Carregando

Associação de Medicina Intensiva Brasileira (AMIB): tudo que você precisa saber

Você conhece o trabalho da Associação de Medicina Intensiva Brasileira? Desde a década de 1970, a AMIB faz um trabalho muito importante para o incentivo ao atendimento humanizado a pacientes críticos. Além disso, oferece apoio para profissionais que atuam na área de Medicina Intensiva, bastante desafiadora.

Ainda vale mencionar que a AMIB tem parceria com outras sociedades internacionais, o que faz com que as atividades tenham um alcance ainda maior. Sempre pautada na responsabilidade e na ética, preza por manter os associados por dentro de projetos, fóruns e eventos de primeira linha.

Deseja saber o que é AMIB e as principais funções? Então, vale a pena descobrir tudo a respeito da associação, inclusive como se cadastrar para ter acesso a um monte de materiais e publicações.

A Associação de Medicina Intensiva Brasileira

A AMIB sempre acompanhou de perto a evolução da Medicina Intensiva no Brasil e no mundo. A associação começou a acontecer em 1977, com a SOPATI (Sociedade Paulista de Terapia Intensiva), liderada por um grupo de médicos do Rio de Janeiro que, desde o começo, já lutava por uma sociedade de abrangência nacional.

Em dezembro de 1980, esse objetivo se concretizou. A Associação de Medicina Intensiva Brasileira teve presença de profissionais do Distrito Federal, de Minas Gerais, do Rio de Janeiro, do Rio Grande do Sul, do Paraná, de Santa Catarina, da Bahia e de São Paulo. Isso facilitou a disseminação dos ideais da terapia intensiva brasileira.

O convênio foi firmado oficialmente com a AMB na mesma época. Na metade da década de 1990, a sede própria foi finalmente estabelecida. No começo dos anos 2000, a Medicina Intensiva foi reconhecida como especialidade e permitiu a implantação de cursos de residência e pós-graduação.

Os eventos tornaram-se mais frequentes, assim como as publicações, as campanhas e os programas. Hoje, a AMIB conta com mais de 7 mil associados, distribuídos em 25 regionais.

Como associar-se à AMIB

Para associar-se à AMIB, basta cadastrar-se no site e preencher um formulário. Cada associado precisa pagar uma taxa de anuidade, mas recebe uma série de benefícios a partir do momento em que faz parte da sociedade.

Você pode se cadastrar como médico, residente, médico com especialização em andamento, profissional da área de saúde ou acadêmico. Os valores variam de acordo com a categoria na qual você se encaixa.

Leia as solicitações com muita atenção antes de concluir seu pedido de cadastro. Em alguns casos, é preciso enviar documentos comprobatórios da situação, como declarações e histórico escolar. No entanto, como o procedimento é totalmente on-line, fica mais fácil fazer o envio.

Em alguns dias, você recebe a confirmação da AMIB. Com isso, pode aproveitar:

  • descontos em cursos de capacitação, inscrições em eventos, congressos e educação à distância;
  • acesso gratuito às aulas;
  • acesso irrestrito a todos os materiais da AMIB;
  • cadastro na AMIBnet, plataforma de pesquisa científica;
  • acesso ao workplace, plataforma corporativa exclusiva para associados.

O que a AMIB faz

A Associação de Medicina Intensiva Brasileira tem uma série de serviços, programas e projetos destinados aos médicos associados, mas que beneficiam a população e a comunidade médica em geral. Veja um pouco sobre eles a seguir!

Serviços do conselho

A associação conta com serviços voltados para a educação continuada, como pós-graduação, cursos e atividades no centro formador. Também trabalha com atualização de regimentos, defesa profissional e estatutos ligados à especialidade.

Realiza campanhas e programas de informação, pesquisa, atualização e serviços administrativos para manter a associação em ordem, com prestação de contas e contato com os profissionais associados. É um conteúdo rico e extenso à disposição da comunidade médica.

Publicações

A AMIB conta com oito publicações, entre revistas e manuais, que envolvem assuntos como cuidados intensivos, práticas integrativas, assistência a pacientes críticos, atendimento humanizado, entre outros. Além disso, o associado pode acessar periódicos com pesquisas atualizadas.

Eventos da AMIB

A Associação de Medicina Intensiva Brasileira é responsável por promover uma série de eventos. Simpósios, congressos, fóruns e cursos acontecem todo ano, com a presença de profissionais de reconhecimento internacional para cobrir os mais diversos assuntos pertinentes à especialidade.

O Congresso Brasileiro de Medicina Intensiva é o mais famoso de todos. Ele reúne profissionais e pesquisadores do Brasil e do mundo. Durante alguns dias, oferece uma rodada de palestras, debates, discussões e demonstrações para valorizar e mostrar o que tem sido feito na área recentemente.

Título de especialista na AMIB

A AMIB é a única associação autorizada a oferecer o título de especialista em Medicina Intensiva em nosso país. O título é concedido desde 1982, por meio de uma prova realizada anualmente. Normalmente, ela inclui uma etapa teórica e uma etapa prática.

A prova é bastante exigente. O candidato pode escolher entre as áreas disponíveis: Medicina Intensiva Adulto, Medicina Intensiva Pediátrica e Enfermagem. Continue a leitura para saber como a residência na especialidade funciona.

A residência em Medicina Intensiva

A residência em Medicina Intensiva não é uma especialidade de acesso direto. Ou seja, é preciso cumprir uma residência prévia em Clínica Médica, Pediatria, Cirurgia, Anestesiologia, Infectologia ou Neurologia. Afinal, é possível se subespecializar em diversas práticas ao longo do curso.

O programa é desenvolvido com base em parâmetros internacionais de treinamento e competências voltadas para a terapia intensiva. Entre as atividades desenvolvidas ao longo da residência, que dura dois anos, o residente passa por:

  • ressuscitação;
  • controle inicial do paciente;
  • diagnóstico, avaliação, monitoramento e interpretação de dados;
  • controle de diversas doenças,
  • intervenções terapêuticas;
  • suporte a sistemas orgânicos;
  • avaliação da condição de falência única ou múltipla de órgãos;
  • procedimentos práticos e cuidados perioperatórios;
  • atendimento humanizado;
  • transporte de paciente;
  • segurança do paciente;
  • controle de sistema de saúde.

A Medicina Intensiva é uma das especialidades que têm as maiores cargas de plantão. No entanto, os ganhos são interessantes, assim como as oportunidades de trabalho: é possível atuar na rede pública ou privada, prestar concursos e estar dentro de grandes instituições, além de se envolver com a pesquisa.

Saiba mais sobre Medicina Intensiva com a gente!

Agora, você já sabe o que a Associação de Medicina Intensiva Brasileira faz e o que é preciso para fazer parte dela. Além disso, está por dentro de todos os detalhes mais importantes a respeito da residência médica e do título de especialista da AMIB. Então, pode pensar a respeito do seu futuro na área e escolher o melhor caminho para você.

Receba conteúdos exclusivos!

Telegram
AlexandreRemor

Alexandre Remor

Nascido em 1991, em Florianópolis, formado pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) em 2015 e com Residência em Clínica Médica pelo Hospital das Clínicas da FMUSP (HC-FMUSP) e Residência em Administração em Saúde no Hospital Israelita Albert Einstein (HIAE). Fanático por novos aprendizados, empreendedorismo e administração.