Carregando

Epinefrina: tudo que você precisa saber sobre

Fala galera, beleza? Hoje o texto é sobre a famosa epinefrina, também muito conhecida como adrenalina. Bora entender melhor?

Primeiramente, o que é a adrenalina?

Ela é um hormônio secretado pelas glândulas suprarrenais e certas emoções, como medo ou raiva, fazem com que a epinefrina seja liberada na corrente sanguínea, assim, criando uma “reação de voo ou luta”. O corpo apresenta um aumento na frequência cardíaca, força muscular, pressão arterial e metabolismo da glicose, mimetizando  a ação do sistema nervoso autônomo simpático. 

A epinefrina age em receptores alfa e beta adrenérgicos, quando em doses baixas, atuam nos receptores beta e quando em altas doses ativam receptores alfa adrenérgicos.

RECEPTORES ADRENÉRGICOS

Alfa 1Alfa 2Beta 1 Beta 2
vasoconstriçãoaumento da resistência periférica aumento da pressão arterialmidríase estímulo da contração do esfincter superior da bexigainibição da liberação de noradrenalina inibição da liberação de insulinataquicardiaaumento da lipóliseaumento da contratilidade do miocárdiovasodilataçãodiminuição da  resistência periféricabroncodilataçãoaumento glicogenólise muscular e hepática aumento da liberação do glucagonrelaxamento da musculatura uterina

As indicações para o uso de Epinefrina na sala de emergência são: 

  • Parada cardiorrespiratória
  • Choque circulatório refratário 
  • Anafilaxia e choque anafilático
  • Asma grave ou refratária a medidas iniciais 
  • Controle de pequenas hemorragias cutâneas 

E as contra-indicações ??? Sendo uma medicação muito usada em situações de emergência, a contra-indicação da Epinefrina é em pacientes que apresentam hipersensibilidade conhecida a qualquer componente da fórmula. Já as outras contra-indicações são relativas, são elas: glaucoma de ângulo fechado, hipertensão, hipertireoidismo e durante o trabalho de parto (risco de anoxia fetal). Não devemos esquecer que em pacientes com insuficiência cardíaca a Epinefrina pode ser prejudicial, uma vez que ela aumenta o trabalho do miocárdio e reduz a perfusão dele. 

Ela pode ser realizada via intramuscular, injetável ou subcutânea.

INDICAÇÕES DE USO DA ADRENALINA NA SALA DE EMERGÊNCIA 

PARADA CARDIORRESPIRATÓRIA CHOQUE ANAFILÁTICOASMA GRAVE CONTROLE DE HEMORRAGIAS
Adulto: dose de 1mg de 3-5min.Criança: dose de 0,1mg/kg IV ou IO de 3-5min.Adulto: 0,5mg IM na face antero-lateral da coxa. Criança: 0,01 mg/kg até o máximo de 0,3 mg IM na face antero-lateral da coxa.Adulto: 0,3-0,5 mg, IM ou SC. Usado em casos de refratariedade de medidas iniciais.Usar em apresentação aquosa na diluição de 1 / 1000 é a normalmente utilizada embebida em algodão ou gaze ou mesmo na forma de spray. Porém não é capaz de interromper definitivamente o sangramento.Não se esqueça!!! HEMORRAGIAS? compressão e contenção do sangramento.

Tabela de infusão contínua de adrenalina

Dose: 2 a 10 mcg/min ou  0,1 a 2 mcg/kg/min

Diluição (concentração 60mcg/ml): Soro Glicosado 5% 188ml + 12 ampolas de Epinefrina

Dose (mcg/Kg/min)0,1mcg0,5mcg1mcg1,5mcg2mcg
50Kg5 ml/h25ml/h50ml/h75ml/h100ml/h
60Kg6ml/h30ml/h60ml/h90ml/h120ml/h
70Kg7ml/h35ml/h70ml/h105ml/h140ml/h
80Kg8ml/h40ml/h80ml/h120ml/h160ml/h
90Kg9ml/h45ml/h90ml/h135ml/h180ml/h

Push dose de epinefrina, já ouviu falar?

Galera, o push dose de Epinefrina está sendo muito queridinho pelos os emergencistas. É uma técnica usada há muito tempo pelos anestesistas, e nada mais é do que a administração de pequenas doses intermitentes de vasopressores para otimizar o estado hemodinâmico do paciente, e a Epinefrina é a droga mais utilizada, devido à sua menor tendência de causar taquicardia ou reduzir o débito cardíaco. Tá passada? Já imaginou você conseguir manter uma PAM adequada de um modo prático e rápido? 

 Mas Julia, como eu preparo a solução? Como eu uso? Bom… Basta você pegar uma ampola de Epinefrina 1mg (1000mcg) e diluir em 99 ml de Soro Fisiológico, assim ficará uma solução de 10 mcg/ml, você pode fazer de 1-3 ml a cada 5 min. 

1 amp Epinefrina + 99ml SF0,9% = 10mcg/ml1 – 3 ml de 5/5min 

É isso!

Bom galera, eu espero que vocês tenham gostado deste assunto e que tenham esclarecido algumas dúvidas, agora é só chegar no seu plantão e deixar sua Push Dose já no esquema que você não vai mais passar apertado.  E se caso você ainda não domina o plantão de pronto-socorro 100%, fica aqui uma sugestão: temos um material que pode te ajudar com isso, que é o nosso Guia de Prescrições. Com ele, você vai estar muito mais preparado para atuar em qualquer sala de emergência do Brasil.

Pra quem quer acumular mais conhecimento ainda sobre a área, o PSMedway, nosso curso de Medicina de Emergência, pode ser uma boa opção. Lá, vamos te mostrar exatamente como é a atuação médica dentro da Sala de Emergência, então não perde tempo!

Bons estudos e até a próxima!

Receba conteúdos exclusivos!

Telegram

É médico e quer contribuir para o blog da Medway?

Cadastre-se
JuliaQueiroz

Julia Queiroz

Nascida em Catanduva, interior de São Paulo. Médica pela faculdade do Oeste Paulista, louca e apaixonada pela Medicina de Emergência e Medicina Humanitária. Residente de medicina de emergência no Hospital Alemão Oswaldo Cruz e pós-graduanda em Medicina Aeroespacial.