Carregando

Descubra o peso do currículo na residência médica da Unicamp

Está se preparando para a residência médica da Unicamp? Excelente escolha! Essa é, com certeza, uma das melhores instituições do país para você começar a ter experiência prática e vivência na rotina médica. Mas é importante lembrar que o processo seletivo é bastante concorrido. Mesmo que você esteja se preparando para as provas e fazendo revisões nos últimos tempos, vale ressaltar que o currículo na residência médica da Unicamp também tem um peso significativo em seus resultados. Muita gente se esquece disso e acaba deixando essa etapa sem preparação, então não entre para esse time!

Já que você está aqui, é hora de saber um pouco mais sobre essa etapa e o que fazer para conseguir encará-la com sucesso. Vamos lá? Continue a leitura deste artigo!

O currículo no processo seletivo de residência

O currículo consiste em uma parte bem importante do processo seletivo para residência médica. Afinal, ele atua como um documento que apresenta toda a experiência que você acumulou ao longo de seus anos da graduação em Medicina.

Em geral, sua análise acontece entre a primeira e a segunda etapa do processo. E tem caráter classificatório apenas, ou seja, quem tem que ser eliminado de vez da lista de candidatos, é eliminado ainda nos resultados das provas objetivas e/ou práticas.

A análise do currículo pode ser feita com ou sem arguição da banca. Quando não há a oportunidade de debate, o candidato precisa apresentar um texto no qual fala um pouco sobre as experiências que decidiu destacar em seu currículo, de forma crítica e reflexiva.

As experiências listadas no histórico curricular devem apontar sempre para o desenvolvimento de habilidades sociais e de prática médica do aluno. Você pode incluir oportunidades de monitoria, iniciação científica, publicações, eventos e congressos, projetos de extensão, entre outros.

Lembre-se, porém, que você precisará comprovar todas as experiências listadas. Ter certificados em mãos é essencial, pois sem eles o currículo perde a credibilidade. Quando o certificado não é emitido, entre em contato com os responsáveis e solicite um atestado que comprove sua participação naquela ocasião.

O currículo na residência médica da Unicamp

Diante de todos esses detalhes, qual é o peso do currículo na residência médica da Unicamp? Em termos práticos, ele tem peso 10, sendo então 10% de sua nota no processo seletivo. No entanto, existem outros fatores que contribuem para sua importância. Veja só!

Como chegar até lá

Antes de chegar até a análise de currículo, é preciso passar pela primeira fase do processo seletivo da Unicamp. Ela tem peso 90 e é constituída de duas provas. A primeira é um teste de múltipla escolha, com peso 35. São 80 questões que envolvem as áreas básicas de Cirurgia Geral, Clínica Médica, Obstetrícia e Ginecologia, Medicina Preventiva e Social e Pediatria.

A segunda prova é de cunho dissertativo e tem peso 55. Ela é pontuada de 0 a 10 e conta com 60 questões que devem ser respondidas com textos curtos e objetivos. O conteúdo também envolve as cinco grandes áreas da Medicina. Deu para perceber que a instituição é bastante exigente, não é mesmo?

Por isso, é importante correr atrás de provas de edições passadas, se dedicar a vídeo aulas, aproveitar materiais gratuitos e análises de questões para se preparar para essa etapa. Outro fator que faz a diferença é acompanhar a nota de corte e a quantidade de candidatos por vaga da instituição e da especialidade que você quer.

Assim, você fica por dentro do que te espera e descobre para onde direcionar melhor seu foco. E não deixa de incluir seu currículo nessa área de atenção, é claro! Ah! Neste momento em que temos que ser cuidadosos em relação à pandemia, a prova prática não é realizada, mas pode ser que em um futuro edital ela faça parte do processo seletivo.

Avaliação do currículo na residência médica da Unicamp

A última fase desse processo seletivo é a avaliação do currículo. Ela tem a pontuação de 0 a 10, com valores diferentes para cada atividade apresentada. O candidato que passa pela primeira fase deve fazer um upload de arquivo em PDF com o currículo para o e-mail fornecido pela organização da instituição.

Este arquivo deve conter:

  • cópia do diploma de graduação ou declaração de conclusão do curso;
  • cópia do histórico escolar do curso de graduação;
  • formulário de avaliação de currículo (disponibilizado pela instituição no site do processo seletivo);
  • cópias dos documentos comprobatórios.

Agora, em relação aos itens que recebem pontuação na Unicamp, são eles:

  • iniciação científica com duração mínima de 5 meses (com bolsa pontua mais do que sem bolsa);
  • trabalhos apresentados em congressos;
  • artigos publicados;
  • consórcio de teste progresso;
  • ligas acadêmicas, centro acadêmico ou atlética comprovada;
  • representação discente em colegiados da faculdade ou da universidade;
  • tempo de internato de 2 anos;
  • plantões de internato com mais de 750 horas comprovadas.

Em comparação a outras instituições, as exigências da Unicamp são maiores. Daí a importância de se ter atenção desde o início da graduação para ter um currículo completo quando chegar a vez da residência.

Mais uma vez, por causa da pandemia, as especialidades não têm a etapa de entrevista. No entanto, em futuros editais ela pode estar presente. Ela normalmente ocorre alguns dias após a prova prática e você terá que responder a algumas perguntas sobre as experiências listadas no documento.

As entrevistas acontecem em salas diferentes da universidade, com uma banca de especialistas que atua na sua área de escolha. Quando não há esse momento de arguição, é essa mesma banca que analisa item por item do seu currículo para fornecer a pontuação adequada.

É isso aí! 

Agora que você já sabe o peso do currículo na residência médica da Unicamp, pode começar a preparar esse documento tão importante de acordo com as exigências do edital. E se você ainda está na graduação, não se esqueça: turbiná-lo nesse período faz toda a diferença, para chegar ao processo seletivo com tudo engatilhado!

E, se você precisar de ajuda em relação à prova escrita, já sabe, não é mesmo? Venha para a Academia Medway e aproveite uma série de conteúdos exclusivos que podem ajudar você a estudar de verdade e arrasar na pontuação da primeira fase do processo de residência. Esperamos por você!

Receba conteúdos exclusivos!

Telegram
JoanaRezende

Joana Rezende

Carioca da gema, nasceu em 93 e formou-se Pediatra pela UFRJ em 2019. No mesmo ano, prestou novo concurso de Residência Médica e foi aprovada em Neurologia no HCFMUSP, porém, não ingressou. Acredita firmemente que a vida não tem só um caminho certo e, por isso, desde então trabalha com suas duas grandes paixões: o ensino e a medicina.