Carregando

Técnica de Seldinger: saiba tudo sobre o procedimento

A maioria dos pacientes necessita da colocação de cateteres para medicações, monitoração ou outras intervenções, como marca-passo, hemodiálises ou plasmaférese. Pensando nisso, você sabe o que é a técnica de Seldinger?

Muitos métodos são amplamente difundidos para colocação de cateteres, porém, independentemente da via escolhida, a técnica de Seldinger é a mais utilizada na passagem de cateteres venosos.

Quando a técnica de Seldinger é realizada?

Em 1952, Seldinger descreveu a inserção intravascular de cateteres, avançando-os por navegação por um fio-guia flexível introduzido por punção. Essa técnica se tornou a base para o acesso nos procedimentos realizados por via endovascular atualmente.

A técnica de Seldinger consiste na colocação percutânea de cateteres em veias de grosso calibre. Quer saber quais são as principais indicações? Então, confira abaixo:

  • administração de medicamentos com poder irritativo ou medicamentos; vasoativos;
  • monitoração da pressão venosa central;
  • nutrição parenteral total;
  • hemodiálise;
  • inserção de um marca-passo transvenoso temporário;
  • acesso venoso quando a canulação de uma veia periférica não é possível.

Vantagens e desvantagens

Podemos dizer que uma das principais vantagens da realização desse procedimento é o fato de ela permitir a inserção de cateteres de grosso calibre e/ou de múltiplos lumens. 

Além disso, essa técnica é relativamente segura, com menores riscos de complicações imediatas, visto que o vaso é puncionado com uma agulha de calibre relativamente pequeno.

Por outro lado, a técnica de Seldinger também tem desvantagens. A principal delas é que o custo é mais alto quando comparado com o de outros métodos.

Como realizar o procedimento?

É preciso tomar alguns cuidados com a técnica da punção venosa central. Além disso, há o reconhecimento das estruturas anatômicas para a prevenção de complicações durante e após a punção, como as infecções. As principais estratégias para evitar infecções relacionadas a cateter são:

  • higienização das mãos; 
  • técnica antisséptica, como o uso de gorros, máscaras, luvas estéreis, aventais e campos estéreis;
  • assepsia do local da punção ampla e realizada com clorexidina degermante, seguida de clorexidina alcoólica.

Além disso, para realização da técnica, é importante o posicionamento adequado do paciente no leito, que pode ser realizado de duas maneiras, a depender do lugar de escolha do acesso.

  • Veia jugular interna e veia subclávia: colocar a cabeça rotacionada em 45º para o lado contralateral ao da punção + posição de Trendelenburg. Na posição de Trendelenburg, a parte superior do dorso do paciente é abaixada, e os pés são elevados. O objetivo é distender as veias do pescoço (veia jugular interna) por meio do aumento do retorno venoso, facilitando a punção e prevenindo a ocorrência de embolia gasosa durante o procedimento;
  • Veia femoral: deixar a cabeceira elevada a 15º + leve flexão e rotação lateral da coxa.
Figura 1: Posição em Trendenburg - fonte RICKER, L. E. Posicionamento do paciente para cirurgia. In: MEEKER, M. H.; ROTHROCK, J. C. Alexander cuidados de Enfermagem ao paciente cirúrgico. 10. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1997. cap. 4, p. 90 - 105.
Figura 1: Posição em Trendenburg – fonte RICKER, L. E. Posicionamento do paciente para cirurgia. In: MEEKER, M. H.; ROTHROCK, J. C. Alexander cuidados de Enfermagem ao paciente cirúrgico. 10. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1997. cap. 4, p. 90 – 105. 

O passo a passo da técnica de Seldinger

Como citado anteriormente, o método é um dos mais utilizados para a colocação de cateteres em pacientes. Portanto, saiba como é o passo a passo da técnica de Seldinger.

  1. Puncionar a veia com uma agulha longa, de pequeno calibre; 
  2. Segurar a agulha com firmeza e desconectar a seringa, tampando o orifício da agulha com o dedo para evitar embolia gasosa;
  3. Passar o fio pelo dilatador, o qual é introduzido para dilatar as partes moles após a liberação da pele com pequena incisão junto ao guia com lâmina de bisturi;
  4. Realizar a introdução do dilatador segurando o fio-guia, de modo a facilitar o procedimento e não lesar a pele;
  5. Segurar a ponta do fio-guia que se encontra exteriorizado na via de infusão, simultaneamente ao cateter, na introdução do cateter;
  6. Retirar o fio-guia após a introdução do cateter.

Na técnica de Seldinger para cateter venoso central, o ponto-chave é ter o domínio do procedimento correto, de modo a evitar complicações. Um bom início é aprender a técnica mais utilizada.

Figura 2: Técnica de punção vascular percutânea com técnica de Seldinger (fio-guia). (A) puncionar o vaso, introduzir o fio-guia e retirar a agulha; (B) avançar o cateter vestindo o fio-guia para dentro do vaso; (C) retirar o fio-guia; (D) fixar o cateter em posição.
Figura 2: Técnica de punção vascular percutânea com técnica de Seldinger (fio-guia). (A) puncionar o vaso, introduzir o fio-guia e retirar a agulha; (B) avançar o cateter vestindo o fio-guia para dentro do vaso; (C) retirar o fio-guia; (D) fixar o cateter em posição. 

Aprenda mais sobre Medicina de Emergência em nosso blog!

Entendeu tudo sobre a técnica de Seldinger? Então, confira outros conteúdos que publicamos aqui, no blog. Eles foram feitos especialmente para você mandar bem no seu plantão e ficar por dentro dos mais variados assuntos.

Além disso, se deseja conferir mais conteúdos de Medicina de Emergência, conheça a Academia Medway. Por lá, são disponibilizados diversos e-books e minicursos completamente gratuitos para auxiliar no seu aprendizado.

E pra finalizar, temos uma dica de ouro pra te dar: se você quer dominar a base da analgesia e sedação e se sentir seguro para prescrever um plano de analgesia otimizado e individualizado, sugiro fazer o nosso Curso de Analgesia e Sedação: do PS à UTI

Ele é oferecido de forma gratuita e você ainda recebe um certificado de conclusão! Nele, vamos ensinar a base de que você precisa para entender como e por que prescrever determinadas drogas. 

Tudo isso por meio de aulas com uma abordagem direta, simples e sem enrolação. Ah, e você ainda ganha acesso a apostilas, questões de revisão e muito mais. Vai ficar de fora dessa? Então, corra e aproveite todos os benefícios!

Receba conteúdos exclusivos!

Telegram

É médico e quer contribuir para o blog da Medway?

Cadastre-se