Carregando

Sociedade Brasileira de Genética Médica e Genômica (SBGM): saiba mais!

Você conhece a Sociedade Brasileira de Genética Médica e Genômica? Ela existe para apoiar essa especialidade tão importante e considerada uma das principais áreas da Medicina do futuro, que não para de crescer e se desenvolver.

Além disso, promove eventos, realiza serviços para os médicos associados, incentiva a pesquisa e ajuda a ampliar o conhecimento de profissionais de todos os campos de atuação. Caso você queira seguir esse caminho na residência, é muito importante ficar por dentro de tudo o que a associação oferece.

A seguir, a gente conta um pouco mais sobre a história e o trabalho da SBGM, e mostra como se tornar um associado. Confira!

Saiba mais sobre a Sociedade Brasileira de Genética Médica e Genômica
Saiba mais sobre a Sociedade Brasileira de Genética Médica e Genômica

A Sociedade Brasileira de Genética Médica e Genômica

A Sociedade Brasileira de Genética Médica e Genômica iniciou suas atividades em 1982. Durante a primeira vistoria da Comissão de Residência do Ministério da Educação e Cultura (MEC) ao Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo, para avaliar o programa de residência médica em Genética Clínica.

Antes disso, em 1977, sete médicos haviam se formado, e seis outros residentes participavam do programa. Ainda assim, o MEC alegava que a especialidade não existia no Brasil. E a partir dessa afirmação, queria parar o funcionamento do programa.

Depois de muita burocracia e debates, ele finalmente foi mantido. Os fundadores da SBGM perceberam que precisavam, de alguma maneira, consolidar a existência da especialidade. E assim, em 1986, fundaram oficialmente a associação durante o 32º Congresso Nacional de Genética e 38ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) que aconteceu em Curitiba, Paraná.

Como se associar à SBGM

Para se associar à SBGM é muito simples. Basta que você entre no site da instituição e preencha o formulário de cadastro.

Assim que receber a informação, deverá enviar alguns documentos comprobatórios. Por último, é só pagar o boleto de anuidade vigente e começar a aproveitar os benefícios como associados.

Você pode se cadastrar como médico geneticista, médico de outras especialidades, residente, estudante ou profissional de saúde. Entre os benefícios estão a participação de fóruns de discussão, consultas a livros e bibliografias patrocinadas e, para médicos geneticistas com título de especialista, a divulgação do consultório no mapa de atendimento da sociedade.

O que faz a Sociedade Brasileira de Genética Médica e Genômica

Mas, afinal, o que faz a Sociedade Brasileira de Genética Médica e Genômica na prática? Aqui, você conhece suas principais atividades e como elas interferem no trabalho dos médicos geneticistas do Brasil.

Serviços do conselho

A SBGM conta com um departamento científico, que coordena várias atividades, comissões e núcleos de ciência especializados. Também se responsabiliza por oferecer cursos, congressos, premiações e outros tipos de eventos para seus associados.

Representa, ainda, os interesses científicos de todos os médicos da sociedade. E mantém relações com outras organizações médicas, além de estar à frente de Serviços de Referência em Doenças e da Associação de Apoio aos Pacientes e Familiares.

Publicações

A associação ainda se compromete em produzir, editar e publicar livros e outros materiais científicos importantes para a área. No próprio site da SBGM, é possível acessar notas técnicas, anais de congressos, diretrizes da AMB e literatura científica.

Eventos da Sociedade Brasileira de Genética Médica e Genômica

É a Sociedade Brasileira de Genética Médica e Genômica que realiza o Congresso Brasileiro de Genética Médica. Ele acontece anualmente e, a cada edição, em um estado e cidade diferentes do país.

O evento reúne profissionais brasileiros e estrangeiros, conta com palestras, debates, discussões de caso e muito mais. A associação ainda patrocina ou colabora com a execução de outros eventos importantes para a especialidade.

Como é o caso das Interligas de Genética Médica, o Encontro de Residentes e Jovens Geneticistas, e o Congresso Norte e Nordeste de Genética Médica. Ou seja, são eventos muito completos, e que atende a todo tipo de público da comunidade médica.

Título de especialista na SBGM

A SBGM ainda é responsável pelo título de especialista em Genética Médica. Para obtê-lo, é preciso ter diploma de universidade brasileira ou ter o Revalida caso a faculdade tenha sido feita no exterior. O candidato também deve ter terminado a residência em Genética Clínica ou Genética Médica, com a duração de três anos e credenciado pelo MEC.

Ainda é preciso apresentar uma série de documentos comprobatórios, como grade científica e teórica, e outros certificados. O exame é aplicado todo ano, e tem questões elaboradas por uma banca de médicos geneticistas voluntários.

É preciso passar por três etapas. Na primeira, há uma prova teórica com 80 questões objetivas, sobre as grandes áreas da especialidade. Na segunda, há uma prova teórico-prática que consiste na análise de 10 casos clínicos e questões discursivas. E na terceira e última, há uma entrevista e uma prova oral.

A residência em Genética Médica

A residência em Genética Médica dura três anos e é de acesso direto. No primeiro ano, o residente passa por estágios na Pediatria, Neurologia, Endocrinologia, Genética e Clínica Médica.

No segundo e no terceiro ano, passa a ficar mais por conta da genética em si. Dessa forma, os estágios se destinam para a Medicina Fetal e a Patologia. A atuação também se estende para laboratórios específicos e erros inatos do metabolismo.

Além das atividades práticas, há uma carga teórica que precisa ser cumprida, com reuniões para discussão de caso, pesquisas e aulas. Não há carga horária de plantão, embora o profissional preste apoio diagnóstico em UTIs e unidades neonatais.

É uma rotina bastante interessante e cheia de aprendizados. A área está em constante evolução, então novidades científicas em procedimentos e equipamentos chegam a todo momento. Se manter atualizado em paralelo será essencial para se dar bem no programa.

E então, gostou de saber mais sobre o trabalho da Sociedade Brasileira de Genética Médica e Genômica (SBGM) e a residência da especialidade? Quem sabe você não se torna um associado ainda na graduação, para começar a se aprofundar na área e se envolver em pesquisas e projetos científicos? Essa será uma jornada interessante e com ótimo retorno no mercado de trabalho, então pense nisso!

Se rolar aquela dúvida sobre qual caminho seguir ou sobre como se preparar para a residência nesse meio tempo, não se preocupe. Acompanhe a Medway no Facebook e no Instagram para mais dicas e materiais exclusivos que ajudarão nessa escolha!

Receba conteúdos exclusivos!

Telegram
Ana KarolineBittencourt Alves

Ana Karoline Bittencourt Alves

Catarinense nascida em 1995, criada em Imbituba e apaixonada por uma praia. Formada pela Universidade Federal de Santa Catarina em 2018, com residência em Clínica Médica pela Universidade de São Paulo (USP-SP 2019-2021) e professora de Clínica na Medway. "Ensinar não é transferir conhecimento, mas criar as possibilidades para a sua produção ou a sua construção. Quem ensina aprende ao ensinar e quem aprende ensina ao aprender" - Paulo Freire.