Carregando

Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade (SBMFC): tudo o que você precisa saber

Tudo começou em 1975 com o projeto de um Sistema de Saúde Comunitária, no Centro de Saúde Murialdo em Porto Alegre, capital do Rio Grande do Sul e se espalhou pelo país com dezenas de iniciativas na área voltadas à Atenção Básica em Saúde, como a criação de especializações, cursos de curta duração, pólos de capacitação, congressos e encontros. Isso motivou em 1981 a criação da Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade (SBMFC).

Logo da Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade (SBMFC)

Em março de 2001, a Sociedade se firmou como uma entidade nacional que busca congregar os médicos que atuam em postos de saúde ou em outros serviços de Atenção Primária em Saúde, tais como aqueles que atuam no Programa de Saúde da Família (PSF), bem como os médicos que prestam atendimento médico geral, integral e de qualidade aos indivíduos, às famílias e às comunidades. 

E de lá pra cá, nos seus 40 anos de existência, a SBMFC associa tanto médicos especialistas em Medicina de Família e Comunidade quanto outros médicos de outras especialidades, médicos residentes, estudantes de Medicina, e até mesmo outros profissionais: professores, preceptores, pesquisadores que atuam ou estão interessados nesta área.

A Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade (SBMFC)

A Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade congrega pouco mais de 7 mil médicos associados em 17 associações espalhadas em diversos estados do Brasil, de acordo com um levantamento do CFM (Conselho Federal de Medicina) que aponta também que o número de especialistas na área cresceu cerca de 30% só nos últimos 2 anos e 171% na última década.

Isso só comprova a importância desse profissional que, além de proporcionar atenção integral e continuada a todo indivíduo que solicite assistência médica, também pode mobilizar outros profissionais da saúde, priorizando o contexto da família e da comunidade ao qual faz parte. O médico da família e comunidade é especialmente competente para proporcionar a atenção primária focada na realidade do paciente, considerando sua situação cultural, socioeconômica e psicológica

O especialista em Saúde da Família e Comunidade é aquele profissional que vai contribuir de maneira eficiente na maioria das demandas que o SUS (Sistema Único de Saúde) exige porque ele é um generalista e por conta disso mesmo possui as condições mais eficazes de direcionar seus pacientes a outros centros médicos, hospitais ou especialistas. A Medicina de Família e Comunidade vai sempre primar pelo atendimento integral das pessoas, das famílias e também da comunidade, não apenas por meio de ações curativas, mas incluindo competências preventivas e terapêuticas.

Quer saber mais sobre essa especialidade? Confere este artigo que fizemos sobre o que faz o médico de família e saiba tudo sobre essa especialidade médica. 

Como se associar à Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade (SBMFC)

Pra quem tem interesse em associar-se à SBMFC basta acessar o site da instituição e preencher os formulários e enviar os documentos solicitados. O pagamento da taxa de anuidade pode ser feito de forma semestral ou anual e atualmente é de R$ 390,00 (trezentos e noventa reais) para médicos formados, R$ 195,00 (cento e noventa e cinco reais) para médicos-residentes em Medicina de Família e Comunidade. A boa notícia é que os estudantes de Medicina são isentos de contribuição.

Em três dias úteis, um e-mail de confirmação será enviado pela equipe da secretaria. É importante que no momento de preenchimento, você fique atento a todas as informações fornecidas. Feito isso, é só aguardar por um período de pouco menos 30 dias para que a confirmação seja dada. É nesse prazo que a análise e a aprovação dos documentos vão ser feitas pela SBMF.

Como é uma Sociedade Médica,a SBMF permite que se associem a ela, médicos de qualquer especialidade, inclusive residentes, e também estudantes de graduação em medicina. Uma vez associado, o médico vai poder ter acesso à formação continuada de qualidade, participar de eventos, simpósios, congressos e treinamentos de atualização, além de ter acesso a cursos à distância e também presenciais com foco na atualização médico-acadêmica com descontos ou ainda de forma gratuita, proporcionados pela SBMF e entidades parcerias. Outros benefícios que o médico associado tem acesso é o desconto na prova de título de especialista da área e também nas compras das publicações da SBMF. 

O que faz a Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade

A missão da Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade (SBMFC) , é fortalecer o trabalho de todos os médicos e demais profissionais de saúde que desenvolvem atividades de assistência, ensino e também pesquisa no campo da Atenção Primária à Saúde, em especial nas UBS (Unidades Básicas de Saúde), nos consultórios e ambulatórios, em Universidades, nos centros de pesquisa, e também àqueles médicos que atuam na gerência de serviços de saúde, tanto públicos quanto privados.

Fazer parte da Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade é ajudar a aumentar o reconhecimento da atividade do profissional atuante na área e contribuir para a melhoria das suas condições de trabalho, além de proporcionar a melhoria dos serviços de saúde no Brasil e da qualidade de assistência prestada à população brasileira.

A SBMFC mantém publicações atuais na Revista Brasileira de Medicina de Família e Comunidade que discutem e trazem luz a temas relevantes à especialidade, como as estratégias de saúde da família e vigilância em Saúde, a relação médico-paciente vista sob a ótica da comunicação e do trabalho e a organização da Atenção Primária à Saúde em pandemias, mais do que atual para o momento em que vivemos no mundo todo. 

Eventos da SBMFC (Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade)

Atualmente, a Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade tem oferecido dezenas de cursos, tanto online quanto presenciais, como Curso de Atualização de Medicina de Família e Comunidade e o Curso de Eletrocardiograma e Cardiologia aplicada à atenção primária, além de eventos e congressos, por exemplo, o Congresso Brasileiro de Medicina de Família e Comunidade Congreso Iberoamericano de Medicina Familiar que aconteceu em agosto de 2021 e o esperado WONCA World Conference que vai ser em novembro deste ano, em Abu Dhabi, capital dos Emirados Árabes Unidos.

Título de especialista na SBMFC

Todas as informações para você conseguir obter o título de especialista na Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade (SBMFC) em convênio com a Associação Médica Brasileira (AMB) para 2021 estão disponíveis aqui! Lá você vai poder encontrar a lista de todos os pré-requisitos, os procedimentos e também as formas de preenchimento da ficha de inscrição. Além disso, no site da instituição há explicações detalhadas de como proceder em relação ao envio dos documentos exigidos para você conseguir o Título de Especialista em Medicina de Família e Comunidade (TEMFC). Vale lembrar que você já deve ter finalizado a residência médica na especialidade. Está na lei, conforme o Art. 4º da Resolução do CFM Nº 1634 de 2002: “O médico só pode declarar vinculação com especialidade ou área de atuação quando possuidor do título ou certificado a ele correspondente, devidamente registrado no Conselho Regional de Medicina.” 

A 30ª edição do TEMFC já tem data marcada para as provas, que devem acontecer logo no início de dezembro de 2021 e no formato online. O prazo de inscrição é de 30 de agosto a 22 de outubro e você pode conferir todas as informações no edital do TEMFC 30. Então, moçada, concluiu a residência e pegou a certificação, corre lá para o site da SBMFC e faz o seu cadastro para conseguir a titulação de especialista na área. 

Quer saber sobre o salário do Especialista em Medicina de Família e Comunidade antes de se aventurar por esse caminho? Que tal dar uma lida no artigo que fizemos sobre quanto ganha um médico da família e comunidade no Brasil.

A residência em Medicina de Família e Comunidade

O médico da família é aquele formado em Medicina de Família e Comunidade. Ele é um especialista em pessoas, sem nenhuma restrição de idade, de gênero ou até mesmo de doenças: ele pode tratar do bebê ao idoso de uma mesma família. Isso porque é ele que vai observar as relações pessoais do seu paciente, seu ambiente de trabalho e a comunidade em que vive e, se precisar, vai fazer os encaminhamentos para especialistas focais. Para se tornar um especialista na área, você vai precisar fazer a Residência Médica em Medicina de Família e Comunidade que tem duração de 2 anos e é de acesso direto, ou seja, terminou a faculdade de Medicina, fez as provas seletivas e foi aprovado nos processo para a residência, já pode começar, sem a necessidade de pré-requisitos. 

Atualmente, a especialidade abarca aproximadamente 13% do total das vagas de residência oferecidas em instituições de todo o país e segundo os dados do estudo Demografia Médica no Brasil 2020, o número de mulheres que ingressaram nessa especialidade vem crescendo a cada ano, motivado pela melhoria das políticas públicas na saúde coletiva e da conscientização da população em geral.

Se a Residência Médica em Medicina da Família e Comunidade te interessa, então corre aqui, aproveita e dá uma olhada no nosso artigo sobre as instituições mais buscadas para se fazer a residência médica em Medicina da Família e Comunidade em São Paulo. 

E aí? Curtiu conhecer a Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade (SBMFC)?

Então, bora lá correr atrás da preparação adequada para as provas de residência! Que tal dar uma olhada na Academia Medway? É lá que você vai encontrar centenas de conteúdos completamente gratuitos que vão te ajudar a entender melhor como são as provas das principais instituições, como o Guia Definitivo da USP-RP e o Guia Definitivo da Unifesp. É pra você mandar muito bem e ir pro único lugar possível: pra cima!

Receba conteúdos exclusivos!

Telegram
JoãoVitor

João Vitor

Capixaba, nascido em 90. Graduado pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES) e com formação em Clínica Médica pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HC-FMUSP) e Administração em Saúde pelo Hospital Israelita Albert Einstein (HIAE). Apaixonado por aprender e ensinar.