Carregando

Hemorragia subaracnóide: tudo que você precisa saber

Pessoal, quando falamos de neuro, sempre sentimos que o assunto é mais difícil. Mas a hemorragia subaracnóide (HSA) nada mais é que um tipo de acidente vascular cerebral, sendo o traumatismo craniano, tão comum de atendermos nas urgências, a causa mais comum.

Em pacientes sem traumatismo cranioencefálico, a HSA é mais associada ao sangramento de um aneurisma cerebral. Por sua vez, um aneurisma cerebral é uma patologia arterial, que pode se romper e sangrar no espaço entre o cérebro e o crânio.

Fatores de Risco

  • Hipertensão Arterial
  • Tabagismo
  • Uso excessivo de álcool
  • Uso de cocaína e / ou metanfetamina
  • História familiar de aneurisma cerebral
  • Certos tipos de doenças do tecido conjuntivo
  • Aneurisma cerebral prévio

Quais são os sintomas de uma hemorragia subaracnóide?

O grande problema dessa doença é que, quando não é desencadeada por um trauma (evento que vamos investigar), muitas vezes ela é silenciosa. Um paciente com um aneurisma cerebral não sabe que tem a doença até que ele se rompe e cause sintomas que podem ser fatais.

Os sintomas clássicos são a dor de cabeça de forte intensidade (pior da vida), podendo ter tido um episódio mais leve prévio – cefaléia sentinela há uma semana – dor no pescoço ou nas costas, náusea e vômitos, fraqueza repentina, tontura, rebaixamento do nível de consciência e convulsões.

E como fazemos o diagnóstico?

  • Tomografia: A tomografia computadorizada (TC) do cérebro é uma maneira simples e eficaz de ver uma hemorragia subaracnóide. Podemos lançar mão de um refinamento do exame, que seria a AngioTomografia, para, visualizar os vasos sanguíneos usando material de contraste injetado por via intravenosa. Se o sangramento ocorreu há algumas semanas ou dias, a TC pode não identificar alterações.
TC sem contraste, com a seta indicando acúmulo de sangue por quadro de HSA
Legenda: TC sem contraste, com a seta indicando acúmulo de sangue por quadro de HSA
  • Punção lombar. Podemos fazer uma punção de líquido cefalorraquidiano, em busca de sangramentos. Aqui existe o famoso teste de três tubos. Se o sangue for ficando sumindo conforme fazemos a coleta, é porque foi só um sangramento da própria punção e não de uma possível HSA. Nela todos os tubos ficariam com sangue. 
  • Ressonância Nuclear Magnética: Vamos solicitar esse exame quando quisermos identificar quadros subagudos ou mais tardios, em que a imagem da tomografia não vai ser tão detalhada.

Tratamento e complicações da hemorragia subaracnóide

Quando pensamos em tratar uma hemorragia subaracnóide, temos que primeiro avaliar a condição clínica do paciente. Se for um sangramento de causa traumática, muito volumoso, com efeito de massa e possível herniação, pode ser necessário uma craniectomia descompressiva. 

Já para quadros menos agudos, podemos esperar o sangue tentar ser drenado pelos ventrículos, seriando tomografias para identificar sinais de estabilidade, melhora ou piora. Em alguns casos, em que o paciente evoluiu com hidrocefalia, pode-se propor uma derivação ventricular, ou seja dar uma força para o cérebro eliminar o sangue.

Nos casos de aneurismas, as opções para tratamento neurocirúrgico são a clipagem, na qual o fluxo de sangue para o aneurisma vai ser interrompido;   stent vascular, transpassando a falha na parede onde se tem o aneurisma; passagem de coil (serpentina), para estimular a coagulação e regressão aneurismática.

Aneurisma intracerebral cliapado.
Legenda: Aneurisma intracerebral cliapado.

As complicações que podem acontecer são vasoespasmo reflexo, onde os vasos sanguíneos vão tender a diminuir de calibre, para evitar sangramentos. Edema cerebral, com todos os sintomas que podem estar associados, como cefaléia e até convulsões. Quando o sangue é em uma quantidade maior, pode gerar hidrocefalia ao ser drenado pelos ventrículos, necessitando de uma derivação ventricular externa.

Assim, vemos os aspectos principais desse assunto tão extenso, tão complexo e com cirurgias dificílimos, em que machucar alguma coisinha pode ser um dano permanente para o paciente. Um salve para os extremamente habilidosos Neurocirurgiões.

É isso!

Agora que você está mais informado sobre a hemorragia subaracnóide, confira mais conteúdos de Medicina de Emergência, dá uma passada na Academia Medway. Por lá disponibilizamos diversos e-books e minicursos completamente gratuitos! Por exemplo, o nosso e-book ECG Sem Mistérios ou o nosso minicurso Semana da Emergência são ótimas opções pra você estar preparado para qualquer plantão no país.

Caso você queira estar completamente preparado para lidar com a Sala de Emergência, temos uma outra dica que pode te interessar. No nosso curso PSMedway, através de aulas teóricas, interativas e simulações realísticas, ensinamos como conduzir as patologias mais graves dentro do departamento de emergência!

hemo

Receba conteúdos exclusivos!

Telegram

É médico e quer contribuir para o blog da Medway?

Cadastre-se
AnuarSaleh

Anuar Saleh

Nascido em 1993, em Maringá, se formou em Medicina pela UEM (Universidade Estadual de Maringá) e hoje é residente em Medicina de Emergência pelo Hospital Israelita Albert Einstein e também editor e professor do PSMedway.