Carregando

O que faz o médico de família: saiba tudo sobre essa especialidade

O médico de família é aquele profissional que vai contribuir de maneira excepcional nas demandas do Sistema Único de Saúde, o SUS, e sabe por quê? Ele é um generalista e por isso mesmo tem condições de direcionar melhor seus pacientes a outros centros médicos, hospitais ou especialistas, uma vez que faz parte de suas atribuições primar pelo atendimento integral das pessoas, das famílias e também da comunidade, não apenas por meio de ações curativas, mas incluindo competências preventivas e terapêuticas.

Por conta desse papel importante na comunidade, o médico de família faz toda a diferença na unidade onde presta atendimento, pois é o seu o conhecimento da vida das pessoas daquela comunidade — levando em consideração não só a questão biológica, mas também fatores psicológicos e sociais (a personalidade, a experiência de vida do paciente, seu ambiente também interferem na enfermidade) — que ajuda de forma mais rápida e eficiente toda uma população.

E se você ainda não percebeu o local de destaque que ocupa esse profissional na vida e na sociedade, sabe aquele médico que conhece desde o avô ao bebê recém-chegado na família? Que o paciente confia e que é sempre o primeiro médico a ser consultado quando surge um problema? Então, esse é o médico da família. 

O médico de família e o clínico geral: é tudo a mesma coisa? 

Não! Não é não! O termo clínico geral é usado, equivocadamente, entre os leigos, para designar aquele médico que não tem especialidade alguma. Mas a Clínica Médica ou também conhecida como Medicina Interna, é uma especialidade que serve de pré-requisito para várias subespecialidades, como a Cardiologia, a Gastroenterologia e a Neurologia, por exemplo. 

Já o médico que é formado em Medicina de Família e Comunidade é um especialista em pessoas, sem restrição de idade, de gênero ou mesmo de doenças: ele pode tratar do bebê ao idoso de uma mesma família. Isso porque é ele que vai observar as relações pessoais do seu paciente, seu ambiente de trabalho e a comunidade em que vive e, se precisar, vai fazer os encaminhamentos para especialistas focais. Ele é especializado em ser o primeiro médico a ser consultado quando a pessoa precisa de um! E olha que legal: em vez de conhecer um pouco de todas as doenças, como faz um recém-graduado ainda sem qualquer especialização, o médico de família e comunidade estudou pra conhecer a fundo a maioria das doenças mais frequentes e sabe como proceder com a avaliação inicial. 

O mercado de trabalho: rotina, remuneração e atuação

Você ainda quer saber se vale a pena embarcar nessa especialidade, né? Onde vai atuar? O que o futuro te espera? E a pergunta que não quer calar: quanto ganha um médico da família? Afinal de contas, os boletos sempre vêm! 

A maioria dos médicos da família vai para o Programa de Saúde da Família. E, por conta disso, quem mais absorve a demanda dos recém-especializados são mesmo as prefeituras municipais, que selecionam os médicos especialistas em Medicina da Família e Comunidade por meio de concurso público. Aí, segue a rotina das Unidades Básicas de Saúde (UBS) ou dos postos de saúde: em geral, o horário de trabalho é das 8h às 17h, de segunda a sexta-feira. Pra quem gosta de conciliar horários de trabalho com vida pessoal, é uma boa escolha! 

Mas não se esqueça de que nem todo posto de saúde fica em grandes centros urbanos, viu? A demanda de médicos especialistas em Medicina da Família e Comunidade também é grande em regiões rurais, áreas indígenas, quilombolas e ribeirinhas.

Ainda existe a possibilidade de atuação em unidades hospitalares de baixa e alta complexidade e em assistência em consultórios particulares, além de oportunidades em alguns planos de saúde privados. 

Há quem queira se aventurar por outros campos, como a educação, por exemplo. Pra quem quer encarar esse desafio e se tornar professor em universidades ou em cursos preparatórios, deve ficar de olho na formação: para atuar como professor de ensino superior, basta incluir no seu currículo um mestrado ou doutorado. Para cursos preparatórios, isso não é via de regra! Geralmente eles incluem cursos a distância e tutorias especializadas. 

Quanto ganha o médico de família?

Um médico de Família e Comunidade ganha, em média, R$ 11.672,94 no mercado de trabalho brasileiro para uma jornada de trabalho de 35 horas semanais de acordo com pesquisa do Salario.com.br junto a dados oficiais do Novo CAGED, eSocial e Empregador Web no período de Maio de 2020 a Abril de 2021.

A residência médica em Medicina da Família e Comunidade: como se especializar na área 

Se você pensa em ser esse profissional que vai atender toda uma comunidade e impactar fortemente o sistema público de saúde, o primeiro passo é se especializar, não é mesmo? Então vamos lá! A residência médica em Medicina da Família e Comunidade tem duração de 2 anos e é de acesso direto, ou seja, terminou a faculdade de Medicina e passou nos processos seletivos para a residência, já pode começar, sem a necessidade de pré-requisitos. 

E vou te contar uma coisa, a residência médica em Medicina da Família e Comunidade, hoje, abarca cerca de 13% do total das vagas de residência em instituições de todo o país. Além disso, nós esmiuçamos aqui no Blog quais são os princípios da estratégia de saúde da família. Outra coisa bacana sobre essa área é que segundo os dados do estudo Demografia Médica no Brasil 2020, o número de mulheres que ingressaram nessa especialidade vem crescendo a cada ano. 

O crescimento é reflexo da melhoria das políticas públicas na saúde coletiva e da conscientização da população em geral. Para você ter uma ideia do quão importante é a especialidade para a saúde pública, uma equipe de saúde da família bem formada pode resolver cerca de 75 a 85% dos problemas trazidos pela comunidade, não apenas no tratamento de doenças, mas também na promoção e proteção da saúde, prevenção de doenças, redução de danos e na reabilitação de pacientes. 

E se você quer saber um pouco mais sobre a rotina e as experiências de quem já está na residência, não precisa se coçar de curiosidade, vem cá e confere aqui a entrevista que fizemos com um residente que contou pra gente tudo sobre a Residência Médica em Medicina da Família e Comunidade na USP. Aproveita e dá uma olhada no nosso artigo sobre as instituições mais buscadas para se fazer a residência médica em Medicina da Família e Comunidade em São Paulo. 

E aí, já se imaginou como médico de família?

A gente sabe que escolher a especialidade para fazer residência médica pode ser angustiante pra muitos. Se você ainda não tem certeza que quer ser médico da família, pode pensar também em opções de instituições. Pra começar, que tal saber como é a prova de residência médica da USP? No nosso blog já contamos tudinho sobre a prova. Quem sabe não é lá que você vai realizar seu sonho?

Precisa de mais conteúdos? Conta com gente nessa empreitada! Aqui a parceria é forte! Na Academia Medway você encontra tudo, tudo mesmo, que você precisa saber pra mandar muito bem nas provas de residência de todo o país. E pra você se preparar do jeito certo, comece dando uma olhada no Guia Definitivo da Residência Médica na USP-SP que a gente fez pensando em você, que sonha em estudar na maior instituição de ensino médico da América Latina! Se você quer saber como passar na residência médica em Medicina da Família e Comunidade, vem com a gente! Bora pra cima! Vamos estudar juntos! 

Receba conteúdos exclusivos!

Telegram
JoãoVitor

João Vitor

Capixaba, nascido em 90. Graduado pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES) e com formação em Clínica Médica pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HC-FMUSP) e Administração em Saúde pelo Hospital Israelita Albert Einstein (HIAE). Apaixonado por aprender e ensinar.