Carregando

Como eu consegui passar na residência médica em São Paulo

A minha escolha pela Medicina aconteceu quando eu tinha 5 anos de idade, não sei ao certo o porquê. Eu venho de uma família de pecuaristas, cerealistas… Não tem médicos. Mas eu sabia muito bem o que eu queria pra mim. Hoje eu vou contar um pouco da jornada que percorri para ser aprovado na residência médica. Vem comigo?

Desde cedo, eu sabia que precisava ter foco 

Saí do interior de Santa Catarina com 13 anos para estudar em Florianópolis. Eu tinha consciência de que precisaria abrir mão do conforto da minha casa pra atingir meu objetivo. 

Foi em Floripa, na UFSC, que eu me tornei médico. E, desde o início da graduação, tinha em mente que queria fazer a residência médica em São Paulo. Estava determinado a conhecer um hospital-escola diferente e expandir minha carreira.  

Cheguei a fazer a prova de residência na UFSC para treinar e coloquei dermatologia como opção, uma especialidade que eu não queria realmente, só para não sentir a tentação de ficar por lá caso eu passasse. 

Tive medo de não passar na residência médica dos meus sonhos

Em determinado momento, cheguei a pensar que estava sonhando alto demais

Eu já tinha saído do interior, já tinha feito uma federal. Será que eu não estava querendo algo além da minha capacidade?

Um conselho pra você: não pense da forma que eu pensei. A insegurança não vai te deixar mais perto da sua meta. Gritei “Silêncio, Bruno!” pra mim mesmo e fui em frente (quem assistiu ao Luca, da Disney, vai entender). 

Meu preparo para as provas de residência não foi perfeito 

Confesso que eu estudei errado. Não usei as técnicas que ensinamos hoje na Medway. Deixei de lado a Preventiva, disciplina que leciono hoje — quem diria! —  e fiz uma preparação conteudista. 

Isso me custou 2 pontos que me deixaram fora da lista de aprovados da USP e outros 2 pontos que me cortaram da Unifesp. A forma de estudar importa, né? Entendi isso da pior forma.

Mas a minha determinação (a mesma que eu tinha desde quando saí de casa com 13 anos) me fez realizar o sonho de entrar na Unicamp para fazer a residência de Clínica Médica. Eu ainda passei na Santa Casa e abri mão do Einstein na segunda fase, que batia com outra prova.  A residência médica em SP era uma realidade! 

Essa foi a minha jornada de aprovação na residência médica. Qual vai ser a sua?  

Aquele menino de 5 anos que sonhava em ser médico sem nem entender o que era isso teve a possibilidade de escolher qual residência fazer em São Paulo. Tenho muito orgulho da minha jornada até esse momento, mesmo com seus altos e baixos

E os aprendizados estavam longe de acabar; o burnout no fim da residência que o diga (mas essa história eu conto outro dia). 

Hoje, eu quero te instigar a olhar pra sua trajetória, que provavelmente terá suas particularidades, vitórias e derrotas. O importante é que, assim como a minha, ela pode te levar a uma instituição que você deseja muito.  

Tô ansioso pra ouvir também a sua história de aprovação daqui a alguns meses. Bora?

Djon Machado

Receba conteúdos exclusivos!

Telegram
DjonMachado

Djon Machado

Catarinense e médico desde 2015, Djon é formado pela UFSC, fez residência em Clínica Médica na Unicamp e faz parte do time de Medicina Preventiva da Medway. É fissurado por didática e pela criação de novas formas de enxergar a medicina.