As instituições mais buscadas para fazer residência em Dermatologia em SP

Apesar de a Dermatologia ser dedicada ao maior e mais superficial órgão do corpo humano, a pele, a residência em Dermatologia mostra que tem bem mais profundidade dentro dessa área: dá pra atuar em Cirurgia, Cosmiatria, Dermatopediatria, Fototerapia, Hansenologia, Oncologia cutânea e muitas outras subespecialidades! 

Cuidar de um órgão tão importante obviamente exige a atuação de bons médicos, por isso a melhor maneira de se tornar um bom dermatologista é investindo em uma boa especialização. Dermatologia está, inclusive, entre algumas das especialidades de acesso mais concorridas para fazer residência médica! Inclusive, o salário de um dermatologista também pode ser bem chamativo, atraindo ainda mais interessados.

Bora conferir?

Já pensou em fazer residência em Dermatologia em São Paulo?

É por isso que estamos aqui: queremos te falar um pouco sobre cada uma das seis instituições mais procuradas por vocês, segundo o Google, para se fazer residência em Dermatologia em SP.

Quem sabe isso não te ajuda nessa decisão? Afinal, todos querem buscar as melhores residências em Dermatologia. Então bora falar de concorrência, duração, conteúdos de cada ano e dicas para os processos seletivos! 

Vem com a gente descobrir a instituição que mais se adequa às suas necessidades!

USP

A residência em Dermatologia na USP foi a segunda mais concorrida no processo seletivo com acesso em 2020 – ficou atrás só de Neurocirurgia! Só pra você ter ideia, foram 16 candidatos disputando cada uma das 9 vagas disponíveis. Então se você estiver pensando em tentar um lugar no programa, prepare-se para ter que “derrubar” muitos candidatos!

Apenas lembrando que a residência em Dermatologia na USP passou por uma mudança recentemente. Antes o primeiro ano da residência era de Clínica e os dois últimos, de Dermatologia; agora os três anos são de Dermatologia. 

No R1, em geral, são dois a três meses de enfermaria, três meses de casos novos, um mês de micologia, dois meses de geriatria e dois meses de atendimento a pacientes de cirurgia dermatológica (junto ao estágio de geriatria).

Se você quiser saber mais sobre essa mudança, vale a leitura da entrevista que fizemos com o Ésio e o Ricardo, que fazem residência em Dermatologia na USP e contaram tudo sobre como é o programa e a vivência por lá.

Fachada do Instituto Central do HCFMUSP, onde quem optar pela residência em Dermatologia irá adquirir experiência
Fachada do Instituto Central do HCFMUSP (Créditos: USP/Reprodução)

Essa vivência, por sinal, acontece no complexo hospitalar da USP, composto pelo Hospital Universitário (HU) e pelo Hospital das Clínicas (HC), principalmente no Instituto Central (ICHC). No nosso Guia Definitivo da USP-SP contamos tudo sobre essa estrutura e tudo o que você precisa saber pra ser um residente lá – da preparação à vida de quem já faz residência médica no HC.

Quer se preparar direitinho pra conseguir sua vaga? Temos um artigo que vai te ajudar a ter uma visão bem aprofundada do exame, contando tudo sobre a prova de residência médica da USP-SP – direto ao ponto! Como já conversamos, o negócio agora é direcionar seu estudo para os temas e assuntos que mais caem na instituição que você quer prestar, hein?

Unifesp

Outra instituição extremamente concorrida, a Unifesp teve 7 vagas para a residência em Dermatologia no processo seletivo com acesso em 2020. A relação candidato/vaga foi ainda maior que a da USP: 27. Então se você quer fazer residência em Dermatologia na Unifesp, pode se preparar para uma concorrência de tirar o fôlego!

Com duração de três anos, grande parte das atividades práticas da residência na Unifesp são desempenhadas no Hospital São Paulo, reconhecido como o maior hospital universitário do país. Falamos tudo sobre o complexo da Unifesp e vários outros temas importantes para quem quer se tornar um residente da instituição no nosso Guia Definitivo – vale muito a pena ler!

Fachada do Hospital São Paulo, onde atua quem faz residência em dermatologia
Fachada do Hospital São Paulo (Créditos: Unifesp/Reprodução)

É bom notar que, ao contrário da USP, a residência em Dermatologia na Unifesp ainda adota o modelo que divide os três anos da especialização em um de Clínica Médica e dois de Dermatologia propriamente dita.

A vivência lá então varia de ano pra ano. No primeiro ano, quem passar na residência em Dermatologia da Unifesp vai rodar por pronto-socorro, UTI, enfermaria de clínica e infectologia, ambulatórios de reumatologia, endocrinologia, hematologia e infectologia. Já no segundo ano, o foco é no ambulatório geral de Dermatologia e Cirurgia Básica. No terceiro, por fim, o enfoque é em especialidades como a cirurgia avançada, cosmiatria, dermatopatologia, biológicos, interconsulta hospitalar etc.

Quem nos contou sobre toda essa rotina foram, na verdade, a Heloísa e o Gabriel, que fazem residência em Dermatologia na Unifesp. Eles também comentaram sobre várias outras coisas muito interessantes o programa, então vale a pena dar uma olhada na entrevista que fizemos com eles, especialmente se você cogita ser residente de dermato na Unifesp!

Aproveitando, se você já cogita fazer residência na Unifesp, já sabe tudo como é essa prova? Nós já contamos tudo sobre a prova de residência médica da Unifesp aqui no blog. E pra dar atenção aos focos que mais importam nessa reta final, dá uma olhada no nosso Guia Estatístico com os seis focos que mais caíram na prova nos últimos cinco anos!

Vale lembrar que a segunda fase da Unifesp tem ainda uma prova de multimídia que põe medo em muito candidato. Mas a gente não quer que esse seja o seu caso (como foi o nosso), por isso, preparamos um Minicurso de Prova Multimídia com três aulas 100% online e 100% gratuitas que conta tudo sobre como se preparar para essa prova e transformá-la no seu diferencial.

SUS-SP

Maior processo seletivo de residência médica do Brasil e o que conta com mais vagas, o SUS-SP ofereceu, no processo seletivo 2019, com acesso em 2020, 12 vagas para a residência em Dermatologia. E se você acha que a concorrência é menor, errou feio! Cada vaga foi disputada por incríveis 65 candidatos, a segunda maior entre as instituições mais buscadas – isso mesmo, a maior ainda está por vir, prepare-se!

Além disso, a prova do SUS-SP é diferente da de outras instituições, sendo composta por somente uma fase: um exame de múltipla escolha, com 100 questões. Em breve vamos ter um artigo aqui no blog falando tudo sobre como é essa prova e qual é a melhor forma de se preparar, então fica de olho por aqui e nos canais da Medway – principalmente o nosso Instagram, que todo dia tem várias dicas sobre preparação pra residência médica.

São cerca de 50 instituições que participam do SUS-SP, cada uma com seus próprios programas de residência médica e sua vivência – e algumas são bem concorridas, então é bom fazer a escolha com cuidado!

Unicamp

A Unicamp é outra opção muito procurada por quem sonha com a residência em Dermatologia. A relação candidato/vaga nem deixa a gente mentir: 36 candidatos pra cada uma das 5 vagas oferecidas no processo seletivo com acesso em 2020.

Não é por menos: além da alta qualidade de ensino, o complexo hospitalar da Unicamp é muito rico! Na residência em Dermatologia na Unicamp, ao longo de três anos, você tem a oportunidade de adquirir experiência no Hospital de Clínicas da universidade, dentro do Ambulatório de Dermatologia, e no Hospital Estadual Sumaré (HES).

Para saber um pouco mais sobre a vivência na residência em Dermatologia na Unicamp, vale a pena conferir a entrevista que fizemos com a Nathalia S e a Natalia I, alunas do programa, aqui no nosso blog.

Hospital Estadual Sumaré, outro local onde é possível adquirir experiência na residência em Dermatologia
Fachada do Hospital Estadual Sumaré (HES) (Créditos: HES/UNICAMP)

A prova não é muito diferente das de outras instituições: mantém a estrutura de 3 fases, com a 1ª fase sendo uma prova dividida em dois períodos, a 2ª uma prova prática e a 3ª uma análise de currículo, também chamada de entrevista. Excepcionalmente neste ano, com acesso direto em 2021, pode ser que coisas mudem por causa da pandemia de COVID-19, então fique atento!

E bora de preparar direito para essa prova também? Aqui no blog já contamos tudo sobre a prova da Unicamp – direto ao ponto e até podemos te dizer o que cai: é só baixar o Guia Estatístico com os seis focos mais cobrados com base em uma análise que fizemos das provas dos últimos cinco anos!

Quer saber ainda mais sobre o assunto? Se sim, é bom dar uma olhada no podcast Finalmente Residente. Nele, recebemos convidados que falam sobre suas vivências nas mais variadas residências e instituições do país! O mais interessante nisso tudo é que você pode ouvir a voz da experiência e conhecer os principais aspectos dessa etapa por meio de quem vive (ou viveu) com afinco a vida de residente. A Natália Suzuki, por exemplo, contou um pouco pra gente sobre a residência em Dermatologia na Unicamp. Ela é fera, então, corre lá pra conferir!

IAMSPE

E finalmente chegamos nele: o rei da concorrência quando o assunto é residência em dermatologia em SP! No último processo seletivo do IAMSPE, com acesso em 2020, foram 3 vagas e uma relação candidato/vaga de 69! A maior dessa lista.

Vista aérea do IAMSPE
Vista aérea do IAMSPE (Créditos: IAMSPE/Reprodução)

E o treinamento em serviço da residência em Dermatologia no IAMSPE não deixa a desejar. Pacientes em tratamento recebem atendimento no Hospital do Servidor Público Estadual (HSPE), onde também são oferecidos diagnóstico, orientações de prevenção e tratamento de doenças que afetam a pele, mucosas, pelos, cabelos e unhas, como queda de cabelo, micoses, vitiligo e câncer de pele.

O processo seletivo do IAMSPE é semelhante ao de outras instituições pra fazer residência médica em SP (prova teórica, prova prática e entrevista), e nós também já contamos tudo sobre essa prova. Agora atenção para o componente especial: assim como a Unifesp, o IAMSPE também tem uma prova multimídia na segunda fase. Mais um motivo pra você dar uma olhada no Minicurso de Prova Multimídia, hein?

Unesp

Pra fechar, não podíamos deixar de falar da residência em Dermatologia da Unesp. O complexo hospitalar da universidade fica na cidade de Botucatu, onde garante assistência a cerca de 2 milhões de pessoas.

O Hospital das Clínicas de Botucatu é o mais conhecido desse complexo, mas apenas uma parte dele. Além dele, há também o Hospital Estadual Botucatu (HEBo), além do Serviço de Atenção e Referência em Álcool e Drogas (SARAD) e de dois prontos-socorros, um adulto e um infantil.

Para quem optar pela residência em Dermatologia, vai ser importante se familiarizar principalmente com o HEBo e com o Hospital das Clínicas. A Dermatologia da Unesp também dispõe de unidade de triagem, onde atende a 40 fichas de triagem por dia e oferece suporte à demanda específica dos prontos-socorros adulto e infantil.

Entre as instituições mais procuradas para a residência em Dermatologia, a Unesp tem uma das menores concorrências entre as 6 instituições que mencionamos, tendo apresentado cerca de 25 candidatos para cada uma das 6 vagas oferecidas no processo seletivo 2019-2020 – o que também não deixa de ser uma baita concorrência, né?

Ufa! Já sabe onde cursar a residência em Dermatologia?

A escolha de onde fazer sua residência em Dermatologia realmente não é fácil, nós sabemos. São Paulo tem muitas instituições de renome, e são muitas variáveis em jogo na hora de tomar essa decisão. Mas esperamos que, falando um pouco das mais buscadas, a gente tenha conseguido te ajudar com todo esse processo.

Não deixa de acompanhar o nosso blog, pois já começamos a publicar vários artigos sobre os diferentes programas de residência médica e as provas de residência das principais instituições de São Paulo.

Ficou alguma dúvida? Fala pra gente! Deixe aqui nos comentários que a gente responde! 

Bons estudos!

Receba conteúdos exclusivos!

Telegram
JoãoVitor

João Vitor

Capixaba, nascido em 90. Graduado pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES) e com formação em Clínica Médica pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HC-FMUSP) e Administração em Saúde pelo Hospital Israelita Albert Einstein (HIAE). Apaixonado por aprender e ensinar.