Carregando

Pneumotórax hipertensivo: você saberia manejar?

Eu estava obcecada, passava 80% do meu tempo pensando “como passo um dreno de tórax” e os outros 20% eu torcia para que alguém falasse “eu te ensino a manejar o dreno de tórax”. E é exatamente sobre isso que vamos falar hoje, pessoal: o famoso pneumotórax hipertensivo, que obviamente leva ao queridinho dreno de tórax, que particularmente é um dos meus procedimentos favoritos. Bora lá!

O que é pneumotórax hipertensivo?

O pneumotórax hipertensivo é o acúmulo de ar entre as pleuras parietal e visceral, através de uma válvula unidirecional no pulmão (como, por exemplo, a fístula pulmonar) ou na parede torácica (trauma de tórax), podendo gerar um colapso pulmonar. 

A entrada do ar apresenta um colabamento do pulmão ipsilateral, deslocando o mediastino e a traqueia contralateral ao espaço pleural lesado, comprimindo o pulmão sadio, reduzindo o retorno venoso e consequentemente o débito cardíaco. 

Como podemos ver, nitidamente, é um caso grave e que requer reconhecimento precoce com manejo rápido e competente, pois devido ao baixo débito, o paciente apresentará uma deterioração rápida dos sinais vitais, como hipotensão e choque obstrutivo.

Pneumotórax hipertensivo.

O que pode causar pneumotórax hipertensivo?

  • acesso venoso central (veia jugular e veia subclávia);
  • bloqueio do plexo braquial;
  • bloqueio intercostal;
  • fratura de costelas;
  • laceração de traqueia;
  • traqueostomia;
  • trauma pulmonar fechado;
  • trauma pulmonar penetrante.

E quando vamos pensar em um pneumotórax hipertensivo? Quais seriam os sinais e sintomas que o paciente apresentaria? Dor torácica súbita e/ou dispneia costumam ser os sintomas mais comuns, seguidos de diminuição do murmúrio vesicular e hipertimpanismo, além de hipotensão e turgência jugular

Vamos pensar assim: você está na sala de emergência e o SAMU traz um paciente masculino, 29 anos, que sofreu um acidente de moto X anteparo fixo. Ele dá entrada na sala, em prancha rígida e colar cervical, referindo dor torácica e falta de ar, saturando 84% com frequência respiratória de 28, pressão arterial 84×51 mmHg e frequência cardíaca de 121. Ausculta pulmonar com murmúrio vesicular presente em hemitórax direito e ausente em hemitórax esquerdo seguido de hipertimpanismo à palpação. Com o seguinte RX de tórax:

RX de tórax

Parece que agora ficou fácil, né? Não dá mais para comer bola quando nos depararmos com um pneumotórax hipertensivo! 

Tratamento

Imediatamente após o diagnóstico, o médico deve tomar a conduta correta e eficaz para reverter o quadro e obviamente se resume na retirada de ar que está no espaço intrapleural

E como fazemos? Logo após o diagnóstico, é necessária a descompressão imediata com inserção de uma agulha de grosso calibre (calibre 14 ou 16, por exemplo) no quinto espaço intercostal na linha axilar média, seguida da passagem de dreno de tórax

Materiais necessários para drenagem de tórax:

  • mesa auxiliar;
  • foco auxiliar; 
  • caixa de pequena cirurgia; 
  • drenos de tórax compatíveis com a finalidade; 
  • gazes estéreis; 
  • fio de sutura mononylon 2,0 ou 3,0 agulhados; 
  • seringa 10ml descartável para anestesia; 
  • agulhas para anestesia (40×12 e 30×7); 
  • clorexidina alcoólica a 0,5%; 
  • xylocaína 2% sem vasoconstritor; 
  • lâmina de bisturi de acordo com o cabo do bisturi; 
  • avental estéril, gorro, máscara cirúrgica, luvas estéreis; 
  • campo fenestrado; 
  • sistema de drenagem (frasco e extensor) conforme a solicitação do cirurgião; 
  • soro fisiológico (SF) 0,9% estéril ou água estéril para preenchimento do frasco de drenagem (+500ml); 
  • esparadrapo.

Procedimento:

  • realizar o procedimento com técnica asséptica; 
  • higienizar as mãos corretamente; 
  • utilizar paramentação cirúrgica; 
  • realizar antissepsia da pele com clorexidina alcoólica a 0,5%; 
  • colocar de campo estéril; 
  • anestesiar local e/ou se necessário sedoanalgesia; 
  • realizar a incisão e dissecção dos tecidos; 
  • colocar o dreno;
  • fixar o dreno;
  • realizar o primeiro curativo;
  • verificar o funcionamento do sistema;
  • ao término do procedimento, descartar os materiais perfurocortantes em recipiente adequado;
  • confirmar posicionamento do dreno com radiografia de tórax.
RX de tórax que indica pneumotórax hipertensivo.

Ficou mais fácil, não é mesmo? Podemos ver que um procedimento relativamente simples pode salvar a vida de um paciente grave. 

O dreno de tórax é algo que tem que ser realizado imediatamente após o pneumotórax hipertensivo seja diagnosticado

Gostaram? Caso ainda não dominem o plantão de pronto-socorro 100%, fica aqui uma sugestão: temos um material que pode ajudar com isso: nosso Guia de Prescrições. Com ele, você vai estar muito mais preparado para atuar em qualquer sala de emergência do Brasil.

Bons estudos e até a próxima!

Receba conteúdos exclusivos!

Telegram

É médico e quer contribuir para o blog da Medway?

Cadastre-se