Carregando

Compressão medular: o que é, principais causas, sintomas e tratamento

Fala, pessoal! Mais um texto aqui no nosso blog. E me contem, quem nunca escutou um familiar ou atendeu um paciente queixando-se de dor nas costas, falando que é a hérnia tava atacada? Super comum né? Muitas vezes, isso ocorre por uma compressão medular! Vamos dar uma olhada para entender melhor!

O que é a compressão medular?

A compressão da medula espinhal é causada por qualquer condição que exerça pressão sobre a medula espinhal. A medula espinhal é um feixe de nervos que transporta mensagens do cérebro para os músculos e outros tecidos moles. 

Conforme a medula espinhal desce pelas costas, ela é protegida por uma pilha de espinhas dorsais chamadas vértebras. Elas também mantêm o corpo ereto. Os nervos da medula espinhal passam pelas aberturas entre as vértebras e chegam aos músculos.

Tradução: Nerves = Nervos
Cervical = Cervicais. Thoracic = Torácicos. Lumbar= Lombares. Sacral = Sacrais

A compressão da medula espinhal pode ocorrer em qualquer lugar, desde o pescoço, a nível da coluna cervical, até a parte inferior das costas, na coluna lombar. Como falamos, a depender da condição que esteja causando essa compressão, os sintomas podem se desenvolver repentina ou gradualmente e podem exigir desde cuidados de suporte até cirurgia de urgência.

Mas quais as principais causas de compressão medular?

Como vemos na prática, a maioria das pessoas que desenvolve essa condição são mais velhas, com mais de 50 anos, e isso vem de uma das causas mais comuns de compressão da medula espinhal: o desgaste gradual dos ossos da coluna, conhecido como osteoartrite

Outras condições que podem causar compressão da medula espinhal podem se desenvolver mais rapidamente, mesmo muito repentinamente, e podem ocorrer em qualquer idade:

  • escoliose;
  • traumas locais;
  • tumores ósseos;
  • doenças ósseas congênitas;
  • doenças Infecciosas locais.

E quais os sintomas de compressão medular?

  • Dor e rigidez no pescoço, costas ou parte inferior das costas;
  • Dor em queimação que se espalha para os braços, nádegas ou desce para as pernas (ciática);
  • Dormência, cãibras ou fraqueza nos braços, mãos ou pernas;
  • Perda de sensibilidade nos pés;
  • Problemas com a coordenação das mãos;
  • “Pé caído”, fraqueza em um pé que causa claudicação;
  • Perda de habilidade sexual.

Agora, pessoal, alguns sintomas são mais graves e devem acender um alarme para uma investigação mais detalhada, pois podem ser indicativos de necessidade de cirurgia de urgência, tais como:

  • perda de controle do intestino ou bexiga;
  • dormência grave ou crescente entre as pernas, parte interna das coxas e parte posterior das pernas;
  • dor intensa e fraqueza que se espalha para uma ou ambas as pernas, dificultando para andar ou levantar da cadeira.

O diagnóstico vai ser sempre feito com associação da história clínica do paciente, com achados no exame físico, como perda de sensibilidade ou força nos membros, presença de reflexos anormais. 

Vamos lançar mão de imagens também, desde uma simples radiografia até exames mais detalhados, como tomografia com ressonância nuclear magnética.

Como é feito o tratamento de compressão medular?

Aqui, o tratamento é realmente multidisciplinar, galera. A equipe envolvida no tratamento da compressão da medula espinhal pode incluir reumatologistas, ortopedistas, neurocirurgiões, fisioterapeutas, quiropráticos e até mesmo acupunturistas.

O tratamento depende da causa e dos sintomas e pode envolver medicamentos, fisioterapia, injeções e cirurgia. Exceto em casos de emergência, como síndrome da cauda equina (veja nosso artigo no blog) ou fratura nas costas, a cirurgia geralmente é o último recurso.

Os medicamentos podem incluir antiinflamatórios não esteroides (AINEs), que aliviam a dor e o inchaço e infiltração de corticosteroides que reduzem o inchaço.

Os tratamentos cirúrgicos para compressão medular incluem a remoção dos esporões ósseos e o alargamento do espaço entre as vértebras. Outros procedimentos podem ser feitos para aliviar a pressão na coluna ou reparar vértebras fraturadas. As costas também podem ser estabilizadas pela fusão de algumas das vértebras. Justamente devido à sua complexidade, são exceções.

Referências

COMPRESSÃO da medula espinhal. BMJ Best Practice. Disponível em: https://bestpractice.bmj.com/topics/pt-br/1012. Acesso em: 4 dez. 2021.PEREIRA, C. U. et al. Compressão medular como primeira manifestação de neoplasia metástasica. Jornal Brasileiro de Neurocirurgia – JBNC, v. 24, n. 1, jan./mar. 2013.

Receba conteúdos exclusivos!

Telegram

É médico e quer contribuir para o blog da Medway?

Cadastre-se
DanielHaber Feijo

Daniel Haber Feijo

Nascido em São Paulo, criado em Belém do Pará. Formado médico pela Universidade do Estado do Pará e Cirurgião Geral pela Escola Paulista de Medicina/Universidade Federal de São Paulo (EPM-UNIFESP). Atualmente, profissional da área médica na assistência e no ensino. Segue apaixonado por administração, economia e finanças. A gente só tem aquilo que a gente aceita ter!