Carregando

Genograma: confira tudo que você precisa saber

E aí, quem tá a fim de saber tudo sobre genograma? Esse é um tópico bastante importante relacionado às ferramentas de abordagem familiar, e hoje vamos falar dele para que você se torne um craque no assunto. Está preparado? Então, continue a leitura com a gente! Vamos lá!

Hoje em dia, ao se falar de cuidado em saúde, é necessário levar em consideração o ambiente no qual o paciente está inserido. Não dá para discutirmos a saúde de um trabalhador sem discutir o seu ambiente de trabalho, por exemplo. 

Nesse contexto, também não podemos ignorar que a estrutura familiar de uma pessoa também é fundamental para o seu processo de desenvolvimento de saúde, bem como de doenças. 

Não apenas pela característica genética de algumas doenças, mas também para entender as relações entre os membros da família e as possíveis redes de apoio em um tratamento. Uma dessas ferramentas de abordagem familiar é o genograma.

O que é genograma?

O genograma é um instrumento interessante para aumentar o conhecimento sobre as famílias. Trata-se de uma representação gráfica do sistema familiar, preferencialmente em três gerações, que utiliza símbolos padronizados para identificar os componentes da família e suas relações.

O genograma é como uma foto de um determinado momento e pode ser reformulado quando ocorrem mudanças significativas. As equipes de saúde não realizam intervenções terapêuticas, mas têm condições de identificar pontos de conflito que podem dificultar suas ações de promoção de saúde. 

Além disso, podem usar esse instrumento para identificar a presença de problemas de saúde, pessoas que necessitem de cuidados especiais e outros pontos interessantes para suas intervenções. 

A vantagem é que apresenta um modo resumido e universal de representação do grupo familiar, compreensível por todos que o conhecem, evitando textos longos e, na maioria das vezes, pouco precisos na descrição da composição familiar.

Regras básicas para sua construção

  1. Símbolos padronizados
  2. No mínimo, três gerações;
  3. Nomes dos membros da família;
  4. Ano de nascimento ou idade;
  5. Mortes, com idade ou data da morte e sua causa;
  6. Problemas ou doenças significativas;
  7. Datas de casamentos e divórcios. 

Componentes de um genograma

  1. Indicação dos membros que vivem juntos na mesma casa;
  2. Relações familiares e vitais mais significativas;
  3. Desenhar primeiro o casal com seus filhos;
  4. Fase do ciclo de vida;
  5. Sistema familiar de origem;
  6. Estressores;
  7. Interpretações do problema.

 Os símbolos mais utilizados em genogramas estão representados na figura abaixo.

Símbolos do genograma
Símbolos do genograma. Fonte: https://www.researchgate.net/figure/Figura-1-Descricao-dos-simbolos-utilizados-na-construcao-do-genograma-e-ecomapa-Sao_fig1_338048457 
Exemplo de genograma
Genograma da família da D. ALice (fonte: https://www.researchgate.net/figure/Figura-1-Genograma-familiar-do-caso-1-Rose-como-prefere-ser-chamada-a-mae-nasceu-no_fig1_49608630)

O genograma na prática

A utilização do genograma como ferramenta de abordagem familiar é muito benéfica na prática médica.

Isso porque, além de mostrar de maneira mais clara quais são os desafios encontrados ao longo da construção do cuidado com um indivíduo, também capacita os profissionais de saúde para criação de vínculo com os pacientes, proporcionando maior efetividade na resolução dos casos. 

É importante destacar a falta de preparo dos profissionais de saúde em conduzir situações complexas e particulares, que exigem grande dedicação e persistência, sendo eficientes para detectar as fragilidades e vulnerabilidades do grupo, mas que se mostraram pouco preparados durante o processo de resolução do problema. 

A utilização das ferramentas de abordagem familiar permite a identificação de fragilidades, vulnerabilidade, patologias prevalentes, funcionalidades da família acompanhada, além de expor a identificação das causas que distanciam o paciente do cuidado oferecido pela Unidade de Saúde. 

Essa aplicação e, principalmente, as ações realizadas após o diagnóstico situacional que essa ferramenta traz consigo, são importantes para restaurar a confiança do usuário e restabelecer o vínculo que pode ter sido quebrado em algum momento quebrado. 

É isso!

Agora você sabe mais sobre o genograma! Então, confira outros conteúdos que publicamos aqui, no blog. Eles foram feitos especialmente para você mandar bem no seu plantão e ficar por dentro dos mais variados assuntos.

Além disso, se deseja conferir mais conteúdos de Medicina de Emergência, conheça a Academia Medway. Por lá, são disponibilizados diversos e-books e minicursos completamente gratuitos para auxiliar no seu aprendizado. 

Referências

ABUD, Simone Mourão. Instrumentos de Abordagem Familiar: Genograma e Ecomapa.   Disponível em: https://edisciplinas.usp.br/pluginfile.php/4365565/mod_resource/content/1/Texto%202%20genograma%20e%20ecomapa.pdf. Acesso em: 13 mar. 2022.

SILVA , Lucia. Encontrando-se em casa: uma proposta de atendimento domiciliar para famílias de idosos dependentes,Acta Paul Enferm, p. 397-403, 2007.

UNA- SUS, Unifesp. Texto sobre Abordagem Familiar: elaboração de genograma e Ecomapa. Disponível em: https://ares.unasus.gov.br/acervo/html/ARES/15248/1/GENOGRAMA%20e%20ECOMAPA%20(1).pdf. Acesso em: 13 mar. 2022.

FURTADO NOGUEIRA, Assis Porfirio et al. A importância do uso do genograma para compreensão da dinâmica familiar. Revista de Enfermagem UFPE on line, [S.l.], v. 11, n. 12, p. 5110-5115, dez. 2017. ISSN 1981-8963. Disponível em: <https://periodicos.ufpe.br/revistas/revistaenfermagem/article/view/23522>. Acesso em: 16 mar. 2022. https://doi.org/10.5205/1981-8963-v11i12a23522p5110-5115-2017.

Receba conteúdos exclusivos!

Telegram

É médico e quer contribuir para o blog da Medway?

Cadastre-se
JéssicaSilva Aguiar

Jéssica Silva Aguiar

Nascida em Ribeirão Preto, interior de São Paulo desde 1991. Formada pelo Centro Universitário Barão de Mauá (CBM). Residência em Medicina de Família e Comunidade na Faculdade Medicina de Ribeirão Preto (FMUSP-RP).