Carregando

Residência médica no Hospital Augusto de Oliveira Camargo (Indaiatuba) pelo SUS-SP: história, números e estrutura

E aí, já está pensando sobre a residência? Agora é um bom momento para descobrir mais sobre instituições, hospitais e especialidades e começar a se preparar e organizar os estudos. Para te ajudar nessa missão, vamos falar um pouco sobre a residência médica no Hospital Augusto de Oliveira Camargo (Indaiatuba) pelo SUS-SP.

Esse é um programa bastante procurado pelos estudantes de Medicina. Ou seja, a concorrência é alta. No entanto, se você deseja se aventurar pelo aprendizado na rede pública de saúde, vale a pena investir nessa opção, que conta com diversas especialidades e subespecialidades médicas disponíveis.

Quer saber um pouco mais sobre como fazer parte da instituição, como é a rotina da residência e como funciona a prova do SUS-SP? Continue a leitura para ficar por dentro de todos os detalhes e se organizar para concorrer a uma vaga!

História do Hospital Augusto de Oliveira Camargo de Indaiatuba

O Hospital Augusto de Oliveira Camargo é o primeiro hospital de Indaiatuba. Foi inaugurado em 1933, e garantiu mais qualidade de vida para as pessoas que residiam na cidade e na região.

Suas atividades se iniciaram com a prestação de serviços médicos gratuitos para pessoas carentes. Idealizado pelo casal Augusto e Leonor de Oliveira Camargo, que se sensibilizou pela condição precária de assistência à saúde dos trabalhadores rurais da cidade, é gerido até hoje por pessoas ligadas à família.

O casal, que viajava constantemente para hospitais fora do Brasil, construiu sua fundação pautada nos princípios que viam lá fora e consideravam como essenciais para atender a população. Algumas relíquias dessas viagens podem ser vistas nos corredores do hospital até hoje, como uma lembrança do propósito de Augusto e Leonor.

Além de atendimentos e exames, o hospital conta com serviços de terapia hiperbárica, pronto-socorro, radiologia, tomografia e ultrassonografia, laboratório de análises clínicas, unidade de terapia intensiva adulto e infantil, entre outros setores. Por sua organização e mais de 80 anos de atividades, é referência em todo o Brasil quando o assunto é atendimento do SUS.

Números e estrutura

Indaiatuba é uma cidade com pouco mais de 200 mil habitantes, e o Hospital Augusto de Oliveira Camargo é o único complexo hospitalar que atende pacientes conveniados ao SUS. Esse direcionamento representa aproximadamente 80% de suas atividades.

Além dos mais de 15 serviços prestados à população, o hospital ainda é referência em projetos com a Secretaria de Saúde do município em projetos de Urgência e Emergência, Maternidade Segura, Parto Humanizado e Humanização Hospitalar. Seus setores administrativos trabalham em sintonia ao atendimento prestado pelos profissionais de saúde, para atuar sempre com excelência, em constante evolução e em prol do bem-estar dos pacientes.

O hospital é localizado no centro da cidade e tem uma estrutura admirável, com arquitetura antiga, mas salas que contam com uma boa tecnologia hospitalar. Por isso, é considerado patrimônio cultural de Indaiatuba.

Recentemente, o espaço laboratorial de análises clínicas do hospital passou por uma ampliação. Agora, conta com mais de 600 metros quadrados e funciona 24 horas por dia, para agilizar resultados e atendimentos. É moderno, conta com sala de coleta de longa duração e uma recepção separada do hospital para manter a prestação de serviços mais organizada.

A instituição ainda conta com 228 leitos em enfermarias, UTIs, sala de emergência, agência transfusional e equipes bem-preparadas em todos os setores. É referência em toda a região metropolitana de Campinas, onde a cidade de Indaiatuba se localiza.

Residência médica no Hospital Augusto de Oliveira Camargo (Indaiatuba)

Agora que você já se ambientou bem pelo hospital e pela cidade, é hora de entender melhor como a residência médica no Hospital Augusto de Oliveira Camargo funciona. Em geral, os programas têm a duração mínima de 60 horas semanais, conforme as exigências do MEC.

A princípio, os residentes passam por atendimentos ambulatoriais e no pronto-socorro. A partir do R2, começam a fazer plantões. O sistema de plantão noturno, inclusive, é uma novidade, e acontece no máximo 2 vezes por semana, como um pós-plantão de 12 horas. A escala é desenvolvida para que os estudos principais dos alunos não sejam prejudicados.

Desde o R1, as atividades dos residentes são devidamente supervisionadas por um preceptor. Há também experiências na terapia intensiva, com atendimentos orientados a pacientes em estado crítico. Vale lembrar que, por causa da dimensão do hospital e da abrangência de seus atendimentos, a demanda de trabalho costuma ser bem alta durante a residência médica.

Acha que esse programa tem a ver com você? Então é bom se informar desde já. As especialidades e quantidades de vagas disponíveis para residência médica no Hospital Augusto de Oliveira Camargo são as seguintes:

  • 6 vagas para Clínica Médica;
  • 2 vagas para Cirurgia Básica;
  • 4 vagas para Pediatria;
  • 2 vagas para Obstetrícia e Ginecologia;
  • 4 vagas para Medicina da Família e Comunidade;
  • 2 vagas para Anestesiologia;
  • 2 vagas para Oftalmologia;
  • 4 vagas para Psiquiatria;
  • 4 vagas para Medicina de Emergência;
  • 1 vaga para Nefrologia;
  • 1 vaga para Medicina Intensiva;
  • 1 vaga para Neonatologia.

O processo seletivo do SUS-SP

Para entrar para a residência no Hospital Augusto de Oliveira Camargo, você deve passar pelo processo seletivo do SUS-SP. Então, é essencial ficar de olho nos detalhes da prova, que é um pouco diferente do processo para outras instituições. Acompanhe!

Como é a prova

O processo seletivo do SUS-SP é de fase única. Ou seja, você precisa passar somente por uma prova escrita objetiva, com 100 questões de múltipla escolha e cinco opções de resposta.

Dessa forma, a prova tem peso 100% em sua nota. O conteúdo é direcionado para as cinco grandes áreas da Medicina, e você terá de 4 a 5 horas para fazê-la.

Embora seja um processo seletivo mais curto, não se apoie na ideia de que ele é mais fácil. Muito pelo contrário, além de exigir bastante em relação ao conteúdo, ele é bastante concorrido. E, como você viu, a quantidade de vagas disponíveis é bastante enxuta, embora exista uma boa variedade de especialidades disponíveis.

Sendo assim, é fundamental se dedicar bastante aos estudos. Pegue provas de edições passadas do processo, para entender a estrutura das questões e das respostas, treine bastante e estude com foco no conteúdo que tem uma maior abordagem: essas são as dicas principais para conseguir um resultado satisfatório na prova.

Concorrência por especialidade em 2021

E como anda a concorrência por especialidade no SUS-SP em 2021? Bom, a Oftalmologia saiu na frente como a mais concorrida, com uma relação candidato/vaga de 21,4. A Cirurgia Geral também tem um número alto: 26 candidatos por vaga, com 22 vagas totais disponíveis.

Mas a especialidade que vem em primeiro lugar na disputa é a Neurocirurgia, com apenas 6 vagas e 40,7 candidatos por vaga. Então, é bom avaliar esses números na hora de fazer a sua escolha por uma vaga na residência médica.

Mas atenção! Não se esqueça também de que a concorrência não deve intimidar você. Pense nela como mais uma etapa do desafio, e se você quer mesmo entrar na residência pelo SUS-SP, dê um gás nos estudos, e acompanhe de perto o tradicional leilão de vagas. Ele pode ampliar bastante suas chances se você tiver um bom desempenho no processo seletivo.

Leilão por vagas do SUS

Como são muitas instituições que fazem parte do processo seletivo do SUS-SP, um dos métodos utilizados para definir a instituição em que cada candidato fará residência é o famoso leilão por vagas. Para participar, você deve fazer sua inscrição no site da Vunesp.

Em seguida, deve escolher apenas a especialidade que deseja. Depois disso, há a divulgação dos resultados, realizada de acordo com a classificação final do processo seletivo.

A lista conta com os candidatos mais bem posicionados, conforme a especialidade. Sendo assim, eles têm a chance de escolher primeiro qual instituição desejam cursar. Daí a importância de se dar muito bem na prova e conseguir uma boa posição.

Como você pode ver, na prática é exatamente como funciona um leilão. Quem tem mais nota consegue a vaga primeiro. Portanto, é muito importante que você se prepare, porque o Hospital Augusto de Oliveira Camargo é extremamente disputado, assim como o Hospital Santa Marcelina e o Centro Universitário Padre Albino Unifipa.

E aí, gostou de saber mais sobre a residência médica no Hospital Augusto de Oliveira Camargo?

Esperamos que tenha curtido o texto! O programa exige bastante concentração e dedicação ao longo do processo seletivo, portanto é indispensável que você comece a focar desde já se quiser ter essa experiência em seu currículo.

Para começar, não se esqueça de ficar de olho no Guia Estatístico do SUS-SP, para entender os principais assuntos cobrados na prova e ter acesso a uma análise cuidadosa das últimas 5 provas. Confira também o Guia Definitivo do SUS-SP e descubra como tirar de letra a prova!

Ah! Na Academia Medway você também aproveita um conteúdo de apoio completo e exclusivo. Ideal para você passar por esse processo com foco, confiança e segurança.Por fim, aproveite e venha para nosso Intensivo São Paulo! Ele acontece a partir do meio do ano e tem todo o conteúdo voltado para as provas de instituições de São Paulo. Ou seja, você se prepara com um direcionamento exclusivo para o que realmente quer. Esperamos você!

Receba conteúdos exclusivos!

Telegram
AlexandreRemor

Alexandre Remor

Nascido em 1991, em Florianópolis, formado pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) em 2015 e com Residência em Clínica Médica pelo Hospital das Clínicas da FMUSP (HC-FMUSP) e Residência em Administração em Saúde no Hospital Israelita Albert Einstein (HIAE). Fanático por novos aprendizados, empreendedorismo e administração.