Carregando

Internato de Medicina: como funciona na USP

Está a fim de saber como funciona o internato de Medicina na USP? Não é segredo para ninguém que essa é uma das universidades mais desejadas de quem deseja ingressar na área. Com reconhecimento nacional e internacional, é superconcorrida, mas oferece oportunidades incríveis aos estudantes, da graduação até a residência médica. Portanto, se você pensa em fazer parte dessa turma, é bom se preparar!

O internato, como de praxe, acontece durante os dois últimos anos da graduação. Ele será indispensável para que você se desenvolva na carreira médica, já que começará finalmente a ter atuação prática, com a supervisão de tutores ou preceptores. Na USP, esses detalhes não mudam, mas existem outros sobre os quais vale a pena se informar para saber o que te espera e como aproveitar ao máximo essa fase.

Então, vamos lá! Continue a leitura deste artigo para se informar sobre como funciona o internato de Medicina na USP e outros detalhes da graduação para afiar os conhecimentos e arrasar nessa experiência!

A graduação em Medicina na USP

Antes de entender como funciona o internato de Medicina na USP, vale lembrar de que tudo começa quando você inicia a graduação. Em 2020, a Medicina da USP liderou o ranking de concorrência, com cerca de 154,6 candidatos por vaga. Por aí você já tem uma ideia do quanto deve se preparar para passar no ENEM ou na Fuvest, certo?

A nota de corte, por sua vez, ficou em 827 pontos para a universidade, na modalidade ampla concorrência. Isso significa que você precisa tirar de letra as duas fases das provas e ainda arrasar na redação, para que a média seja alta e você conquiste a tão sonhada vaga. Se você ainda está no Ensino Médio, é hora de dar um pontapé nos estudos.

Mas, depois que a matrícula está garantida, você já poderá se dedicar com tudo ao curso. Ele tem a duração de 12 semestres, equivalentes a 6 anos, e é dividido em três etapas. A primeira delas é o ciclo básico, que envolve os dois primeiros anos da graduação.

Nesse momento, o aluno se dedica principalmente a disciplinas teóricas e das grandes áreas da Medicina. Em seguida vem o ciclo clínico, que engloba o terceiro e o quarto ano do curso, e fica mais aprofundado tanto em teoria quanto no início da prática que, por sua vez, se instala realmente no internato. Ou seja, nos dois últimos anos do curso.

A partir de então, você entra direto para o hospital, para vivenciar a prática médica nas mais diversas especialidades, realizar plantões, fazer seus primeiros atendimentos e acompanhar os tutores em várias situações e casos médicos. Este é um dos momentos mais importantes para o estudante, seja na USP ou em qualquer outra universidade.

Afinal, além de começar a atuar, o aluno também pode, finalmente, decidir por meio dessa experiência qual residência médica fazer. Então, vale a pena se dedicar e aproveitar ao máximo tudo o que o internato oferece.

Internato de Medicina: como funciona na USP

Agora sim, é hora de saber exatamente como funciona o internato de Medicina na USP! Primeiro, é importante dizer que para se matricular no primeiro semestre do internato, ou seja, no primeiro semestre do quinto ano de Medicina, você precisa ter sido aprovado em todas as disciplinas dos anos anteriores, ok?

Esse é um pré-requisito da universidade. Para conseguir fazer o internato sem isso, é necessária uma autorização específica, então para evitar burocracias e maiores dificuldades para passar logo para essa fase especial do curso, é bem melhor se dar bem desde o começo. Sabendo disso, dedique-se!

Estágios

O internato da USP é dividido em estágios de durações variadas, mas incluem, sempre, as seguintes especialidades:

  • Clínica Médica;
  • Cirurgia;
  • Ginecologia;
  • Obstetrícia;
  • Pediatria;
  • Saúde Mental/Psiquiatria;
  • Urgências e Emergências;
  • Ortopedia;
  • Dermatologia;
  • Doenças Infecciosas e Parasitárias;
  • Atenção Primária/Medicina de Família e Comunidade.

Para completar, no quinto ano o aluno tem um período de cerca de 4 semanas para escolher estágios eletivos, seja dentro da própria instituição ou mesmo em outras, no Brasil e no exterior. A única exigência neste sentido é que os programas sejam validados pela governança curricular.

Hospitais

Todas as atividades relacionadas à graduação de Medicina na USP são realizadas dentro dos institutos de seu próprio hospital. Sendo assim, com o internato não poderia ser diferente. Como você já terá realizado alguma atividade nas dependências do complexo hospitalar, já estará mais familiarizado.

A maior parte dos estágios gerais e de urgência e emergência são realizados no FMUSP-HC. Os estágios eletivos que forem escolhidos dentro da própria instituição também acontecem por lá, tanto em especialidades clínicas quanto cirúrgicas.

Em relação ao aprendizado voltado para atenção primária à saúde, as atividades acontecem no Centro de Saúde Escola do Butantã, vinculado à USP. Existem outras unidades básicas de saúde vinculadas, para onde os alunos também poderão ser encaminhados.

Avaliação

A avaliação do internato da USP é realizada de acordo com cada unidade curricular e estágio prestados pelo aluno. Elas correspondem a objetivos educacionais, composta por uma avaliação de conhecimentos, habilidades e atitudes.

Ou seja, não adianta nada dominar determinada especialidade se você chega atrasado todos os dias ao plantão, por exemplo. A atuação médica é pautada, desde o internato, na ética e na responsabilidade do atendimento ao paciente e no respeito com os colegas.

Sendo assim, vale a pena dar uma olhada na lista de exigências da USP, para conhecer mais a fundo os componentes que fazem parte da avaliação. Assim, você se prepara para todos, descobre o que observar na postura dos preceptores e consegue atender a todas as exigências para ter um ótimo desempenho.

Provas

Pensa que devido à carga pesada e a rotina corrida do internato você vai fugir das provas? Nada disso! A avaliação feita com base em habilidades e comportamentos é só um passo para que você obtenha a sua aprovação.

Além dela, você também realiza provas práticas com estações, com base na metodologia OSCE de avaliação clínica objetiva estruturada. Todos os alunos recebem feedback do seu desempenho, e as provas acontecem ao longo do quinto e do sexto ano, de forma bem distribuída e de acordo com a experiência que tiveram até o momento.

Aproveite esses momentos para observar sua prática de maneira reflexiva, entender onde errou, o que pode melhorar e valorizar as áreas nas quais se deu bem. É a partir desses resultados que você construirá seu caminho na área médica.

Disciplinas e estágios

E, na prática, o que você vai ver e por onde vai passar nesse período? De acordo com o projeto pedagógico da USP, os estágios e disciplinas se dividem da seguinte forma durante o quinto ano de Medicina e primeiro ano de internato:

  • Estágio Integrado em Cirurgia (Cirurgia Geral, Cirurgia do Aparelho Digestivo e Técnica Cirúrgica);
  • Estágio Integrado em Medicina de Família e Comunidade e Saúde Mental;
  • Estágio Integrados em Especialidades (Dermatologia, Oftalmologia, Reumatologia, Endocrinologia, Imunologia e Hematologia);
  • Estágio Integrado em Clínica Médica e Moléstias Infecciosas (inclui Geriatria e Nefrologia);
  • Estágio Integrado em Obstetrícia e Ginecologia;
  • Estágio Integrado em Pediatria.

Todos eles têm a duração de 7 semanas. Após o cumprimento dessa carga horária, o aluno ainda tem 2 semanas voltadas para o estágio eletivo e 2 semanas para workshops do internato. Além disso, são realizadas atividades de Bioética Clínica durante todo o ano.

No sexto ano, por sua vez, a divisão fica um pouco diferente. Os primeiros estágios têm a divisão de 12 semanas cada. São eles:

  • Estágio Integrado em Clínica Médica e Cirurgia (inclui Otorrinolaringologia);
  • Estágio Integrado de Emergências (Cirurgia, Clínica Médica, Cardiologia e Neurologia).

Em seguida, o aluno passa pelas seguintes áreas:

  • Estágio Integrado de Pediatria II;
  • Estágio de Ortopedia;
  • Estágio de Obstetrícia.

O estágio de Pediatria II terá a duração de duas semanas, enquanto o restante, de três semanas. As atividades que ocorrem durante todos os estágios são voltadas para Saúde Coletiva e Epidemiologia. E, por fim, também é necessário dedicar duas semanas para workshops do internato.

Ufa! Muita coisa, não é mesmo? Mas essa é a forma como funciona o internato de Medicina na USP. É muita informação e muito conteúdo, mas, na mesma proporção, você poderá praticar bastante, ao lado de professores e profissionais renomados, com anos de experiência e que terão muito a acrescentar em sua formação médica.

Já está na USP? E como vão os estudos?

É isso aí! Você já está por dentro de como funciona o internato de Medicina na USP e sabe o que te espera no futuro. Então, agora é hora de mandar ver e se preparar para encarar essa experiência, afinal, você viu como o curso de Medicina por lá é concorrido, não é mesmo?

Veja só, nós temos um conteúdo para te ajudar nessa fase! O Curso de Internato da Medway é gratuito e vai te ajudar a perder a insegurança nessa fase da faculdade. Por lá, você vai aproveitar 16 horas de aula, com direito a aprendizado sobre anamnese, preenchimento do prontuário e passagem de visita, exame físico das mais diversas especialidades, procedimentos e muito mais. Clique aqui e se inscreva!

Seja no internato ou antes dele, é fundamental manter um bom desempenho, porque o nível da universidade é altíssimo e a galera não está para brincadeira!

Precisa de um empurrãozinho para dar um gás no conteúdo? Baixe o app da Medway para estudar por questões de residência, reforçar o conteúdo aprendido na graduação e usar os filtros de temas para dar aquela direcionada no seu cronograma. Você não vai se arrepender!

Receba conteúdos exclusivos!

Telegram
AlexandreRemor

Alexandre Remor

Nascido em 1991, em Florianópolis, formado pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) em 2015 e com Residência em Clínica Médica pelo Hospital das Clínicas da FMUSP (HC-FMUSP) e Residência em Administração em Saúde no Hospital Israelita Albert Einstein (HIAE). Fanático por novos aprendizados, empreendedorismo e administração.