Carregando

Saiba quanto ganha um patologista no Brasil

Quer se preparar para o futuro e saber um pouco mais sobre o salário das principais especialidades médicas? Veio parar no lugar certo, porque vamos explicar aqui quanto ganha um patologista no Brasil.

Esse profissional é responsável pelo diagnóstico de patologias: examina fluidos e tecidos corporais, realiza testes de laboratório e trabalha em contato direto com outros especialistas. Afinal, os resultados que obtém em seus exames devem ser compartilhados para auxiliar no sucesso da indicação de tratamentos.

É um trabalho complexo, como você viu. Mas além das atividades realizadas, outros fatores influenciam para descobrir quanto ganha um patologista. Veja mais sobre o assunto a seguir!

Afinal, quanto ganha um patologista?

O site salario.com.br é referência quando se trata de mostrar ganhos profissionais aproximados de várias áreas, entre elas, a Medicina. Para descobrir quanto ganha um patologista, analisou o salário de 31 especialistas, com base em 32 horas de trabalho semanais.

A média salarial para este período é de R$ 5.426,72, com um teto salarial de R$ 12.712,20 e um piso salarial de R$ 4.952,90 para o regime CLT no Brasil. Dentro da média, os ganhos por hora chegam a R$ 33,80, enquanto o salário anual é de aproximadamente R$ 65.120,59.

A pesquisa ainda mostra que o valor do salário do patologista varia conforme o estado em que atua. Em São Paulo, a média vai para R$ 2.948,72, enquanto no Rio Grande do Sul, sobe para R$ 5.782,83. Outro fator que influencia bastante sobre quanto ganha um patologista é o tipo de atividade que o médico faz.

Atividades de atendimento hospitalar, por exemplo, rendem em média R$ 4.289,32 em uma jornada de 23 horas semanais. Para uma jornada de 40 horas semanais em laboratórios clínicos, o valor é de R$ 7.880,63, enquanto em laboratórios de anatomia patológica e citológica, de R$ 8.047,33.

É possível aumentar os rendimentos na especialidade?

Se aprofundar nesses valores é uma maneira de entender quanto ganha um patologista no Brasil. Porém, eles não são fixos e é possível aumentar seus rendimentos na especialidade. Por exemplo, segmentar sua atuação em laboratórios ou complexos hospitalares reflete no salário.

Ou então, ao escolher se deseja atuar na rede pública ou privada, pode encontrar diferenças salariais. Por isso, há inclusive profissionais que dividem sua jornada de trabalho entre os dois setores para ter um salário maior.

Outra questão que faz toda a diferença nos ganhos são seus conhecimentos. O patologista que investe em adquirir mais técnicas e se mantém atento a pesquisas e novas tecnologias melhora sua atuação e, como consequência, consegue ganhar mais.

Qual é o impacto da residência nos ganhos do profissional?

Por fim, ainda é importante mencionar que a residência médica é uma ótima maneira de ampliar suas possibilidades. Nesta experiência, você se mantém atualizado em diversas técnicas e práticas, descobre subespecialidades nas quais pode atuar e fica em contato com a tecnologia necessária para a área.

Ou seja, adquire mais conhecimento e sai pronto para o mercado de trabalho. Além de ter uma vivência e tanto para destacar em seu currículo e sair na frente da concorrência para aquela vaga tão desejada de trabalho.

Esse prestígio profissional faz muita diferença em seus ganhos, então é interessante considerar a possibilidade de voltar seus estudos para uma residência. Na patologia, ela tem a duração de 3 anos e é de acesso direto, ou seja, não precisa de anos anteriores de curso em outra especialidade.

É isso! Agora você sabe quanto ganha um patologista no Brasil, em média, e qual é a qualificação necessária para ter um bom salário. Portanto, se essa é a área que deseja seguir, foco nos estudos para garantir seu futuro!

Precisa dar aquele gás nessa reta final? Então venha para o Intensivo SP para focar totalmente na instituição que você escolher e garantir a sua vaga na residência.

Pra cima!

Receba conteúdos exclusivos!

Telegram
MicaelHamra

Micael Hamra

Nascido em 1991, médico desde 2015, formado pela Faculdade de Medicina de Catanduva (FAMECA) e com Residência em Clínica Médica pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HC-FMUSP) finalizada em 2018. "Nunca quis seguir o fluxo. Sempre acreditei que existe uma fórmula do sucesso para cada um de nós. Se puder conquistar sua mente, poderá conquistar o mundo."