Carregando

Como passar na prova para residência médica?

A gente sabe que, para se tornar um bom profissional na sua área, o médico vai precisar passar por um longo trajeto que inclui muitos anos de estudo e dedicação desde a graduação em Medicina. São seis longos anos na faculdade com uma rotina exaustiva e intensa e que demanda tempo integral pra passar por ela com a segurança necessária pra encarar o mundo lá fora. Mas depois disso, é chegada a hora de buscar foco em um campo específico e muitos médicos escolhem a residência médica como o caminho mais usual e também o mais tradicional. E aí vem a grande questão: como passar na prova para residência médica?

Mas você sabe o que realmente significa fazer uma prova de residência médica? E mais! Por que é tão difícil ser aprovado nessa prova? Como essas são perguntas recorrentes que    permeiam a vida de quem está na preparação para a residência, vem com a gente descobrir como passar na prova de residência médica e mandar muito bem nas fases desse processo! 

Saindo da graduação em Medicina 

Depois que o médico conclui a faculdade e todos os seus ciclos, consegue sua aprovação e diploma, ele vai precisar obter o registro oficial de médico no Conselho Regional de Medicina (CRM) de sua região pra, de fato, começar a trabalhar como médico generalista no serviço público ou privado. Não pode se dedicar a nenhuma área específica ainda pois não tem certificação pra isso. É por conta disso que muitos preferem buscar a titulação de especialista por meio da residência médica

Nossa base pra essa discussão foi o documento da Demografia Médica no Brasil 2020. Em novembro de 2020, o Brasil passou a contar com 500 mil médicos, uma marca histórica. Com isso, o país passa a ter a razão de 2,38 médicos por 1.000 habitantes. Trata-se do maior quantitativo e da maior densidade de médicos já registrados. Apenas na última década, de 2010 a 2019, 179.838 novos médicos entraram no mercado de trabalho no Brasil. O crescimento inédito da força de trabalho médica foi ocasionado pela abertura de novas escolas e pela expansão de vagas em cursos de Medicina já existentes. E boa parte dessa galera vai buscar uma vaga na residência. 

A residência médica é mesmo muito concorrida? 

Pra você ter só uma ideia, nos últimos anos muitas universidades, tanto públicas quanto particulares, têm aberto novos cursos de Medicina autorizados pelo MEC (Ministério da Educação). Com isso, mais de 30 mil médicos recém-formados saem pro mercado de trabalho todo ano

Mas, infelizmente, a criação e oferta e de vagas de especialização nas residências médicas não acompanham o mesmo crescimento quase que exponencial da graduação, o que faz com o que o gargalo fique cada vez mais apertado e acirre ainda mais a disputa. Isso quer dizer que, de todos os recém-formados, poucos poderão ingressar nas residências que, em média, têm disponíveis pouco mais de 7 mil vagas. Então, se a gente já achava que era difícil entrar na faculdade de Medicina, dá pra perceber que pra ir pra residência a coisa pode ficar mais complicada. 

Como são muitos graduados que terminam a faculdade e optam logo de cara por fazer a residência médica pra alavancar a carreira com uma especificação, muitos vão disputar as as poucas vagas nos programas disponíveis no Brasil, em alguma das 55 especialidades médicas reconhecidas atualmente no país. 

Mas assim como o vestibular, o processo de seleção para as provas de residência médica são exigentes e nem todos que o disputam estão devidamente preparados e conscientes de todas as suas etapas. Logo, saber definir um objetivo e se preparar especificamente pra esse fim ajuda e muito a conquistar a tão sonhada vaga na especialização. Por isso é tão importante saber como passar na prova para a residência médica.  

As principais dificuldades pra entrar na residência médica

Você, que sonha em cursar a especialidade que vai transformar sua realidade profissional, quer saber o que esperar pra contornar com sucesso todos estes obstáculos e garantir sua aprovação, né? Então vamos em frente! 

A concorrência 

Pra começo de conversa, é bom saber que a grande primeira dificuldade de quem vai encarar as provas de residência médica é mesmo a concorrência. A gente já te contou que por causa do déficit imensurável entre a quantidade de médicos recém-formados que saem anualmente da graduação e a quantidade de vagas nos programas de residência, esse é o maior entrave pra se conseguir ingressar, de imediato, na especialização. Existem menos vagas de residência do que médicos graduados, o que torna a concorrência bastante alta. Por outro lado, uma parte das vagas de residência não é ocupada. Mais de um quarto das vagas de R1 autorizadas pelo MEC não foram ocupadas em 2019. Parece estranho, né? Vou te contar o porquê! 

São muitas as explicações possíveis. Uma delas é que uma parte dos aprovados nas residências simplesmente desiste das vagas, por motivos variados. Mas também existem programas que tiveram expansão de vagas nos últimos anos sem que a procura aumentasse, como foi o caso da residência em Medicina de Família e Comunidade. Pode, também, haver discrepância entre as vagas autorizadas e as vagas de fato oferecidas, além de existir chance de os registros demorarem pra ser atualizados quando um médico conclui a residência, o que faz com que sua vaga pareça estar ocupada sem estar de fato. 

Mas isso não muda o fato de que as instituições mais renomadas do país têm uma concorrência bem alta. Só pra você ter uma ideia, as notas de corte nos processos seletivos para a Unicamp (Universidade Federal de Campinas) nos últimos anos foram elevadas e as quase 300 vagas oferecidas foram disputadas por mais de 2900 candidatos, uma relação de aproximadamente 10 concorrentes para cada oportunidade! Isso sem contar as especialidades pouco concorridas! Na USP, as notas de corte também não ficam mais baixas! E estamos falando de todas as especialidades! Isso porque nas especialidades mais concorridas, a competição fica ainda mais acirrada. Quer saber quais são as especialidades mais difíceis do Brasil? Dá só uma olhada nesse artigo que fizemos aqui! 

O valor da prova

Esse fator também pode dificultar o ingresso nas residências médicas se a gente considerar que quem deseja uma vaga, não vai se candidatar em apenas uma instituição já que a concorrência é grande, não é mesmo? E se a gente pensar que a maioria dos candidatos estão acabando de sair da faculdade, buscando inserção no mercado de trabalho, tentando levantar uma verba pra estudos e pra viver, o valor da inscrição para as provas de residência pode ser bem alto e variar entre R$ 500 e R$ 1000 em alguns casos, dependendo da instituição. Sem contar com despesas de transporte, hospedagem e alimentação. 

Como passar na prova de residência médica: rotina de preparação de estudos

Não tem jeito nem receita mágica. Se você quer saber como passar na prova para residência médica, saiba que o caminho é estudar e estudar! E mais, você precisa se preparar de maneira específica para cada prova e cada instituição! Essa é a vida de quem deseja passar na prova de residência médica.

Além de conciliar a rotina de estudos com outras atividades, como o trabalho, plantões e, para alguns, casamento, filhos e família, ainda há muitos candidatos que nem terminaram as provas da própria faculdade e já estão estudando para entrar na residência. Dois processos difíceis que merecem atenção pra lá de especial! E nem todos têm tempo para se dedicar a esse exame. Muitos optam por estudar com a ajuda de cursos preparatórios e outros por conta própria. Mas será que vale a pena estudar sozinho para as provas da residência? Leia nosso artigo para descobrir!

As provas de residência médica

A prova em si não é nada fácil. E demanda tempo! São meses de preparação nos quais o médico vai precisar passar por uma bateria de exames teóricos e práticos, além de uma entrevista profissional. Isso sem contar os entraves que a gente já mencionou lá em cima! Mas, não desanima não! É perfeitamente possível ser aprovado na prova de residência e dar esse up na sua carreira de médico! Por isso, a gente vai te dar umas dicas de como se preparar com qualidade e eficiência e superar todas essas dificuldades.

Vamos começar pela principal dificuldade dos processos de seleção da residência, que é o nível de conhecimento técnico exigido dos candidatos nele inscritos. Pra dar conta de passar por cima desse obstáculo é importante que você mantenha uma rotina de estudos organizada, revisando periodicamente boa parte do conteúdo ensinado em sala de aula, para não ser traído pela memória no momento do exame. Mas fica de olho: você não tem que ver todo o conteúdo! Você não precisa estudar tudo. A maior parte dos cursinhos oferece mais de 60 apostilas, mas não faz nenhum sentido que você se preocupe em ler todas. Primeiro porque é impossível. Segundo, e mais importante, porque não é necessário!

Siga no caminho para descobrir como passar na prova de residência médica

Já pra etapa mais temida, que é a etapa da entrevista, o medo costuma bater e esse pode ser considerado outro momento de extrema dificuldade na realização da prova de residência médica. Principalmente pra quem não mostra identificação com a área escolhida. Para aumentar as suas chances de sucesso neste momento, procure estudar minuciosamente e analisar intimamente as estações da instituição que deseja pra responder com agilidade e confiança todas as questões formuladas pelo examinador, sem se deixar tomar pelo nervosismo! E a gente te ajuda nessa! O João já deixou pra gente 5 dicas de ouro dos detalhes da prova prática que certamente você não sabe! Não vai perder essa, vai?! E aproveita e pega aqui um e-book gratuito pra brilhar nas provas práticas de qualquer residência médica! 

Porque é assim, qualquer processo seletivo exige treino pra dar segurança. Então, é bom treinar com quem sabe! Quem já passou por isso e vai te ajudar! Pra estudar conforme seus objetivos e conhecer mais conteúdos gratuitos sobre as provas de residência médica e os guias estatísticos com os temas que mais caem nas instituições, o melhor caminho é a Academia Medway.

E não deixa de escutar histórias de quem já passou na residência! Já conhece o podcast Projeto R1 São Paulo? Tá esperando o que pra ouvir — em qualquer lugar — entrevistas e bate papos com os aprovados nas melhores instituições de SP?

Se você já está na vibe de estudar, saiba que você pode dar os primeiros passos nessa jornada no Intensivo São Paulo, nosso curso que rola a partir do meio do ano com foco total nas instituições paulistas de residência médica! Conheça para treinar conforme seu objetivo e bora pra cima!

Até mais, moçada!

Receba conteúdos exclusivos!

Telegram
JoanaRezende

Joana Rezende

Carioca da gema, nasceu em 93 e formou-se Pediatra pela UFRJ em 2019. No mesmo ano, prestou novo concurso de Residência Médica e foi aprovada em Neurologia no HCFMUSP, porém, não ingressou. Acredita firmemente que a vida não tem só um caminho certo e, por isso, desde então trabalha com suas duas grandes paixões: o ensino e a medicina.