Carregando

As instituições mais buscadas para fazer residência em Medicina Intensiva em SP

A residência em Medicina Intensiva é relativamente recente, mas vem se mostrando cada vez mais importante e procurada, principalmente porque, no Brasil, o número de leitos de UTI aumenta a cada ano, algo que ajuda a melhorar as condições de trabalho dos médicos intensivistas. Ocupar uma posição tão importante, com vidas em mãos, obviamente exige a atuação de bons médicos, por isso a melhor maneira de se tornar um desses é investindo em uma boa especialização.

Mas e você, já pensou em fazer residência em Medicina Intensiva em SP? Com tantas instituições pra escolher, dá até pra ficar perdido, né? Então, bora lá que vamos falar um pouco sobre as cinco instituições mais buscadas para fazer Medicina Intensiva em SP!

USP

Para abrir nossa lista, vamos falar da USP, uma instituição que, como você provavelmente já imagina, é uma das mais renomadas do país. Mas você sabe como é a residência em Medicina Intensiva no HC? Bom, essa especialidade na USP é denominada como um programa de pós-graduação, ou seja, não é uma residência de acesso direto, e sim uma residência com pré-requisitos.

Residência em medicina intensiva: USP
Complexo hospitalar do HC (Hospital das Clínicas) da USP

Ela dura 2 anos e requer uma especialização prévia em Clínica Médica, Cirurgia Geral, Anestesiologia, Pediatria, Infectologia, Neurologia ou Medicina da Família. A carga horária por ano é de 2.880 horas, ou seja, 60 horas semanais

Os residentes que têm interesse nessa especialidade na USP passarão muito tempo no Hospital das Clínicas da FMUSP, maior complexo hospitalar da América Latina. No nosso Guia Definitivo da USP-SP contamos tudo sobre essa estrutura e tudo o que você precisa saber pra ser um residente lá — da preparação à vida de quem já faz residência médica no HC. Confere lá!

A nota de corte para Medicina Intensiva na USP em 2020 foi 47,8, e foram disponibilizadas 18 vagas. Não está entre as notas mais altas observadas entre as notas de corte da USP-SP, mas também não é nada de se menosprezar, né?

O melhor então é se preparar! Temos um artigo que vai te ajudar a ter uma visão bem aprofundada do exame, contando tudo sobre a prova de residência médica da USP-SP, direto ao ponto!

Unicamp

A residência em Medicina Intensiva na Unicamp é diferente da USP. Ao invés de ser uma especialidade com pré-requisitos, ela se apresenta como uma de acesso direto — mas com 4 anos de duração, ao invés dos 2 da USP. No ano de 2021, a Unicamp ofereceu 7 vagas para essa especialidade, que foram disputadas por 67 candidatos, gerando uma relação candidato/vaga de 9,57. Para conferir as relações de outras especialidades, é só dar uma olhada no nosso artigo sobre a concorrência da residência médica na Unicamp 2021.

Fachada do Hospital das Clínicas da Unicamp
Hospital das Clínicas da Unicamp

As atividades da residência são desempenhadas no Hospital de Clínicas da Unicamp, que tem um grande fluxo de pacientes e casos de alta complexidade. Ah, e a nota de corte para Medicina Intensiva na Unicamp foi de 5,64!

Bom, é evidente que se você tem interesse em fazer Medicina Intensiva nessa instituição, é melhor já ir se preparando para as provas! Quer saber tudo sobre a prova de residência médica na Unicamp para se preparar direitinho? Então clica aí no nosso artigo A prova de residência médica da Unicamp: direto ao ponto. E pra não deixar nenhuma informação importante sobre a prova passar batido, confira as novidades no edital de residência médica da Unicamp 2021 clicando aqui.

Unifesp

Fachada do Hospital de São Paulo
Hospital de São Paulo

Já a residência em Medicina Intensiva na Unifesp, diferentemente da Unicamp, usa um sistema similar ao da USP. Isso significa que ela tem, como pré-requisito, a graduação em Medicina e uma residência em Anestesiologia, Cirurgia Geral, Clínica Médica, Infectologia ou Neurologia. Grande parte das atividades práticas da residência na Unifesp são desempenhadas no Hospital São Paulo, reconhecido como o maior hospital universitário do país.

A residência em Medicina Intensiva da Unifesp, em 2021, ofereceu 6 vagas, e a relação candidato/vaga também foi de 6,0

E é claro que, se você tem interesse em tentar uma vaga em Medicina Intensiva na Unifesp, tem que saber tudo sobre a prova! Confira já os nossos artigos sobre as novidades no edital de 2021 e a prova de residência médica na UNIFESP direto ao ponto!

SUS-SP

Maior processo seletivo de residência médica do Brasil, o SUS-SP ofereceu, no processo seletivo de 2021, 21 vagas para a residência em Medicina Intensiva. Para essas duas vagas, foram 37 inscritos e uma relação de 1,76 candidatos por vaga. A residência em Medicina Intensiva no SUS-SP segue o padrão da USP e da Unifesp, mas tem uma pequena diferença nos pré-requisitos, que nesse caso podem ser a residência em Área Cirúrgica Básica, Clínica Médica, Cirurgia Geral ou Anestesiologia — além, obviamente, da graduação em Medicina, com duração de 6 anos.

O processo seletivo do SUS-SP é realizado em uma fase única, com uma prova composta de 100 questões de múltipla escolha. Se você quer saber mais sobre como funciona a prova, clica aqui!

São cerca de 50 instituições que estão no edital do SUS-SP, cada uma com seus próprios programas de residência médica — e algumas são bem concorridas, então é bom fazer a escolha com cuidado!

IAMSPE

Hospital do Servidor Público Estadual (IAMSPE)

A residência em Medicina Intensiva no Hospital do Servidor Público Estadual (IAMSPE) funciona um pouco diferente das outras que mencionamos aí em cima, pois tem um processo seletivo à parte só para Medicina Intensiva. 

Na edição de 2021 desse processo seletivo, foram ofertadas 2 vagas para o programa que tem duração de 3 anos. A nota de corte, nesse processo, foi de 8,42, em uma escala de 1 a 10.

Se você tem interesse em fazer residência no IAMSPE, não pode deixar de ler o nosso artigo em que falamos tudo sobre a residência no IAMSPE!

E aí? Já sabe onde vai cursar a residência em Medicina Intensiva?

Então, agora que você já sabe um pouco sobre as cinco instituições mais buscadas para fazer residência em Medicina Intensiva, temos mais uma dica pra te ajudar nessa escolha tão difícil. Na Academia Medway temos diversos e-books e minicursos 100% gratuitos! Isso mesmo, e podemos destacar alguns e-books que vão facilitar muito seu processo de escolha e de preparação para as provas, como o Novo Guia Estatístico da USP-SP para saber quais assuntos priorizar nos estudos para a residência, ou o e-book de 20 Questões de Cirurgia da Unifesp.

E, por último mas não menos importante, temos mais uma dica pra te ajudar nessa jornada de preparação. as inscrições estão abertas para o Intensivo São Paulo, nosso curso preparatório para estudar nessa reta final e te levar pro único lugar possível: pra cima!

Por hoje é só galera. Bons estudos!

Receba conteúdos exclusivos!

Telegram
AlexandreRemor

Alexandre Remor

Nascido em 1991, em Florianópolis, formado pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) em 2015 e com Residência em Clínica Médica pelo Hospital das Clínicas da FMUSP (HC-FMUSP) e Residência em Administração em Saúde no Hospital Israelita Albert Einstein (HIAE). Fanático por novos aprendizados, empreendedorismo e administração.