Carregando

Especialidades médicas menos concorridas no SUS-SP: saiba quais são

Está se preparando para prestar a prova de residência? Tem vontade de começar a atuar no sistema público de saúde? Então, que bom que chegou até aqui! Porque o assunto da vez são as especialidades médicas menos concorridas no SUS-SP!

Ainda que sejam várias instituições vinculadas à rede, o que permite mais vagas abertas e atrai mais interessados, alguns programas realmente mostram aquela folga na concorrência. Porém, é claro que esse não é sinal verde para abandonar a rotina de estudos.

Pelo contrário, é um estímulo para você se concentrar ainda mais e sair na frente da galera. Então, vamos lá! Continue a leitura e aproveite também algumas dicas sobre o processo seletivo que a gente separou.

Especialidades médicas menos concorridas no SUS-SP: saiba quais são
Quais são as especialidades médicas menos concorridas no SUS-SP?

A prova de residência médica do SUS-SP

Antes de falar sobre as especialidades médicas menos concorridas no SUS-SP, vale a pena repassar como funciona a prova. Afinal, ela é um pouco diferente das demais instituições que oferecem programas de residência.

Para começar, são 50 instituições e mais de 700 vagas disponíveis nessa disputa. O processo seletivo é de fase única, ou seja, você precisa enfrentar apenas uma prova com 100 questões de múltipla escolha.

Significa que é mais fácil? De jeito nenhum! O conteúdo é puxado e o nível de dificuldade, alto. Ainda mais pela falta da prova prática, é preciso compensar o desafio de outra forma, concorda?

Em compensação, os temas que caem são considerados um tanto quanto previsíveis, e as questões, objetivas e diretas. Assim, se você estudar com dedicação a partir de outras edições da prova, tem chances de se dar muito bem.

Outra coisa importante é que o SUS-SP trabalha com um sistema de leilão de vagas. Quanto maior a sua nota final, mais opções de instituições você terá para escolher, porque esse processo funciona de acordo com a ordem de classificação por especialidade.

Você precisará comparecer pessoalmente ao leilão e assinar uma lista, para depois ter direito de escolha. Vale ressaltar, ainda, que a lista costuma rodar bastante, porque na época em que a prova do SUS-SP é aplicada, muitas instituições já realizaram suas provas e os candidatos passaram e fizeram matrícula. Então, fique de olho!

Quais são as especialidades médicas menos concorridas no SUS-SP?

Agora sim, veja na tabela abaixo quais são as especialidades médicas menos concorridas do SUS-SP. Será que a que você deseja cursar faz parte dessa lista?

EspecialidadeCandidato/Vaga
Medicina Nuclear1,57
Medicina Física e Reabilitação2,25
Radioterapia2,35
Medicina de Emergência2,88
Medicina da Família e Comunidade2,95
Ortopedia e Traumatologia4,90
Patologia5,16
Pediatria6,20
Radiologia e Diagnóstico por Imagem7,36
Infectologia7,66

Como você pode ver, a Medicina Nuclear apresenta uma concorrência ínfima. Em compensação, os números começam a subir com a Ortopedia e Traumatologia, e na Infectologia já apresentam um número considerável, mesmo que esteja abaixo de outras mais populares. Mesmo assim, não dê mole!

Pronto, agora você já sabe quais são as especialidades médicas menos concorridas no SUS-SP!

É isso aí! Essas são as especialidades médicas menos concorridas no SUS-SP. Mas, como a gente fala e sempre reforça, nada de se distrair e achar que menos gente é sinônimo de menos dedicação.

Se a escolha da instituição na qual você fará residência médica depende da ordem de classificação, nesse caso, é mais um motivo para você focar nos estudos. Assim, poderá escolher primeiro!

Para te ajudar nessa, bora estudar com a gente no CRMedway Online ou CRMedway Online+Presencial. E ainda aproveitar o conteúdo da Mentoria para se dar bem. Te esperamos!

Receba conteúdos exclusivos!

Telegram
Ana KarolineBittencourt Alves

Ana Karoline Bittencourt Alves

Catarinense nascida em 1995, criada em Imbituba e apaixonada por uma praia. Formada pela Universidade Federal de Santa Catarina em 2018, com residência em Clínica Médica pela Universidade de São Paulo (USP-SP 2019-2021) e professora de Clínica na Medway. "Ensinar não é transferir conhecimento, mas criar as possibilidades para a sua produção ou a sua construção. Quem ensina aprende ao ensinar e quem aprende ensina ao aprender" - Paulo Freire.