Carregando

Como fixar na memória o conteúdo estudado: 5 dicas

Tem dificuldade para absorver o conteúdo? Se esquece do que aprendeu em pouco tempo? Não encontrou ainda um método que funcione para você? Se a resposta para pelo menos uma dessas perguntas é sim, é hora de mudar essa realidade e aprender de uma vez por todas como fixar na memória o conteúdo estudado!

Saiba como fixar na memória o conteúdo estudado
Saiba como fixar na memória o conteúdo estudado

Antes, vale ressaltar que é normal não conseguir dar conta do recado sempre. Afinal, na graduação de Medicina ou na preparação para a residência médica, são muitos temas, termos, doenças, sintomas, medicamentos e assuntos para memorizar. Sem contar a pressão em relação a prazos e demais exigências de processos seletivos e provas.

O que não rola é deixar tudo acumular e deixar isso refletir negativamente em seus resultados, concorda? Então, bora para o que interessa! A seguir a gente te conta 5 dicas essenciais para virar o jogo de vez e realmente sugar todos os detalhes mais importantes em seus estudos.

Então, fique com 5 dicas de como fixar na memória o conteúdo estudado!

Essas 5 dicas de como fixar na memória o conteúdo estudado costumam funcionar para todos os perfis de estudante. É importante lembrar que elas funcionam melhor quando aplicadas juntas, mesmo que você tenha mais facilidade com algumas em particular. Veja só como tudo se complementa!

Tenha um caderno de anotações

Muita gente acha que tem uma boa memória e que isso é suficiente para pegar o conteúdo de primeira. Mas não caia nessa cilada! Por mais que você tenha facilidade em gravar informações, a memória é totalmente seletiva.

Ela guarda única e exclusivamente as coisas que nos deixam bem. Ou seja, aquela disciplina que você considera mais entediante ou complicada será a primeira a ir embora de sua mente. E, assim, você ficará na mão no meio da prova. Já pensou?

A solução para esse problema é muito simples. Mantenha um caderno de anotações! Escrever é uma excelente estratégia para memorizar, porque incentiva o cérebro a exercitar e repassar o que foi aprendido.

Para completar, essa é uma forma de identificar dificuldades que você nem sabia que tinha. Ao reler o conteúdo, você repassa pontos importantes e verifica o que realmente entendeu e o que ainda gera dúvidas.

Assim, pode trabalhar melhor para eliminá-las. Você ainda pode fazer suas anotações em diversos formatos: texto corrido, tópicos ou resumos. O que funcionar melhor para realmente visualizar e compreender o conteúdo.

Estude por questões

Estudar por questões é um método muito importante para fixar bem o conteúdo. Por meio dele, o estudante adota uma postura ativa, ou seja, que tem foco total no aprendizado.

Para começar a utilizar essa estratégia, o primeiro passo é procurar por provas de edições passadas das instituições nas quais você quer estudar ou fazer residência médica. Na internet, os próprios sites das instituições fornecem esses documentos.

Depois, é só se sentar e colocar a mão na massa! Leia com calma cada enunciado, interprete bem o que é colocado e analise a estrutura da questão, para somente depois responder.

Esse esquema parece simples, mas apresenta uma série de vantagens. Por exemplo:

  • permite que você conheça o estilo de cobrança da instituição;
  • ajuda a filtrar a importância de cada tema;
  • fixa o conteúdo a longo prazo;
  • contribui para otimizar o tempo de estudos por ser uma atividade mais dinâmica;
  • incentiva a percepção de áreas que precisam de mais atenção;
  • mensuram seu progresso no cronograma de estudos;
  • treinam sua mente para o dia da prova;
  • faz com que você realmente aprenda com seus erros.

Outra dica importante para essa estratégia: quando se trata de estudar por questões, não quer dizer que você tenha que fazer um número enorme de questões de uma vez só. E nem mesmo fazer, indiscriminadamente, todas as questões de uma prova ou de uma apostila.

O que importa mesmo nesse contexto é o direcionamento. Se você quer se especializar na USP, por exemplo, o ideal é fazer questões dessa e de outras instituições que tenham uma estrutura de prova parecida.

Em relação à quantidade é: priorize! Faça as questões que mais fazem sentido na sua estratégia de conteúdos prioritários e tempo. Não há um número certo para investir, faça quantas couberem no seu cronograma, tente se organizar e contar sempre com um bom material para alcançar o resultado esperado.

Faça associações e crie macetes

Entre as dicas de como fixar na memória o conteúdo estudado está também a questão das associações. Essa estratégia nada mais é do que associar o conteúdo aprendido a letras de músicas, frases de efeito, imagens, palavras, entre outros.

Você também pode criar macetes para decorar siglas, números ou palavras correspondentes. O mais importante é juntar sempre dois elementos: o que você precisa guardar e o que facilitará a conclusão desse objetivo.

Outra maneira de associação que entra nesse tópico é a criação de senhas. Em uma frase ou termo muito grande, selecione as iniciais de cada palavra. Caso as iniciais se repitam próximas uma da outra, você pode inserir números no lugar de colocar a letra duas vezes, para não se confundir.

Opte por associações quando houver muitos termos complexos ou então quando o conteúdo não consiga fugir do famoso “decoreba”. Inclusive, algumas instituições fazem suas questões com base nesse esquema, então é bom se preparar para encará-las, inclusive quando for preciso focar nas notas de rodapé.

A associação também é considerada um método muito mais eficiente do que ler várias vezes até gravar ou grifar trechos importantes. Isso porque direcionar sua concentração para esse tipo de memorização permite que você administre muito melhor uma grande quantidade de conhecimento, enquanto as outras duas opções simplesmente significam repassar, por alto, o conteúdo visto.

Mas nós sempre gostamos de reforçar: essa NÃO pode ser a sua estratégia principal. Mnemônicos são utilizados para casos especiais, como citamos acima.

Não tente gravar vários assuntos de uma vez

Cada matéria demanda tempo e treino para ser memorizada. Não adianta nada tentar aprender tudo de uma vez, porque isso só faz com que você absorva cada vez menos o que é importante.

Portanto, organize um cronograma de estudos bem completo. Coloque cada disciplina com seus assuntos principais em uma tabela. Tente definir horários e um tempo bem delimitado para cobrir os tópicos mais relevantes a respeito de cada um.

Somente quando finalizar um ciclo de estudos dentro de uma matéria, passe para outro tema. Pode parecer complicado e surgir aquela impressão de que não haverá tempo hábil para repassar tudo, mas o segredo é realmente a organização.

Além do cronograma, você pode priorizar aqueles assuntos que têm mais dificuldade para revisar por mais tempo ou em primeiro lugar, para depois rever o que já tem certo domínio. Com uma breve análise de seus pontos fortes e fracos, você logo encontrará a melhor forma de direcionar seus estudos, sempre com um tema por vez.

Explique a matéria para si mesmo

Sabia que a audição ativa a memória? Pois é! Esse é um fato comprovado cientificamente e que você pode usar a seu favor na hora de fixar o conteúdo de seus estudos. Como? Explicando a matéria para si mesmo em voz alta.

Se você estiver com dificuldade de se concentrar no desenvolvimento da explicação, vá para a frente do espelho e simule uma conversa. Você também pode fingir que está fazendo uma apresentação do conteúdo e utilizar imagens para guiar os pontos sobre os quais fala.

Ainda pode gravar sua voz, por meio de aplicativos do celular ou um gravador simples. Seja qual for a tática escolhida, esse é um método prático e objetivo de estudar. 

Outra vantagem é que, ao explicar para si mesmo, você consegue desenvolver argumentos para defender o que diz. O que é uma habilidade indispensável para as questões dissertativas, concorda? Mas pode acreditar: para as questões objetivas também: isso porque a argumentação traz à tona uma série de detalhes sobre o que foi aprendido, muitos deles discretamente cobrados nas questões.

Por fim, a explicação em voz alta é ideal para criar uma linha de raciocínio. Dessa maneira, você evita confundir pontos e informações da matéria e seleciona o que é relevante com mais assertividade.

Caso você não se sinta confortável em “falar sozinho”, tente explicar a matéria para alguém de sua casa ou mesmo para um colega. A intenção é apenas exercitar o domínio sobre o assunto sempre que puder.

Agora você já sabe como fixar na memória o conteúdo estudado

É isso aí! Depois dessa leitura, você está craque e sabe exatamente como fixar na memória o conteúdo estudado. Agora, basta partir para a prática. Se uma estratégia não der certo de primeira, teste com calma, alterne com as outras e, aos poucos, encontre o melhor caminho para seguir

Com calma e confiança, você logo pegará o jeito e começará a render muito mais nos estudos. E o melhor: com todo o conteúdo na mente de maneira saudável e realmente eficiente.

Além de saber como fixar na memória o conteúdo estudado, quer aproveitar mais uma dica extra que é muito valiosa? Para fazer com que seus estudos sejam ainda mais otimizados durante a jornada da residência médica, acesse nossa Mentoria 2022.E, se você quiser de cara dar início ao método de estudar por questões, baixe o aplicativo da Medway, que é supercompleto para essa finalidade. No mais, foco nos objetivos e pra cima!

Receba conteúdos exclusivos!

Telegram
DjonMachado

Djon Machado

Catarinense e médico desde 2015, Djon é formado pela UFSC, fez residência em Clínica Médica na Unicamp e faz parte do time de Medicina Preventiva da Medway. É fissurado por didática e pela criação de novas formas de enxergar a medicina.