do atendimento aos casos mais variados e complexos.

Inclusive, já conversamos com dois residentes de Cirurgia Geral da Unifesp que contaram pra gente tudo sobre como é fazer residência lá. Pra te dar uma ideia: no R1, são 45 dias e 45 noites no PS do Hospital São Paulo, que inclui a sala de emergência com atendimento ao trauma. Outros estágios são das especialidades, como Gastrocirurgia, Cirurgia Vascular, Cirurgia Plástica, Urologia, Cirurgia Pediátrica. Também há períodos em estágios de UTI, Anestesiologia e OS de Ginecologia, por menor tempo.

No R2, também se passam 45 dias no Pronto-Socorro do HSP, e outras especialidades como Cirurgia Torácica, Unidade de Tratamento de Queimados, Cirurgia de Cabeça e Pescoço, Cirurgia Cardíaca, Transplantes. Além disso, há mais contato com cirurgias eletivas, como Colecistectomia Videolaparoscópica.

Se já quiser exercitar um pouco seus conhecimentos e treinar para a prova de residência médica da Unifesp, deu sorte! Separamos 20 questões, sobre Cirurgia mesmo, pra você que pensa em fazer sua residência lá na Unifesp. E se quiser uma visão ainda mais detalhada da prova, preparamos um artigo que entra em detalhes sobre ela.

IAMSPE

Vista aérea do HSPE, onde é realizada a residência em Cirurgia Geral do IAMSPE
Vista aérea do IAMSPE

Outra instituição muito procurada para fazer residência em Cirurgia Geral é o IAMSPE. Para Cirurgia Geral estão sendo oferecidas somente 3 vagas, com 26 candidatos disputando cada uma delas. Para Área Cirúrgica Básica, que conta com 16 vagas, a relação candidato/vaga é de 40.

O treinamento em serviço do IAMSPE é desenvolvido no Hospital do Servidor Público Estadual (HSPE), sob a orientação de diversos profissionais.

E se você já está se preparando para a prova do IAMSPE, já deve saber que, assim como a Unifesp, a prova de residência médica tem um componente especial: a prova multimídia!

Sabemos que quase ninguém recebe a preparação ideal para isso e nós, inclusive, penamos bastante por não ter esse conhecimento na nossa época. Por isso, convidamos você a participar do nosso Minicurso de Prova Multimídia, que traz 3 aulas 100% gratuitas e 100% online para você saber tudo sobre esse tipo de prova e fazer dela sua maior vantagem!

SUS-SP

O SUS-SP não fica para trás: a divisão dos programas da área também já está na instituição.

A especialização em Área Cirúrgica Básica, pré-requisito para outras subespecialidades cirúrgicas, conta com 76 vagas no processo seletivo 2021. Já para a residência em Cirurgia Geral, estão sendo oferecidas 9 vagas. As relações candidato/vaga não foram reveladas.

O SUS também difere de outras instituições por conta de seu modelo de prova, que é composto por uma única fase, na qual o candidato faz um exame de múltipla escolha com 100 questões. No nosso canal do YouTube inclusive já tivemos aulas sobre temas que caem na prova do SUS-SP.

Para os aprovados também existe a possibilidade da escolha do hospital em que vão realizar a residência — mas priorizando os melhores colocados. São cerca de 50 instituições, e algumas são bem concorridas!

Já contamos tudo sobre como é a prova de residência médica e o “leilão” do SUS-SP, no qual os candidatos podem escolher os hospitais em que vão atuar como residentes. Vale a pena dar uma olhada no artigo, hein?

Unesp

A Unesp é a única instituição da lista que não dividiu os programas de residência em Cirurgia Geral, pelo menos ainda. Segundo o edital 2021, estão sendo oferecidas 11 vagas para a residência em Área Cirúrgica Básica, além de 1 das Forças Armadas. Também nesse caso, a concorrência ainda não foi revelada.

O Hospital das Clínicas da Unesp se localiza em Botucatu, no interior do estado de São Paulo. Lá, são desempenhadas as atividades práticas da residência em Cirurgia Geral, podendo ser uma boa opção a considerar caso você procure esse tipo de vivência.

O residente de Cirurgia Geral da Unesp é responsável pela sala de trauma e por todos os atendimentos de pacientes da Geral e das especialidades cirúrgicas no Pronto Socorro. SIM! Nesta residência há muito trabalho, mas a formação é completa para lhe dar segurança ao atendimento de urgência e ao manejo do paciente na enfermaria.

E sobre o volume cirúrgico? Moderado! Alto volume nos estágios externos como primeiro cirurgião, mas pequeno volume nos estágios nas especialidades em que você é auxiliar na maioria das vezes. Além das cirurgias eletivas, fique na espera da laparotomia e da apendicite do plantão noturno.

E aí? Muitas opções para fazer a residência em Cirurgia Geral?

A escolha de onde fazer a residência em Cirurgia Geral realmente é complicada. Vamos ficar felizes, no entanto, se tivermos conseguido te ajudar com essa decisão falando um pouco de cada uma das instituições mais buscadas por vocês.

Mas se você ainda não tem certeza de que quer mesmo Cirurgia Geral, continue acompanhando o nosso blog! Já começamos a postar vários artigos sobre os diferentes programas de residência médica e as provas de residência das principais instituições de São Paulo. No meio tempo, dá uma conferida no nosso e-book em que te damos todas as dicas necessárias para ter um currículo padrão-ouro! Assim, você faz bonito na prova teórica e na análise curricular!

Ficou alguma dúvida? Fala pra gente! Deixa aqui nos comentários que a gente responde!

Bons estudos!

Receba conteúdos exclusivos!

Telegram
JoãoVitor

João Vitor

Capixaba, nascido em 90. Graduado pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES) e com formação em Clínica Médica pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HC-FMUSP) e Administração em Saúde pelo Hospital Israelita Albert Einstein (HIAE). Apaixonado por aprender e ensinar.