Carregando

5 dicas para a prova prática de residência médica

E aí galera, tudo bom? Seguinte: a maioria dos alunos costuma dar muito enfoque para a prova teórica de residência, para a primeira fase, mas fato é que muitos dos grandes processos seletivos de residência médica do Brasil contam também com uma fase muito difícil e muito temida: a prova prática. É extremamente importante que você chegue a essa etapa seguro dos seus conhecimentos, pois, além da avaliação em si, há o nervosismo característico do momento. Por isso mesmo, hoje queremos te dar 5 dicas para a prova prática de residência médica!

Preparado? Então bora lá!

Contudo, antes de falar das dicas para a prova prática de residência médica em si: o que é a prova prática?

Ó: a prova prática de residência médica é, geralmente, aplicada posteriormente à fase teórica. Essa segunda etapa do concurso constitui a parte extensa do processo seletivo, muitas vezes representando pelo menos 40% da nota total. 

O objetivo, nessa fase, é testar as habilidades e atitudes dos alunos — seja de comunicação, de manejo, de coordenação, de domínio de algum procedimento ou de identificar hipóteses de acordo com o que você achar na anamnese. Nós, aqui da Medway, gostamos de caracterizar a prova prática como uma prova teórica simulada, pois a verdade é que, nesta segunda fase, manequins e bonecos são exceções. Geralmente, são cobrados conhecimentos básicos e procedimentos comuns da prática médica, mas ao invés de marcar uma alternativa indicando o que deve ser feito, você mesmo o fará.

Geralmente, as provas práticas contam com 5 estações, cada uma representando uma área médica (Cirurgia Geral, Pediatria, Ginecologia e Obstetrícia, Clínica Médica e Medicina Preventiva). As estações contém tarefas a serem executadas, a fim de avaliar o desempenho dos candidatos — com a possibilidade de haver outras estações interativas

Os cenários, por sua vez, são estruturados em uma sala, onde o aluno é acompanhado por um avaliador e tem um tempo de 5 a 10 minutos para analisar a situação e dar uma resposta. 

Os integrantes são divididos em grupos e ficam esperando do lado de fora da sala até o acionamento de um sinal. Ao receberem o comando de entrada, os grupos partem para sua respectiva estação e começam a realizar as tarefas. Assim que finalizadas, os alunos tocam o alarme e fazem a troca de cenário. A prova só acaba quando todos os grupos passam por todas as estações.

Por fim: a pontuação é registrada por meio do famoso checklist. Nele, constam vários itens de ações ou perguntas que o aluno precisa fazer. Somente se executar a ação corretamente, ele ganha ponto naquele item. 

Normalmente, a aplicação do exame é feita nos próprios hospitais universitários. Vale lembrar, no entanto, que nem toda instituição realiza a prova prática, como o caso da rede SUS (Sistema Único de Saúde) e SES (Secretarias Estaduais de Saúde).

Quais instituições possuem a prova prática?

Nem todo processo seletivo de residência médica é igual, e por isso é importante conhecer o que você pretende fazer. Vamos falar rapidamente sobre algumas das principais instituições de São Paulo, e logo em seguida partiremos de vez para as 5 dicas para a prova prática de residência médica!

  • USP-SP

Até o ano passado, a USP-SP trazia a prova prática em seu edital todos os anos. Com a pandemia de covid-19, entretanto, algumas mudanças foram adotadas, e na última edição da prova não houve prova prática. Para 2022, não se sabe ainda se a mudança será mantida — mas pode ficar ligado que avisaremos assim que o novo edital for liberado!

  • USP-RP

A USP-RP, assim como sua homônima paulistana, também costumava contar com a prova prática de habilidades em seu processo seletivo. No ano passado, entretanto, essa etapa foi removida, dando lugar a um exame escrito, de fase única. O edital de 2022 ainda não foi liberado, mas também avisaremos assim que sair!

  • Unifesp

Diferentemente das duas instituições mencionadas acima, a Unifesp contava e continuou contando com a prova prática em seu escopo. Mas vale notar: não é uma prova prática qualquer, e sim uma prova prática informatizada, também conhecida como prova multimídia! A previsão é que, para 2022, o edital mantenha essa mesma estrutura.

  • Unicamp

Por fim, a Unicamp! Sem muito mistério: assim como outras instituições paulistas, removeu a prova prática do processo seletivo em função da pandemia, tendo dado lugar apenas à análise curricular. Não se sabe, ainda, se essa fase fará um retorno no edital deste ano.

Dicas para a prova prática de residência médica

Agora sim! Com todo mundo mais situado em relação ao funcionamento da prova prática, é hora de trazer as 5 dicas para a prova prática de residência médica que vão te fazer decolar nessa fase do processo seletivo!

  1. Estude imagens

Como primeira dica, vamos reforçar algo que, apesar de parecer óbvio, não é. Estudar imagens é muito importante, pois, frequentemente, nas provas práticas, o aluno vai precisar fazer a interpretação e o diagnóstico dos casos através das imagens. Imagina se chega o momento e você precisa interpretar uma tomografia computadorizada ou uma radiografia simples e te dá um branco? 

Mas existe um porém — e isso já nos leva à segunda das nossas dicas para a prova prática de residência médica.

  1. Não foque apenas nas radiológicas

Claro que imagens radiológicas são importantes, e é essencial que você as conheça. Todavia, é necessário tomar cuidado para não focar demais nelas, e lembrar também das imagens não radiológicas. O importante, no fim das contas, é desenvolver raciocínio rápido, não ser um especialista em um tema específico.

Pra te convencer de que não estamos falando bobeira, aí vão alguns exemplos de imagens que são cobradas com frequência:

  • Não radiológicas: histologia
  • Não radiológicas: lesões de pele
  • Não radiológicas: ECG 
  • Radiológicas: radiografia simples de Crânio; radiografia simples tórax; radiografia simples de abdome
  • Radiológicas: TC de crânio; TC de tórax; TC de abdome
  • Audiovisual – semiologia: ausculta cardíaca; ausculta respiratória
  • Audiovisual – cirurgia: identificação de estruturas anatômicas em uma videolaparoscopia
  1. Estude checklists

Geralmente, os checklists não são disponibilizados pelas instituições. No entanto, é possível encontrá-los em cursos de prova prática, por exemplo. A partir do estudo dessas ferramentas, o aluno pode se preparar para diversos cenários que pode encontrar na prova prática. Por sinal, no nosso e-book Como brilhar nas provas práticas de residência médica, nós apresentamos alguns checklists baseados nas grandes instituições de São Paulo. Dá uma conferida!

  1. Foque na sua instituição

Direcionamento é importante desde a preparação para a primeira fase, mas tem uma relevância tão grande que achamos válido falar disso na quarta das nossas dicas para a prova prática de residência médica.

Veja bem: a prova prática, assim como a prova teórica, também segue alguns tipos de padrão. Há uma tendência em algumas universidades, por exemplo, de fazer com que a prova prática seja mais puxada para a teoria, exigindo uma descrição escrita de uma imagem. Há outras, por outro lado, que gostam de uma abordagem mais “mão na massa”, em que o candidato conduz uma situação simulada ou coisas do gênero. É importante que você busque conhecer as particularidades da instituição para a qual você pretende prestar, evitando assim quaisquer surpresas desagradáveis na hora do exame!

  1. Prepare-se psicologicamente

Não é exagero dizer que, infelizmente, grandes candidatos já foram eliminados porque bateu aquele nervosismo incontrolável na hora H — e estar na frente dos avaliadores e precisar “colocar a mão na massa” pode tornar a situação ainda mais delicada. 

Para evitar que isso aconteça, é muito importante que os alunos se preparem e conheçam, antes da prova, a maioria dos cenários possíveis. Difícil, muito provavelmente, vai ser de todo jeito, mas quando você conhece o terreno em que está pisando, a travessia inegavelmente fica mais fácil, né? E aí, se sentindo seguro com as questões, é só voar!

E uma dica extra, para fechar as 5 dicas para a prova prática de residência médica

É isso, pessoal! E pra finalizar, você sabia que a segunda fase faz toda a diferença na sua nota final? É isso mesmo! Ela pode, inclusive, te colocar em várias posições à frente dos concorrentes! E nessa parte da prova, é o CRMedway que irá te dar o necessário para mandar bem. São mais de 300 checklists na íntegra e mais de 40 estações simuladas para você ficar por dentro de tudo que rola na prova prática, além de ter em mãos um Atlas Multimídia para estudar por meio da revisão de imagens e muito mais! Faça já sua inscrição no CRMedway Online ou no CRMedway Online+Presencial clicando AQUI!

Não esqueça, também, do e-book Como brilhar nas provas práticas de residência médica, disponível na Academia Medway. É isso, moçada! Até a próxima!

Receba conteúdos exclusivos!

Telegram
AlexandreRemor

Alexandre Remor

Nascido em 1991, em Florianópolis, formado pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) em 2015 e com Residência em Clínica Médica pelo Hospital das Clínicas da FMUSP (HC-FMUSP) e Residência em Administração em Saúde no Hospital Israelita Albert Einstein (HIAE). Fanático por novos aprendizados, empreendedorismo e administração.