Carregando

O que faz um endocrinologista esportivo: saiba tudo sobre essa especialidade!

O endocrinologista esportivo trabalha ajudando pessoas comuns e atletas a alcançarem melhores resultados em suas atividades físicas, por meio da adequação hormonal e metabólica.

Hoje em dia, cada vez mais pessoas — mesmo as pessoas que não atuam como esportistas profissionais — estão preocupadas em cuidar ao máximo do corpo. Algumas atuam como corredores, outras praticam musculação ou CrossFit, para melhorar a resistência física e também a estética. Como as atividades físicas previnem doenças, tal qual diabetes ou obesidade, essas pessoas têm buscado o esporte como forma de promoção da saúde.

Se você gosta desse universo, a carreira como endocrinologista esportivo pode ser um ótimo caminho. Então, vamos conhecer melhor sobre essa profissão?

Imagem ilustrativa sobre o endocrinologista esportivo.
Continue lendo e descubra tudo sobre o endocrinologista esportivo: mercado de trabalho, remuneração, como se tornar um profissional da área e como é a residência!

O que é o endocrinologista esportivo?

A endocrinologia é uma especialidade da medicina que cuida do aparelho endócrino, ou seja, lida com as partes do corpo responsáveis pela produção e liberação de hormônios, como testosterona, T4 e GH.

Esses componentes são tão importantes que afetam boa parte das necessidades e resultados do nosso organismo, como sono, funcionamento digestivo, circulatório e o desempenho sexual.

O endocrinologista esportivo usa todo esse conhecimento para examinar e orientar o paciente em busca de uma melhor performance na prática de atividades físicas, para atletas profissionais e amadores. Além disso, ele também avalia o paciente em aspectos nutricionais.

Como esse profissional atua?

Qual a função do endocrinologista esportivo? Um endócrino esportivo pode atender não só pessoas que queiram melhorar o rendimento físico, como pretendem mudar o corpo com a perda de peso ou ganho de massa muscular.

Ele trabalha com base em 5 pilares essenciais para um bom funcionamento orgânico:

  • nutrição;
  • sono;
  • saúde emocional;
  • saúde intestinal;
  • atividade física.

Também pode oferecer suporte farmacológico, orientando e acompanhando a reposição hormonal, quando necessária.

O trabalho de um endocrinologista esportivo pode fazer muita diferença na performance física do paciente. Afinal, os hormônios influenciam não só no desempenho, como na diminuição percentual de gordura, no controle de gastos de caloria, na construção de músculos, entre outros fatores bem importantes.

Embora o foco do endocrinologista esportivo seja a obtenção de melhores resultados, ele sempre tem a saúde do paciente como principal objetivo. Portanto, é o melhor caminho para quem quer obter o máximo do próprio corpo, sem extrapolar os limites.

Por isso, é o profissional ideal para quem quer cuidar do corpo, sem exageros e sem afetar o bem-estar. Algumas pessoas o procuram quando buscam emagrecimento ou hipertrofia, mudanças corporais que exigem cuidado e um acompanhamento profissional bem próximo.

Imagem ilustrativa sobre o endocrinologista esportivo.
O endocrinologista esportivo é importante para todos que desejam praticar atividades físicas, sejam amadores ou profissionais.

Como é o mercado de trabalho?

O endócrino pode atuar em ambulatórios e consultórios. Para quem quer trabalhar no ramo esportivo, ainda há a possibilidade de lidar diretamente com os atletas profissionais.

De maneira geral, há uma grande possibilidade de que esse especialista seja cada vez mais procurado nos próximos anos. A medicina do esporte cresce graças à preocupação das pessoas em praticar exercícios.

Ao mesmo tempo, endocrinologistas são mais buscados, já que os indivíduos têm o desejo de manter o corpo de acordo com padrões estéticos. Diante dessa perspectiva, o endocrinologista esportivo pode ser um profissional bem completo.

Se você quer saber mais sobre as principais especialidades médicas do futuro, clique aqui.

Quanto ganha o endocrinologista esportivo?

De acordo com o portal Salário, um endocrinologista ganha, em média, R$6.389,82 para trabalhar 17 horas semanais. O teto salarial é de R$13.140,03, considerando os profissionais que atuam em regime CLT por todo o Brasil.

Vale lembrar que, por a endocrinologia esportiva ser um campo de atuação extremamente especializado, abre possibilidade para o trabalho por conta própria.

Se você conseguir se tornar uma referência no assunto, pode cobrar um valor mais interessante pelo seu atendimento.

Como se tornar um endocrinologista esportivo?

O primeiro passo para quem quer trabalhar na área é cursar a faculdade de Medicina.

Após a conclusão, é preciso buscar uma especialização em Clínica Médica, com uma residência de dois anos de duração, que proporcionará um conhecimento bem aprofundado e prático no atendimento, diagnóstico e tratamento de casos não cirúrgicos.

Para completar a formação, vem a terceira fase: a residência em Endocrinologia ou Endocrinologia e Metabologia. Durante dois anos, você tem contato com pessoas que sofrem de disfunções endócrinas, além de promover pesquisas e ensaios clínicos relacionados ao tema.

Falta ainda um último passo. Para se denominar endocrinologista, é preciso passar em uma avaliação feita pela Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, que acontece todos os anos. Se aprovado, pode tirar seu título de especialista e começar a atender por aí, sem medo de ser feliz.

Como é a residência médica em endocrinologia?

A especialização nessa área conta com atendimento ambulatorial, assistência na enfermaria e reuniões didáticas.

Durante o treinamento, o médico também aprende diversas subáreas relacionadas ao trabalho de um endocrinologista, como obesidade, transtornos alimentares, distúrbios do ciclo menstrual, entre outros.

Também ocorre a interação com outros profissionais como o nutricionista e o psicólogo.

A grade horária é de 60 horas/mês, incluindo rotinas de laboratório e plantões.

E aí, quer começar a se preparar?

Se você acha que quer mesmo ser um endocrinologista esportivo, ainda tem muita coisa pela frente, não é? Para entrar na residência em Clínica Médica e começar a traçar esse caminho nas melhores instituições de São Paulo, você pode contar com a Medway. Que tal conhecer o nosso Extensivo São Paulo? Nele, você conta com aulas exclusivas das 5 grandes áreas, um aplicativo de questões, materiais didáticos e muito mais.

Ah, e se você não quer perder tempo, temos outra dica. Continue lendo nossos conteúdos ricos por meio da Academia Medway. Lá, você encontra guias sobre as instituições de São Paulo e e-books sobre técnicas de estudo, como o livro Os 15 bloqueios que te impedem de ser aprovado na residência. E aí, bora lá?

Receba conteúdos exclusivos!

Telegram
AlexandreRemor

Alexandre Remor

Nascido em 1991, em Florianópolis, formado pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) em 2015 e com Residência em Clínica Médica pelo Hospital das Clínicas da FMUSP (HC-FMUSP) e Residência em Administração em Saúde no Hospital Israelita Albert Einstein (HIAE). Fanático por novos aprendizados, empreendedorismo e administração.