Carregando

Prova de residência médica da Unicamp: como foi em 2021 e o que esperar para 2022?

Atenção, candidatos: prova de residência médica da Unicamp à vista! O edital foi divulgado há pouco, então se você quer entrar para essa universidade, provavelmente já tem uma ideia do que vai rolar. Mas é sempre bom entrar em detalhes para se preparar melhor e bater a concorrência, concorda?

Até porque, de um ano para outro sempre dá para se surpreender. Nesse momento, inclusive, contar com o depoimento de quem enfrentou o processo seletivo em outra ocasião pode ajudar bastante a prever o básico e entender como cada etapa funciona. E é isso que vamos mostrar por aqui!

Então, se você quer saber tudo o que aconteceu em 2021 e descobrir o que esperar para 2022, está no lugar certo. Não perca mais tempo, abra o edital, pegue um caderno para anotar nossas orientações e continue a leitura!

Como foi a prova de residência médica da Unicamp em 2021 e como será em 2022?

Bom, para começar, vale a pena fazer uma pequena comparação sobre como foi a prova de residência médica da Unicamp em 2021 e como será em 2022. O que a gente pode dizer é que não muda muita coisa, mas é importante saber as exigências de cada fase para não escorregar em nenhuma delas e manter o bom desempenho, em especial nas provas que têm um peso bem alto. Quem ajuda a contar um pouco mais sobre isso é a Vanina Almeida, que prestou a prova no ano passado e hoje é R1 de Medicina Preventiva e Social na instituição. Veja só!

Primeira fase

Tanto em 2021 quanto em 2022, a primeira fase tem a mesma estrutura: duas provas teóricas. É isso mesmo! Uma delas é objetiva, de múltipla escolha. Ela conta com 80 questões, sendo que cada uma delas tem peso 3,5 e é pontuada de 0 a 10.

Confira uma imagem ilustrativa associada ao tema da prova de residência médica da Unicamp!
Saiba mais acerca do processo seletivo da Unicamp

Ela acontece na parte da manhã, no dia divulgado pelo edital. A segunda prova, por sua vez, é dissertativa. São 60 questões que exigem respostas curtas com peso 5,5. Sua aplicação acontece na parte da tarde, no mesmo dia da prova de múltipla escolha.

Ambas contemplam as cinco grandes áreas da Medicina. Ou seja, é importante ficar afiado no conteúdo para tirar de letra essa fase. Afinal, a soma das duas provas resulta no peso 9 para a etapa, essencial para sua aprovação para a próxima, certo? E quem já esteve lá, o que diz sobre a prova? Agora, a Vanina entra em cena!

“Em relação à prova aberta, eu achei bom o tempo disponível para realizar as questões. As perguntas eram bem diretas, então realmente, se fosse uma pergunta que eu não soubesse e eu tivesse que parar para pensar, realmente daria ruim. Mas acabei as duas provas no tempo certo”, comenta a mais nova residente do pedaço.

A partir dessa dica, é só se lembrar de ter paciência, ler tudo com atenção e tentar ao máximo deixar a ansiedade de lado. O tempo é calculado por profissionais, e a prova é muito bem-feita para que todo mundo consiga dar conta do recado no período certo, então não há o que temer.

A prova da Unicamp é conhecida por “testar”, além dos conhecimentos, a resistência física dos candidatos. Isso porque cada uma tem a duração de 4 horas, então o dia é cheio e bem pesado. A melhor recomendação é sempre chegar com antecedência aos locais indicados (algumas provas não ocorrem na Unicamp, e sim a PUC, por exemplo), programar um local próximo para almoço ou levar um lanche reforçado, e dormir muito bem no dia anterior para ter disposição.

Segunda fase

Nos dois anos, a segunda fase é composta unicamente pela análise curricular. Ou seja, não é preciso se preocupar com a famosa entrevista. Entretanto, não quer dizer que você tenha que relaxar: tem que caprichar nesse currículo para que ele mostre realmente o que você produziu ao longo de seu período de estudos.

Além do arquivo que precisa ser enviado pelo site do processo seletivo, ainda é preciso anexar todos os documentos comprobatórios. Sendo assim, preencha o currículo com transparência e honestidade, somente com aquilo que você realmente realizou e tem como comprovar, sempre respeitando as regras e exigências dos avaliadores para ter uma pontuação significativa e válida.

É possível incluir: iniciação científica, pesquisas divulgadas em eventos, participação em eventos, artigos publicados, entre outros. Capriche nas escolhas e fique atento à pontuação. O peso dessa etapa equivale a 1, ou seja, 10% da nota. E o que a Vanina diz sobre essa parte?

“Eu não tinha uma bagagem grande de produção acadêmica, porque não é um incentivo recorrente na minha universidade de formação. Eu achei que teria a oportunidade de ‘vender meu peixe’ na arguição, e mostrar minha capacidade nesse momento, algo que não dá para ver no papel”, conta Vanina. Mas a análise curricular não contou com essa parte voltada para entrevista. “Por outro lado, evitei a ansiedade de não saber o que seria perguntado.”, diz ela.

Basicamente, diante dessa experiência, dá para ver que não há muito o que fazer: o que você tem no currículo deve ser apresentado, e é isso aí! Mesmo que a sua produção não seja extensa, coloque tudo o que você considera que tem valor para a banca, dê aquela turbinada no conteúdo e monte um arquivo em PDF seguindo todas as normas descritas no edital. Depois de conquistar a vaga, você terá a oportunidade de mostrar como essas vivências agregaram para a sua formação, bola pra frente.

Outra coisa importante: os candidatos são chamados para essa fase conforme a quantidade de vagas. Por exemplo, se há 1 vaga para determinada especialidade, são convocados os 5 primeiros classificados. Para 2 vagas, os 10 primeiros, e assim por diante, de forma proporcional.

O que vai cair na prova de residência médica da Unicamp em 2022?

Mas e aí, o que cai na prova de residência médica da Unicamp em 2022? Não dá para saber exatamente, mas é possível prever alguns temas, assuntos e abordagens que podem fazer a diferença em seu cronograma e método de estudos favoritos.

Inclusive, esse é um dos trabalhos que a Medway faz! O mapeamento de conteúdo dos últimos anos sempre inclui alguns pontos recorrentes para a cobrança da banca. Você pode conferir tudo no Guia Estatístico da Unicamp, o material gratuito que contém todos esses dados e informações preparados por nós.

Além disso, não se esqueça de que estudar por questões é uma ótima maneira de pegar de jeito a estrutura da prova. Afinal, a construção de enunciados e estilo de questões costuma se repetir, então você saberá como interpretar e responder o que cair, independentemente do tema.

Inclusive pelo fato de que você terá que lidar com dois tipos de questões diferentes, não é verdade? As de múltipla escolha tem um estilo, e as dissertativas, outro. Em geral, nenhuma das duas contém aquelas “pegadinhas”, mas entender a elaboração faz a diferença até mesmo para saber como construir a sua resposta nas questões abertas: elas são curtas, precisam ir direto ao ponto, sem espaço para maiores delongas.

Por último, ainda é importante ressaltar que a prova da Unicamp é bastante concorrida, como a maioria das provas de instituições de São Paulo. Porém, não desanime, nem se compare a ninguém. Foque na sua preparação e use nossos materiais a seu favor para tirar de letra esse processo seletivo e conquistar sua vaga.

E é isso aí! O resultado oficial desse processo seletivo sai no dia 31 de janeiro. Normal ficar na ansiedade, mas no dia 25 você já terá acesso a um resultado prévio para ter uma ideia da sua classificação: a diferença é que ele estará aberto para recursos, então uma coisa ou outra poderá mudar até a semana seguinte.

Saiba tudo sobre a prova de residência médica da Unicamp 2022 no podcast Projeto R1 SP da Medway

Por esse post, já deu para captar a essência da prova de residência médica da Unicamp, não é mesmo? E nem é preciso comentar como as dicas da Vanina Almeida foram super úteis para garantir a visualização desse terreno concorrido e repleto de desafios, concorda? Quem já esteve lá sempre tem uma posição valiosa para ajudar os colegas.

Contudo, não pare por aí! No podcast da Medway, o Projeto R1 SP, você confere outras recomendações da Vanina, com base em sua experiência e que englobam questões como o que levar para comer, materiais essenciais para a prova e como ficar confortável com a máscara e os cuidados relacionados à pandemia.

Para completar, ainda houve comentários da Ana e do Marcão, nossos professores e hosts, sobre o edital deste ano: eles também tiveram a experiência de enfrentar a prova da Unicamp e compartilham um pouco disso ao longo do programa. Não deixe passar e dê o play agora mesmo para se informar ainda melhor.Vai tentar mais processos seletivos além da prova de residência médica da Unicamp? Então aproveite para conferir o que preparamos para você no CRMedway, uma ótima alternativa para estudar para a prova multimídia e entrevista, que faz parte das exigências de outras instituições. Pra cima!

Receba conteúdos exclusivos!

Telegram
AlexandreRemor

Alexandre Remor

Nascido em 1991, em Florianópolis, formado pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) em 2015 e com Residência em Clínica Médica pelo Hospital das Clínicas da FMUSP (HC-FMUSP) e Residência em Administração em Saúde no Hospital Israelita Albert Einstein (HIAE). Fanático por novos aprendizados, empreendedorismo e administração.