Carregando

Quando é o Dia do Patologista e o que faz esse especialista

Todo mundo sabe que especialidade é o que não falta na Medicina, certo? O trabalho médico é tão importante e significativo para a população, que cada uma tem sua homenagem específica, em diferentes datas. São tantas que fica um pouco difícil de lembrar o calendário completo. Mas para te ajudar nessa, hoje a gente resolveu falar um pouco mais sobre o Dia do Patologista!

Até porque, se você quer se tornar esse especialista, pode inclusive começar a se preparar com algumas das informações que verá por aqui. E, depois de formado, fará parte de todas as comemorações junto com a comunidade, sabendo que também contribuiu bastante para o desenvolvimento da profissão.

Então, vamos lá? A seguir você descobre tudo sobre o profissional, quais são suas oportunidades no mercado, o dia em que se comemora seu trabalho e muito mais!

5 de Agosto: Dia do Patologista
5 de Agosto: Dia do Patologista

Dia do Patologista: quando é e quem é esse profissional

O Dia do Patologista é comemorado em 5 de agosto. Esse é o profissional responsável por diagnosticar uma série de doenças, por meio de procedimentos de biópsias e análises variadas de genes, células, tecidos, entre outros.

Os patologistas atuam tanto na pesquisa científica, quanto na docência e em diversas instituições de saúde, como hospitais, laboratórios e clínicas. Seu trabalho é considerado multidisciplinar, afinal, contribui diretamente na prescrição de diagnósticos de outras especialidades.

Além disso, é um exercício médico em conjunto com farmacêuticos, químicos e biomédicos. Todas as atividades do patologista são devidamente regulamentadas pelo Conselho Federal de Medicina (CFM).

Os profissionais ainda podem se filiar à Sociedade Brasileira de Patologia, a SBP. Essa associação é responsável por vários congressos da área, e ainda oferece serviços especializados aos patologistas registrados. É por meio dela que o patologista pode, depois da residência médica, obter seu título de especialista e enriquecer o currículo.

O exame conta com três etapas: uma teórica, uma voltada para patologia cirúrgica e outra para macroscopia e citopatologia. Ele acontece todo ano, e além da residência médica, pede que outras exigências sejam atendidas. Então, antes de prestá-lo é bom conferir o edital.

Vale lembrar que o título ainda não é obrigatório para a profissão. Porém, atesta a capacitação do profissional, portanto vale a pena estudar para fazê-lo. Inclusive se você pretende ter um bom salário enquanto faz o que gosta, certo?

Por falar nisso, a média salarial inicial de um patologista pode ultrapassar a casa dos R$ 5 mil. Na medida em que continua a se especializar e a se desenvolver profissionalmente, os ganhos tendem a subir, conforme a jornada de trabalho.

É comum que patologistas trabalhem em mais de uma modalidade. Por exemplo, em laboratórios durante parte do dia, e em instituições de ensino, como docente ou pesquisador, no período restante. Não há uma regra, tudo depende da oportunidade de trabalho e do salário desejados, mas as oportunidades costumam ser bastante atrativas.

Ou seja, essa é uma profissão interessante e completa, em todos os sentidos. Se o seu sonho é esse, vale a pena começar a se preparar o quanto antes!

Como fazer Patologia

Para comemorar o Dia do Patologista e ser um excelente profissional, você precisará se dedicar bastante aos estudos. A residência médica em Patologia tem a duração de três anos, e é de acesso direto. Mas veja, em maiores detalhes, o que você aprende em cada etapa do curso!

Primeiro ano (R1)

No primeiro ano de residência, o futuro patologista aprende a executar necrópsias, reconhecer alterações morfológicas e compreender a natureza de todo o processo. Ele também fica apto a realizar exames anatomopatológicos e acompanha casos de patologia cirúrgica.

Além disso, se torna responsável por redigir laudos. E terá, por fim, as primeiras experiências dentro de laboratórios de patologia.

Segundo ano (R2)

Já no segundo ano, o residente saberá como fazer um exame anatomopatológico completo. Terá a experiência de realizar macroscopia e microscopia em casos mais complexos de patologia cirúrgica.

Poderá, finalmente, examinar a citologia de líquidos corporais e desenvolver competências para diagnosticar citologia cérvico-vaginal. Ao fim do ano, conseguirá concluir necrópsias acadêmicas. E também atuará em casos suspeitos de morte de diversas causas e na confirmação de óbito.

Terceiro ano (R3)

No ano final da residência, o especialista tomará a frente em todos esses procedimentos, especialmente em casos de grande complexidade. Ele terá a oportunidade de conhecer ainda processos gerenciais e técnicos de um laboratório de patologia.

As aulas teóricas estarão relacionadas à legislação da área. Afinal, essa é uma das áreas da Medicina cuja atuação se baseia com ainda mais intensidade na ética.

Nesse momento, o profissional também estará em contato constante com fundamentos básicos de pesquisa e poderá, em paralelo à conclusão do programa, desenvolver suas próprias pesquisas, principalmente se quiser seguir carreira na docência e na pesquisa laboratorial.

Em todos os anos, os plantões podem existir, especialmente quando se trata de congelação ou necrópsia, ou ainda conforme a demanda da instituição na qual o médico atua. Entretanto, eles não são frequentes e a carga horária não costuma ser muito pesada.

Áreas de atuação

Depois da residência o patologista terá a oportunidade de atuar em diversas áreas, como:

  • biópsias;
  • peças cirúrgicas;
  • citopatologia;
  • exames de congelação;
  • análises e auxiliares de diagnóstico;
  • ensino e pesquisa;
  • autópsia clínica, entre outros.

A necessidade de médicos patologistas no mercado é grande, dentro de todas essas áreas. Há muitos exames patológicos com volume grande, que não são devidamente acompanhados por esses profissionais, porque estão em falta nos setores médicos.

Sendo assim, essa será uma grande oportunidade para você que quer cursar a especialidade. Além disso, a tendência é que a demanda cresça cada vez mais, uma vez que pacientes só podem ser diagnosticados e tratados com o parecer do patologista.

Feliz Dia do Patologista!

É isso aí, agora você sabe tudo sobre o Dia do Patologista e sobre o que esse profissional faz. Agora, pode se preparar para ingressar na residência médica e fazer parte da comunidade, sempre com excelência, ética e muita dedicação.

Conte com a gente nessa jornada! Conheça o Extensivo São Paulo, nosso curso preparatório de residência médica completamente focado no acesso ao R1 de residência médica.

Receba conteúdos exclusivos!

Telegram
Ana KarolineBittencourt Alves

Ana Karoline Bittencourt Alves

Catarinense nascida em 1995, criada em Imbituba e apaixonada por uma praia. Formada pela Universidade Federal de Santa Catarina em 2018, com residência em Clínica Médica pela Universidade de São Paulo (USP-SP 2019-2021) e professora de Clínica na Medway. "Ensinar não é transferir conhecimento, mas criar as possibilidades para a sua produção ou a sua construção. Quem ensina aprende ao ensinar e quem aprende ensina ao aprender" - Paulo Freire.