Carregando

Endemia: confira tudo que você precisa saber

Hoje vamos falar sobre a endemia, um assunto bastante em alta nos últimos tempos. Com a leitura deste texto, você vai ficar por dentro de tudo a respeito desse tema e se tornar um craque no assunto. E aí, tá preparado? Então, vamos lá! Continue com a gente! 

O que é endemia? 

A endemia pode ser caracterizada como uma doença, na maioria das vezes infecciosa, que aparece com frequência em um país ou região por influência das causas locais.

Um exemplo é a malária, que é uma das principais doenças em países tropicais de baixa renda. Outro exemplo é a dengue. É uma doença também limitada pelas condições climáticas, assim como a malária, pois ambas são transmitidas pelo mosquito. 

Em locais secos e frios, o mosquito não consegue se reproduzir e sobreviver. Com isso, a doença não se torna endêmica naquele local.

Contudo, após o aquecimento global, o clima está mudando em várias partes do mundo e facilitando o surgimento de novas endemias. 

Outro termo importante a ser definido quando falamos sobre esse tema é o termo epidemia, que é utilizado quando o número de pessoas com aquela doença em um determinado local ultrapassa o que era esperado para aquela época do ano. 

Chamamos o número de pessoas doentes esperado para aquela determinada doença, naquele determinado local e em uma determinada época de limiar epidêmico. Acima daquele limite, consideramos que estamos diante de uma epidemia.

Entenda mais sobre o conceito de endemia
Entenda mais sobre o conceito de endemia

Epidemia 

É uma doença transitória e acidental, que acomete um grande número de pessoas em uma mesma região ou país ao mesmo tempo. 

O número de casos que indicam a presença de uma epidemia varia conforme o tamanho e o tipo de população exposta, o agente, sua experiência prévia ou ausência de exposição à doença, e o lugar e tempo de ocorrência. Se a epidemia atingir vários países de continentes diferentes, é chamada de pandemia

Surto

É o aparecimento súbito somado a um aumento não esperado da doença num determinado espaço geográfico específico, como uma comunidade, um povoado, um barco, uma instituição fechada (escola, hospital, quartel, mosteiro).

Em teoria, um surto seria o alarme inicial de uma possível epidemia e, portanto, a identificação acertada de um surto seria a maneira mais precoce de prevenir uma epidemia subsequente.

Fatores condicionantes e determinantes da endemia e epidemia

Epidemias e endemias têm como fatores condicionantes e determinantes diferentes: situações culturais, econômicas, ecológicas, biológicas e psicossociais.

O entendimento desses fatores é importante para o planejamento de ações de prevenção e controle dos agravos com potencial epidêmico e endêmico.

Alguns determinantes e condicionantes são exemplificados no quadro abaixo: 

Quadro 1 – Exemplos de determinantes de epidemia e endemias
Determinantes econômicos: miséria, privações resultando em habitações precárias, falta de saneamento básico e de água tratada e ocupação do território de forma desordenada.
Determinantes culturais: hábito de defecar próximo de mananciais, hábitos alimentares de risco como ingestão de peixe cru ou ostras.
Determinantes ecológicos: poluição atmosférica, condições climáticas e ambientais favoráveis à proliferação de vetores.
Determinantes psicossociais: estresse, uso de drogas, ausência de atividades e locais para lazer.
Determinantes biológicos: indivíduos suscetíveis, mutação do agente infeccioso, transmissibilidade do agente.

(fonte:[https://www.nescon.medicina.ufmg.br/biblioteca/imagem/3285.pdf])

A pandemia e a globalização

Atualmente, a globalização constitui outro determinante importante, resultado do intenso fluxo de alimentos e pessoas no mundo. 

A rapidez de deslocamento das pessoas proporcionada pelo fácil acesso ao transporte aéreo permite que agentes causadores de epidemias sejam transmitidos rapidamente para indivíduos de várias regiões do planeta em curto espaço de tempo. 

O COVID-19, por exemplo, causou, em 2020, pandemia em menos de seis meses.

Enfrentamento das endemias e epidemias

É essencial para o enfrentamento, além dos determinantes e condicionantes, também conhecer o modo de transmissão das doenças, os agentes etiológicos, suas características clínicas e condições ambientais em que elas ocorrem. 

São exemplos de ações para o enfrentamento: educação em saúde, mobilização comunitária, identificação de criadouros. Não se combate o que não se conhece, não é mesmo?

Curtiu saber mais sobre o conceito de endemia? 

Agora você sabe mais sobre o conceito de endemia! Então, confira outros conteúdos que publicamos aqui, no blog. Eles foram feitos especialmente para você mandar bem no seu plantão e ficar por dentro dos mais variados assuntos.

Além disso, se deseja conferir mais conteúdos de Medicina de Emergência, conheça a Academia Medway. Por lá, são disponibilizados diversos e-books e minicursos completamente gratuitos para auxiliar no seu aprendizado. 

Referências

MOURA, Alexandre Sampaio.ROCHA, Regina Lunardi. Endemias e epidemias: dengue, leishmaniose, febre amarela, influenza, febre maculosa e leptospirose. Belo Horizonte: Nescon/UFMG,p. 15-25, 2012.

SAÚDE, Ministério da. Secretaria executiva.Controle de Endemias. Brasília, 2001

SAÚDE, Organização Pan-Americana de. Ministério da Saúde. Módulos de Princípios de Epidemiologia para o Controle de Enfermidades. Módulo 5: pesquisa epidemiológica de campo – aplicação ao estudo de surtos. Brasília, 2010.

Receba conteúdos exclusivos!

Telegram

É médico e quer contribuir para o blog da Medway?

Cadastre-se