Carregando

Qual é a especialidade do endocrinologista?

A residência é um passo importante na vida do médico. Para ajudar você na escolha da especialidade, vamos apresentar mais uma opção. Com mais informações sobre o que um endocrinologista faz, você pode se sentir seguro para seguir carreira na área.

Para isso, a seguir, você aprende o que um especialista na área da Endocrinologia faz e quais são as atuações no mercado de trabalho. Assim, não restam dúvidas de que há diversas possibilidades para quem escolher essa área durante a residência.

Qual é a especialidade profissional dessa área?

Saber o que é Endocrinologia não é uma tarefa difícil. Esse é o campo que cuida das glândulas do corpo humano responsáveis por produzir e secretar os hormônios que auxiliam o metabolismo, o desenvolvimento e o crescimento do corpo, além da reprodução humana.

A especialidade também pode receber o nome de Endocrinologia e Metabologia. Isso é justificado pela abordagem de todo o metabolismo, que apresenta um conjunto de ações realizadas no corpo e tem por finalidade liberar energia para as atividades diárias.

Quando há algum problema na produção de hormônios, o metabolismo pode ser afetado, e o paciente pode apresentar sintomas como fadiga constante. Para descobrir as causas desse cansaço e tratá-lo, é necessário consultar um endocrinologista.

Como é a rotina e o mercado de trabalho?

Afinal, para que serve o endocrinologista? Esse médico pode tratar condições, como a menopausa e a andropausa, e realizar reposições hormonais para aliviar o desconforto causado.

Além disso, pode atuar no diagnóstico e no tratamento de diversos quadros clínicos, não apenas nas mulheres. Alguns exemplos são diabetes, osteoporose, crescimento excessivo ou deficiente em crianças e adolescentes, distúrbios menstruais, doenças da hipófise e da tireoide e outros.

Você sabia que o médico endocrinologista também trata a obesidade? Ele faz recomendações e investigações que auxiliem na perda de peso e evitam as doenças que o excesso de gordura tende a causar. Inclusive, se houver necessidade, a cirurgia bariátrica pode ser indicada após rigorosa análise e investigação.

Em consulta com o endocrinologista, o paciente costuma aprender sobre boas práticas de saúde e alimentação saudável. Os atletas amadores e profissionais recorrem a esse especialista para buscar formas de melhorar o desempenho esportivo e a qualidade de vida, além de evitar doenças.

Mais que as consultas, os exames também são comuns para realizar investigações médicas necessárias para um diagnóstico. Entre eles, estão os exames de sangue e os testes de curva glicêmica, que auxiliam a diagnosticar condições médicas como a diabetes.

Se os pacientes são crianças e adolescentes, o endocrinologista pediátrico entra em campo. Aliando conhecimentos da Pediatria com os da Endocrinologia, esse especialista faz o diagnóstico precoce de condições médicas que podem atrapalhar e dificultar não só o crescimento, mas o desenvolvimento do corpo.

Outras possibilidades para a Endocrinologia

A área de atuação do especialista em Endocrinologia é extremamente ampla, visto que os hormônios regulam praticamente todas as funções orgânicas. Por isso, toda e qualquer alteração hormonal pode provocar diversas doenças e afetar o organismo por completo.

O especialista pode atuar em postos de saúde, clínicas particulares e hospitais da rede pública ou privada. Fora dos espaços tradicionais de atuação, o médico endocrinologista pode lecionar em universidades e cursos de formação. Ainda é possível xercer a função de pesquisador em institutos e laboratórios, trabalhar em spas e clínicas de estética ou atuar como gestor em unidades de saúde.

É importante ressaltar que a Endocrinologia é uma especialidade clínica. Dessa forma, é essencial que o médico tenha gosto pelo contato direto com o paciente, treinando sempre as habilidades de comunicação e empatia, além da delicadeza e da sensibilidade.

Qual é o salário?

Segundo o site salario.com.br, a média salarial de um endocrinologista é de R$6.177,22. Entretanto, esse valor pode estar em torno de R$8.000,00 em cidades maiores, como São Paulo.

Vale lembrar que o salário varia conforme a subespecialidade, a jornada de trabalho, a região de atuação e a instituição médica. Além do piso salarial, alguns locais oferecem adicionais, como bônus, comissões e outros.

A residência médica em Endocrinologia

Você tem interesse pela área? O primeiro passo é fazer a residência em Endocrinologia. Com duração de dois anos, ela possui residência em Clínica Médica como pré-requisito, que dura o mesmo período. Em média, o médico dedica dez anos à formação, nos quais seis são na graduação e outros quatro nas especializações.

Durante a especialização, o médico passa por atendimentos ambulatoriais (que ocupam a maior parte do tempo), assistências na enfermaria e reuniões didáticas com aulas, apresentações de casos clínicos e artigos científicos.

Também há treinamento em serviços relacionados a subáreas do conhecimento, como obesidade, transtornos alimentares, neuroendócrino, tireoide, crescimento, andropausa, distúrbios do ciclo menstrual, puberdade, reposição hormonal, entre outras.

Tudo isso é encaixado em uma grade horária de 60h semanais, que inclui plantões, rotinas laboratoriais e interações com outras especialidades. Entre elas, estão a Nutrologia, a Radiologia, a Cirurgia, a Nutrição e a Psicologia.

Vire um especialista com a nossa ajuda!

Para quem se torna um endocrinologista, há um mundo de oportunidades pela frente, mas, antes de iniciar a atuação, é preciso se preparar para as provas de residência médica. Apesar de ser uma fase difícil, as dificuldades diminuem quando há uma ajuda especializada, como a nossa.

Com nossos cursos intensivos ou extensivos, você tem uma metodologia padrão-ouro que melhora seus estudos. Assim, os resultados podem ser melhores e destacar você diante da concorrência. Aproveite a visita para saber mais e fazer parte do nosso time!

Receba conteúdos exclusivos!

Telegram
Ana KarolineBittencourt Alves

Ana Karoline Bittencourt Alves

Catarinense nascida em 1995, criada em Imbituba e apaixonada por uma praia. Formada pela Universidade Federal de Santa Catarina em 2018, com residência em Clínica Médica pela Universidade de São Paulo (USP-SP 2019-2021) e professora de Clínica na Medway. "Ensinar não é transferir conhecimento, mas criar as possibilidades para a sua produção ou a sua construção. Quem ensina aprende ao ensinar e quem aprende ensina ao aprender" - Paulo Freire.