Carregando

Curso de Psiquiatria: quais as opções para quem quer se especializar mais?

Terminada a faculdade, vem mais estudos por aí! Isso porque quem escolhe a Medicina como missão, escolhe também estudar a vida toda! E a bola da vez pro nosso bate-papo de hoje é o curso de psiquiatria e as possibilidades de especialização.

E olha só, não importa a instituição de ensino que você deseja: se o seu sonho é essa residência, a gente vai junto com você! Bora lá? Confere aqui as instituições mais buscadas pra cursar Psiquiatria no Brasil e se tornar um especialista no alívio do sofrimento emocional do ser humano. 

Vem com a gente pra saber mais dessa carreira que pode ser o seu futuro! 

Muitas vezes, o curso de psiquiatria é uma ótima maneira de se especializar e se inserir no mercado

O psiquiatra

Antes de pensar em curso de psiquiatria, vamos do começo.

O perfil esperado para quem quer ser psiquiatra é bastante exigente. Além, é claro, de dominar as técnicas e procedimentos e do amplo conhecimento em Psicofarmacologia e Clínica Médica, é preciso também ter empatia — essa palavrinha tão em voga hoje em dia faz parte da rotina desse especialista — uma vez que você vai lidar com o sofrimento alheio. 

Como as consultas costumam ser demoradas, você vai ter que treinar a escuta atenta e paciente pra desenvolver um vínculo de confiança com o doente e também vai ampliar sua capacidade de trabalhar em grupo, já que a área se desenvolve em ações multidisciplinares, com a atuação de outros profissionais de saúde mental, como psicólogos, terapeutas ocupacionais, fonoaudiólogos, psicopedagogos e enfermeiros especializados. 

E não esquece: o trabalho do psiquiatra é importantíssimo pra autonomia do paciente, já que ele atua no alívio do sofrimento mental e nos mais variados distúrbios associados à emoção que podem alterar o comportamento da pessoa e afetar diretamente o seu dia a dia, causando sofrimento e prejuízo funcional. 

A rotina e o mercado de trabalho do psiquiatra

Por falar em consultas, essa é uma especialidade clínica, ou seja, não há prática cirúrgica e grande parte do cotidiano do psiquiatra se dá nos ambulatórios, consultórios e clínicas especializadas privadas. A gente não pode se esquecer de que também há bastante oportunidade de trabalho no setor público, nos plantões de acolhimento em urgências psiquiátricas nos hospitais psiquiátricos. E atualmente, com a ampliação dos CAPS (Centros de Atenção Psicossocial) e das Clínicas de Saúde da Família pelo SUS (Sistema Única de Saúde), a demanda por esse profissional tem aumentado consideravelmente, seja no matriciamento e nas visitas às casas dos pacientes, seja no atendimento ambulatorial. 

Existem, ainda, as interconsultas no sistema de sobreaviso – aquelas em que é necessária a avaliação psiquiátrica local e a observação mais de perto por esse especialista. O médico psiquiatra também pode optar por trabalhar na área pericial e essa é uma atuação de extrema responsabilidade social, pois vai analisar e diagnosticar pacientes em processos criminais. A gente vai te contar mais sobre isso nos próximos tópicos. 

E aqueles que têm paixão por ensinar, podem, exclusivamente ou concomitantemente com outros trabalhos, seguir pela área acadêmica, buscando mais especialização stricto sensu e lecionando em faculdades e instituições de ensino superior no campo da Medicina. Se você tem dúvidas de como é fazer uma pós-graduação em Medicina, corre aqui

A residência médica em Psiquiatria 

Pra você que pensa em se embrenhar nesta área, prepare-se, pois a notícia é boa: a residência médica em Psiquiatria é de acesso direto e tem 3 anos de duração! Diversas instituições no país oferecem anualmente vagas para essa especialidade, que costumam ser concorridíssimas! Segundo os dados mais recentes do ranking Demografia Médica no Brasil, em 2017 mais de 4% de todos os residentes no país escolheram a Psiquiatria e a tendência é só aumentar! Das 54 especialidades médicas disponíveis para a residência atualmente, Psiquiatria é a 12ª mais procurada. A corrida acirrada por uma vaga na residência médica em Psiquiatria só fica atrás de Clínica Médica, Pediatria e Cirurgia Geral. 

Na Paulista (Escola Paulista de Medicina da Unifesp), uma das mais antigas e afamadas escolas de Medicina de São Paulo, por exemplo, a residência em Psiquiatria tem grande adesão por parte dos estudantes e os estágios são muito interessantes, com vários casos difíceis que motivam e incentivam o estudo e a compreensão de questões de saúde mental, além de oferecer algum conforto, como sala de descanso e alimentação gratuitas aos residentes. Quer saber mais? Olha só essa entrevista bacana que a gente fez com uma aluna do curso de Psiquiatria da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo). E se esse é o seu sonho, em São Paulo há muitas outras instituições renomadas que também oferecem esse curso, como a ISCMSP (Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo) e a USP-RP (Universidade de São Paulo-campus Ribeirão Preto). Vale a pena se esforçar pra estudar nessas instituições de peso e se destacar ainda mais no mercado! 

As subespecialidades da Psiquiatria 

Achou que só porque a residência terminou você podia parar por aí? Ah! Não! Se a residência não basta pra você, vamos além! Sabia que existem muitas subespecializações e diferentes tipos de curso de psiquiatria? Que tal conhecer um pouquinho de cada um deles? Vem com a gente! 

Como essa é uma área da Medicina que está em ampla ascensão, já que viver no mundo moderno traz aumenta cada vez mais o desafio de conviver com a ansiedade e o estresse, já existem muitas subespecialidades disponíveis focadas em nichos etários específicos e outras áreas associadas. Lá no início da nossa conversa, a gente falou um pouquinho sobre a psiquiatria forense, mas essa é apenas a mais popular. 

Quem termina a residência em Psiquiatria, conquista o título de especialista e pode ir em busca de mais formação e especificidade. E vai encontrar na Psicoterapia a habilidade para tratar dos problemas psicológicos como a depressão, os transtornos de humor, de personalidade ou alimentares; na Psicogeriatria vai poder atuar nos principais problemas que atingem a terceira idade, como o Alzheimer e o Parkinson.

Vai poder também trabalhar com crianças e suas manifestações de transtornos mais comuns: o autismo, a hiperatividade e o TDA (Transtorno de Déficit de Atenção) na subespecialidade chamada Psiquiatria da infância e adolescência.

E tem novidade também: a Medicina do Sono – subespecialidade tanto da Psiquiatria como de várias especialidades médicas, como a Pneumologia, a Neurologia, a Otorrinolaringologia, a Pediatria e a Clínica Médica. É ela que vai buscar diagnóstico e tratamento dos distúrbios do sono e seu impacto na vida das pessoas.

E pra fechar nossa lista com chave de ouro, a vedete Psiquiatria Forense! Essa área de atuação costuma ser bem romantizada por conta das atuações nas séries policiais americanas, mas aqui, o psiquiatra forense “made in Brazil”, além de todo o conhecimento médico, precisa ter também, as expertises dos meandros do Direito. Pra saber mais sobre essa subespecialização, você pode conferir o artigo que fizemos e que conta tudinho e sem mistérios como você faz pra entrar nessa carreira. 

O curso de psiquiatria

Na intenção de gerar resultados altamente efetivos na especialidade escolhida, muitos médicos contam ainda com a formação continuada, comum nos cursos de pós-graduação lato sensu ou ainda os stricto sensu, que são mestrados e doutorados — mirando na atividade acadêmica.

Mas há alternativas eficientes e de curta duração pra quem busca mais conhecimento sobre medicamentos, novas práticas e condutas na Psiquiatria: são os cursos de atualização, palestras, eventos, congressos e jornadas. Muitos deles são gratuitos e podem ser realizados de forma remota, em plataformas online.

A USP-SP, por exemplo, oferece já pra início de janeiro de 2021, os cursos Espiritualidade e Saúde Mental em diálogos com Filosofia, Literatura e Ciência e muitos outros ao longo do ano. Pra quem tá de olho na pós-graduação, vale a pena conferir as oportunidades oferecidas pela Santa Casa de Misericórdia e pelo Hospital Israelita Albert Einstein bem como os valores de investimento e o tempo de duração de cada curso de psiquiatria. 

E aí? Gostou da nossa conversa? Está pronto para encarar esse desafio para lá de exigente? Uma coisa temos certeza depois disso tudo: vai valer a pena todo esforço e dedicação que você despender nessa caminhada! 

E fica a dica: se vai trilhar o caminho da residência médica, pode contar com a gente! Aqui no blog, nós já contamos tudo sobre como são as provas de residência médica! Dá uma olhada na Academia Medway, recheada de conteúdo gratuito e de excelente qualidade, como Guia Definitivo da Residência Médica na Unifesp. Bora brilhar? Pra cima!

Receba conteúdos exclusivos!

Telegram
JoanaRezende

Joana Rezende

Carioca da gema, nasceu em 93 e formou-se Pediatra pela UFRJ em 2019. No mesmo ano, prestou novo concurso de Residência Médica e foi aprovada em Neurologia no HCFMUSP, porém, não ingressou. Acredita firmemente que a vida não tem só um caminho certo e, por isso, desde então trabalha com suas duas grandes paixões: o ensino e a medicina.