Carregando

Trauma raquimedular: lesão da medula espinhal

Fala, galera! Texto rápido abordando os principais aspectos do trauma raquimedular, uma lesão que (graças a Deus) não é muito comum, mas tem alto potencial de morbidade, limitando demais a capacidade de produção da população economicamente ativa – justamente quem sofre mais trauma!

lesão na medula espinhal
Saiba a seguir quais os principais aspectos do trauma raquimedular!

O que é lesão da medula espinhal?

A medula espinhal é responsável por transmitir mensagens entre o cérebro e o resto do corpo. Por ter uma função extremamente nobre, ela é protegida por camadas de tecido chamadas meninges e uma coluna de vértebras (ossos da coluna). 

A maioria das lesões da medula espinhal acontece quando essa proteção, principalmente a óssea, acaba sendo quebrada, como em traumas de forte impacto, por exemplo. Os ossos fraturados danificam a medula espinhal e seus nervos. Em casos raros, uma lesão pode cortar completamente ou dividir a medula espinhal. Imaginem a gravidade disso!

É importante entender que tem todo trauma posterior, nas costas ou até mesmo com fratura de vértebras, vai levar a um trauma medular. 

Como uma lesão na medula espinhal afeta o corpo?

Se tivermos uma lesão na medula, além de perdas sensoriais, podemos perder diversas funções por falta de comunicação entre o cérebro e o corpo, como:

  • o funcionamento da bexiga e do intestino;
  • a respiração;
  • a frequência cardíaca;
  • os movimentos musculares;
  • os reflexos.

Quais são os tipos de lesões da medula espinhal?

As lesões da medula espinhal podem ser completas ou incompletas (parciais):

  • Completa: uma lesão completa causa paralisia total (perda de função) abaixo do nível da lesão. Afeta ambos os lados do corpo. Uma lesão completa pode causar paralisia de todos os quatro membros (tetraplegia) ou da metade inferior do corpo (paraplegia).
  • Incompletas: após uma lesão incompleta, alguma função permanece em um ou ambos os lados do corpo. O corpo e o cérebro ainda podem se comunicar por meio de certas vias.

Como ocorrem as lesões da medula espinhal?

Algumas possíveis causas de lesões da medula espinhal incluem:

  • acidentes automobilísticos (mais comum);
  • quedas;
  • ferimentos por arma de fogo;
  • lesões esportivas;
  • complicações cirúrgicas (menos comum).

Sintomas

Os sintomas de lesão medular dependem do tipo (completo ou incompleto) e da localização do dano. Podemos ter:

  • fraqueza ou perda motora nos braços e/ou pernas;
  • sensação diminuída nos braços e/ou pernas;
  • perda do controle da bexiga ou intestino;
  • dor intensa ou pressão no pescoço ou nas costas;
  • nódulos incomuns ao longo da coluna;
  • dificuldade para respirar.

Como uma lesão da medula espinhal é diagnosticada?

Claramente, dada a gravidade dos mecanismos que podem levar a essas lesões, vamos conduzir o paciente a uma sala de emergência e iniciar o atendimento conforme o ATLS, prestando bastante atenção às alterações de frequência cardíaca ou respiratória. Em seguida, na avaliação secundária, vamos verificar o quão bem seus nervos estão funcionando, como, por exemplo, com:

  • função motora ou capacidade de mover partes do corpo;
  • função sensorial ou capacidade de sentir o toque.

Certos exames de imagem podem ajudar a diagnosticar uma lesão na medula espinhal, tais como:

  • tomografia computadorizada, para ver ossos quebrados, coágulos sanguíneos ou danos nos vasos sanguíneos;
  • ressonância nuclear magnética, para ver a medula espinhal ou tecidos moles;
  • raio-X, para mostrar ossos quebrados ou luxações (ossos arrancados do lugar).

Qual é o tratamento imediato?

Em alguns casos, considerando o contexto de politrauma, podemos necessitar de cirurgia de emergência em situações com lesões raquimedulares associadas. Então, podemos abordar em conjunto, caso a lesão esteja sendo causada por alguma fratura, com espícula óssea lesando a medula ou coágulos no local.

Algumas pesquisas sugerem que o uso de corticosteroide pode ajudar nas lesões da medula espinhal. O medicamento deve ser administrado dentro de 8 horas após a ocorrência da lesão. Esse tratamento pode:

  • melhorar o fluxo sanguíneo.;
  • preservar a função nervosa;
  • reduzir a inflamação.

Complicações

As complicações de longo prazo de uma lesão da medula espinhal podem incluir:

  • incapacidade de regular a pressão sanguínea ou a temperatura corporal;
  • aumento do risco de problemas cardíacos ou pulmonares;
  • perda do controle da bexiga ou intestino;
  • paralisia nos braços ou pernas;
  • dor persistente;
  • espasticidade, contratura articular;
  • disfunção sexual.

A maioria das pessoas com lesão na medula espinhal precisará de alguma forma de reabilitação física ou terapia. Portanto, é muito importante prevenirmos que acidentes aconteçam!

Se quiser saber mais, nos nossos cursos, nós entramos em detalhes de cada aspecto dessas lesões.

Receba conteúdos exclusivos!

Telegram

É médico e quer contribuir para o blog da Medway?

Cadastre-se
AnuarSaleh

Anuar Saleh

Nascido em 1993, em Maringá, se formou em Medicina pela UEM (Universidade Estadual de Maringá) e hoje é residente em Medicina de Emergência pelo Hospital Israelita Albert Einstein e também editor e professor do PSMedway.