Carregando

O que é o qSOFA e qual sua relação com a sepse?

Fala, pessoal! O tema hoje é qSOFA e a sepse. É claro que a sepse é um tema muito debatido devido a sua morbimortalidade. Mas quando falamos da sua epidemiologia, a maioria dos estudos abrangem pacientes adultos e sugerem taxas de mortalidade entre 20% e 50%, ou seja, valores expressivos e alarmantes. Hoje a sepse é a principal causa de morte por infecção, especialmente se não for reconhecida e tratada imediatamente, sendo uma das condições mais frequentes no mundo que exigem cuidados em unidades de terapia intensiva (UTI).

Hoje se sabe que os pacientes que sobrevivem à sepse, grande parte das vezes apresentam sequelas físicas, psicológicas e cognitivas de longo prazo, o que pode impactar não somente a saúde desse paciente, mas sua parte psicológica, constituindo um grande problema social. Ou seja, são diversas as características que nos provam que a abordagem de um paciente séptico deve ser sistematizada e de pronto diagnóstico para evitar maiores consequências ao paciente. Bora saber mais sobre o qSOFA e sua relação com a sepse pra estarmos preparados?

Imagem ilustrativa sobre qSOFA e sua relação com a sepse.
Confira a seguir o que é qSOFA e sua relação com a sepse!

O que é sepse?

Devido aos dados alarmantes de sua prevalência, constantemente são feitas atualizações na definição, classificação e abordagem de um séptico, na tentativa de diminuir a morbimortalidade e obtenção de um melhor prognóstico. Entre elas temos o ILAS (Instituto Latino Americano de Sepse), Sepsis-1, Sepsis-2, e a mais atual que é o Sepsis 3 (a qual faz uso dos escores SOFA e qSOFA). Porém, cabe ressaltar que algumas instituições fazem uso preferencialmente do ILAS, e outras do Sepsis-3.

Afinal: o que é sepse? A definição atual diz que sepse é uma resposta desregulada que um hospedeiro apresenta à uma infecção, levando a uma disfunção orgânica potencialmente fatal.

E o que são o SOFA e o qSOFA?

Nessa mais recente definição, a sepse passou a ser caracterizada pela disfunção orgânica, e como forma de mensurá-la, foi criado o escore Sequential Organ Failure Assessment (SOFA).

O escore SOFA é considerado padrão ouro no diagnóstico da sepse, e não deve ser usado para manejo do paciente, apenas para caracterizá-lo. Sua pontuação vai de zero a 4. Quando os valores são maiores ou iguais a 2, temos diagnosticada uma disfunção orgânica. Mesmo sendo padrão ouro, possui uma limitação devido a sua aplicabilidade, pois depende de exames laboratoriais (como uréia e creatinina…) para preencher os critérios, ou seja, não permite pronto diagnóstico.

Na imagem: critérios do SOFA
Na imagem: critérios do SOFA

Além do escore SOFA, temos também o qSOFA (quickSOFA), que abrange parâmetros mais práticos e de maior aplicabilidadePA sistólica <100 mmHg, FR>22irpm e Glasgow<15. Cada parâmetro vale 1 ponto (0 a 3) e se for maior ou igual a 2, sugere maior mortalidade ou de maior permanência na UTI. E vale ressaltar que deve-se suspeitar de uma possível infecção em pacientes que não foram previamente reconhecidos como infectados quando o qSOFA está alterado.

critérios do qSOFA
Na imagem: critérios do qSOFA

Quando usar SOFA ou qSOFA?

É justamente isso que o Sepsis-3 nos trouxe. Pesquisadores concluíram que o SOFA é melhor utilizado a beira leito em pacientes com suspeita de infecção, que já estão hospitalizados na unidade de terapia intensiva. Sua validade preditiva foi melhor que as do critério anterior (SIRS), que ainda hoje é utilizado. Dessa forma, o SOFA deve ser utilizado como critério clínico para diagnóstico de sepse em UTI.

Também concluíram que o qSOFA possui alto valor preditivo para mortalidade hospitalar para pacientes fora da UTI, sendo também estatisticamente mais significativo que o critério SIRS. Ou seja, qSOFA deve ser utilizado como critério de triagem clínica para se diagnosticar sepse

Curtiu saber tudo sobre o qSOFA na sepse?

É isso, queridos! Quem quiser saber mais sobre sepse, pode dar uma olhada na aula que a professora Karina Turaça deu no canal do PSMedway no Youtube!

Caso você queira multiplicar seu conhecimento sobre emergências, acesse a Academia Medway. Por lá disponibilizamos diversos e-books e minicursos 100% gratuitos! Por exemplo, o nosso e-book ECG Sem Mistérios ou o nosso minicurs Semana da Emergência são ótimas opções pra você estar preparado para qualquer plantão no país.

Caso você queira estar completamente preparado para lidar com a Sala de Emergência, temos uma outra dica que pode te interessar. No nosso curso PSMedway, através de aulas teóricas, interativas e simulações realísticas, ensinamos como conduzir as patologias mais graves dentro do departamento de emergência!

Além disso, ao final do curso você recebe um certificado de conclusão, aprovando que você está apto para qualquer situação de urgência no plantão!

Caso tenha ficado curioso, aproveite o conteúdo do curso por 7 dias gratuitos! Assim, você turbina seus conhecimentos e aproveita para mandar bem no plantão. Inscreva-se já!

Ah, e pra finalizar, aqui vai uma super dica pra você: o curso Papo de Antimicrobianos 3.0 já está disponível e, nele, vamos te ensinar a tratar várias doenças infecciosas, elevando a qualidade do seu atendimento no hospital ou no ambulatório. E aí, bora conferir a mais nova parceria entre a Medway e o Papo de Clínica? Corre lá!

É isso aí, galera! Nos vemos na próxima!

*Colaborou: Gabriel Lucano.

Receba conteúdos exclusivos!

Telegram

É médico e quer contribuir para o blog da Medway?

Cadastre-se
AnuarSaleh

Anuar Saleh

Nascido em 1993, em Maringá, se formou em Medicina pela UEM (Universidade Estadual de Maringá) e hoje é residente em Medicina de Emergência pelo Hospital Israelita Albert Einstein e também editor e professor do PSMedway.