Carregando

Descubra como escolher residência médica

Se você chegou até este artigo, tem dúvidas sobre como escolher residência médica. Muitas vezes, esse questionamento é sobre a instituição ou a área a ser escolhida. Outras vezes, a incerteza surge quando a aprovação aconteceu em mais de um processo seletivo.  

Apesar de situações distintas, em ambos cenários ilustrados, é preciso pensar em uma série de fatores para direcionar a decisão. Afinal, nesse momento, a carreira médica está começando a tomar um rumo na especialização. Para aprender como escolher residência médica, confira as dicas a seguir. 

Como saber quantas provas prestar?

A quantidade de provas prestadas por cada candidato varia pelo planejamento e pelos critérios pessoais. Enquanto alguns optam por fazer apenas o processo seletivo da instituição mais desejada, outros tentam garantir a aprovação em mais de uma vaga. 

Ao fazer várias provas diferentes, você não depende de uma única instituição, e o leque de opções se amplia. Entretanto, o nível de exigência é maior, pois cada prova é diferente, e o estudo deve ser dedicado individualmente.

Para evitar o desgaste mental com muitas provas, é preciso priorizar a especialização médica. Apesar de aumentar as chances de aprovação, quanto mais provas forem feitas, menos direcionamento haverá em cada processo. Então, foque em duas ou três residências, no máximo, para se preparar da melhor forma.

Critérios de direcionamento para a escolha da vaga 

Se você ainda não decidiu quais provas prestar ou qual instituição escolher após mais de uma aprovação, é necessário pensar em alguns critérios. Eles vão te ajudar a esclarecer as dúvidas sobre como escolher residência médica e tomar a melhor decisão. Agora, saiba mais sobre esses fatores de influência!

Desejo pessoal

O desejo pessoal é um dos principais itens a serem levados em consideração. O médico residente sempre tem uma instituição em primeiro lugar de preferência, na qual sonha em prestar a residência. Nesses casos, a preparação precisa ser focada na prova desse local. 

Quando há mais de um programa nas aprovações, mas a favorita não estiver na lista, é preciso pensar além das afinidades pessoais. Considere as diferenças entre o conteúdo programático, a estrutura, os tutores, a qualidade da instituição e a distância até sua residência. Assim, é mais fácil tomar uma decisão.

Distância

Por mais que a distância não seja um problema inicialmente, aos poucos, a rotina se intensifica, e quanto menor o caminho, mais rápido será para chegar em casa e descansar. Afinal, o tempo no trajeto pode aumentar o cansaço, provocar atrasos, estresse e desgaste mental. 

Pense na instituição mais próxima e na acessibilidade à região. Apesar de serem mais distantes, alguns locais possuem fácil acesso ao transporte público ou às rotas rápidas de carro. Então, nem sempre a distância é um empecilho. Pelo contrário, para alguns, é até melhor para conhecer novos locais. 

Fatores financeiros

Um residente não ganha uma bolsa de estudos muito grande. Esse valor pode parecer ainda menor em cidades com um custo de vida alto, como São Paulo. Os plantões complementam a renda, mas a carga horária da residência não permite que o estudante tenha tanto tempo livre para isso. 

Por isso, ao pensar em como escolher residência médica, destaque o planejamento financeiro. Questione se será possível se manter no local, onde pretende morar, qual será o valor gasto em comida, contas de água e luz e demais despesas domésticas ou pessoais. 

Instituição

Este é um dos fatores mais importantes, pois você deve escolher uma instituição em que acredita nos valores e nas atividades realizadas com a comunidade. Se pretende realizar Radiologia, por exemplo, uma dica é pesquisar a instituição mais recomendada para essa área e escolhê-la confiando no padrão de qualidade.

Cada instituição possui site próprio, em que a história é apresentada e as dúvidas sobre os programas são esclarecidas em linhas gerais. Uma alternativa é buscar relatos de quem já foi aprovado nas provas de residência médica e está fazendo o curso desejado. 

Como parte da sua pesquisa, você pode ver vídeos no YouTube e o podcast Finalmente Residente. Neste segundo, residentes de diversas especialidades e instituições contam tudo sobre o processo seletivo e as atividades práticas nos plantões. 

Próximos passos

Um planejamento a longo prazo é sempre importante. Por isso, ao escolher entre as vagas em que foi aprovado ou deseja participar dos processos seletivos, leve em consideração onde deseja trabalhar e se deseja continuar estudando. 

Por exemplo, se pretende trabalhar em São Paulo, escolha uma residência na capital ou nas proximidades. Isso será melhor para seguir a carreira após o término do programa ou continuar os estudos em uma subespecialização. 

Prepare-se para a residência médica com a gente!

Esperamos que este artigo tenha te ajudado a aprender como escolher residência médica. Se você deseja se preparar para entrar em um programa de especialização ainda esse ano, aproveite para se matricular nos nossos cursos e melhorar o desempenho nos estudos. 

Outra dica bônus são os conteúdos da Academia Medway. Aqui, você encontra e-books e minicursos 100% gratuitos, que complementam seus estudos e aumentam suas chances de aprovação!

Receba conteúdos exclusivos!

Telegram
JoanaRezende

Joana Rezende

Carioca da gema, nasceu em 93 e formou-se Pediatra pela UFRJ em 2019. No mesmo ano, prestou novo concurso de Residência Médica e foi aprovada em Neurologia no HCFMUSP, porém, não ingressou. Acredita firmemente que a vida não tem só um caminho certo e, por isso, desde então trabalha com suas duas grandes paixões: o ensino e a medicina.