Carregando

Quando é o Dia do Pediatra e o que faz esse especialista

A Medicina tem uma grande variedade de especialidades, como você bem sabe. E cada uma é importante à sua maneira. Por isso, existe uma homenagem específica para elas, em diferentes datas, para reforçar o papel que elas têm para a sociedade. Por exemplo, você sabe quando é o Dia do Pediatra e o que faz esse especialista?

Ainda que essa seja uma das principais profissões médicas no Brasil, muito pode se falar sobre ela. Afinal, o trabalho vai muito além de cuidar de crianças e adolescentes. Envolve, é claro, a saúde física dessa faixa etária, mas também todo um cuidado familiar e reflexivo acerca dos pequenos.

E então, quer comemorar essa data tão significativa em breve? Se sim, é preciso se preparar bastante, porque a jornada do pediatra é árdua, ainda que gratificante ao mesmo tempo. Saiba mais!

Feliz Dia do Pediatra!
27 de julho: Dia do Pediatra

Dia do Pediatra: quando é e quem é esse profissional

A gente celebra o Dia do Pediatra em 27 de julho. Essa data ficou definida por ser a mesma em que a Sociedade Brasileira de Pediatria foi fundada, em 1910. Essa especialidade cuida desde o concepto até o adolescente, ou seja, uma parte expressiva da vida de qualquer ser humano, e quando acontecem muitas mudanças físicas no desenvolvimento.

Nessa faixa etária, algumas doenças são mais prevalentes. Sendo assim, o pediatra precisa ter um conhecimento bastante amplo para diagnosticá-las e tratá-las corretamente. Ele tem uma rotina puxada, com plantões e muitos atendimentos.

A Pediatria é, ainda, uma das especialidades mais buscadas. É igualmente desafiadora, porque o médico jamais deve parar de estudar sobre as enfermidades da infância e da adolescência. Principalmente porque a tecnologia tem apresentado muitas possibilidades diferentes de otimizar tratamentos.

Para se tornar um bom pediatra, vale lembrar que conhecimento teórico e prático não é suficiente. É fundamental ter uma ótima competência para anamnese, porque nem sempre as crianças conseguem contar o que estão sentindo. É importante passar também empatia, segurança e disponibilidade aos pais e familiares, o que pode deixar a carga de trabalho um pouco mais pesada.

O pediatra, para completar, ainda precisa desenvolver muita sensibilidade para conversar com famílias a respeito de ações curativas e preventivas. Além de ter tato para orientar sobre diversos assuntos, como alimentação, aleitamento materno, vacinação e encaminhamento para outros especialistas.

Os ganhos do Pediatra podem chegar, inicialmente, a quase R$ 7 mil por mês, em uma jornada de 22 horas semanais. No entanto, vários fatores podem deixar o salário mais atrativo, como a região do Brasil na qual o profissional atua, e também a instituição.

Depois de finalizar a residência em Pediatria, o médico está apto para se associar à Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) e tirar o título de especialista. Ele atesta a sua qualificação profissional para toda a sociedade, traz peso ao currículo e garante mais segurança aos pacientes.

Como fazer Pediatria

Para comemorar o Dia do Pediatra, você precisa encarar a jornada desafiadora da residência médica. Aqui, já mostramos quais são as instituições mais buscadas para residência em Pediatria e falamos como é a residência da especialidade na USP.

Porém, alguns pontos da residência são os mesmos para qualquer instituição. Ele é de acesso direto, dura 3 anos, prevê 60 horas de trabalho por semana, sendo 40 horas de rotina e 20 horas dedicadas a plantão. Conta com conteúdo prático e uma pequena parcela de teoria. Agora, para saber o que rola no programa, é só acompanhar!

Primeiro ano (R1)

No primeiro ano de residência médica, o aluno faz um rodízio de atividades. Atua na atenção básica, no treinamento de cuidados a pacientes internados na enfermaria pediátrica, presta atenção neonatal básica na sala de parto e realiza treinamento em urgência e emergência.

As discussões clínicas são frequentes. Em relação à prática clínica, executa procedimentos como sondagem vesical e nasogástrica, punção torácica, técnicas inalatórias e reanimação em recém-nascidos de baixo risco. É o momento para desenvolver habilidades e entender a importância de atividades assistenciais.

Segundo ano (R2)

Ao longo do segundo ano, o residente vai para o atendimento ambulatorial de crianças e adolescentes, inclusive em situações de vulnerabilidade, treina cuidados em pacientes de UTI e continua a desenvolver seu trabalho na atenção neonatal. Realiza também alguns treinamentos específicos, como em urgência e emergência e terapia intensiva pediátrica.

Os procedimentos de prática clínica se tornam mais complexos. Incluem, por exemplo, ostomias, ventilação não invasiva, cateterização de artéria e veia umbilicais, intubações, entre outros.

Terceiro ano (R3)

No último ano, o especialista está pronto para enfrentar casos de maior complexidade Permanece do atendimento ambulatorial, mas presta cuidados a pacientes portadores de doenças pediátricas diversas em internação, intensifica treinamento em urgência, emergência e trauma, atende crianças e adolescentes vitimizados e faz um estágio opcional.

Também se dedica a novos treinamentos clínicos em pré e pós-operatórios cirúrgicos, terapia intensiva pediátrica e terapia intensiva neonatal. É uma fase final bastante puxada, e que além de habilidades clínicas, demanda muito preparo emocional.

Áreas de atuação

Normalmente, o pediatra trabalha em instituições públicas ou privadas de saúde, ou em clínicas, inclusive próprias. Trabalha, principalmente, em serviços de emergência, enfermaria de hospitais, com atendimento em consultórios, como plantonista ou em centros de terapia intensiva.

É possível dividir a rotina de atividades entre todos esses setores. No entanto, o mais comum é que o profissional concentre sua atuação em exercício ambulatorial, ou seja, ao atendimento de casos sem gravidade.

O pediatra que deseja se especializar ainda mais pode acrescentar mais um ou dois anos de estudos na residência médica. Alguns exemplos são medicina intensiva pediátrica, cardiologia pediátrica, nefrologia pediátrica, imunologia pediátrica, hematologia e hemoterapia pediátrica.

Feliz Dia do Pediatra!

É isso aí! Agora você já está por dentro de como fazer Pediatria e pode começar a se preparar para, logo, logo, comemorar o Dia do Pediatra! Essa é uma profissão que exige muita dedicação do médico, mas que é muito gratificante quando envolve a completa recuperação dos pequenos.Está pronto para viver essa experiência? Se quiser mais algumas dicas, bora seguir a Medway no Facebook e no Instagram para conferir como estudar para conquistar a vaga dos seus sonhos!

Receba conteúdos exclusivos!

Telegram
JoanaRezende

Joana Rezende

Carioca da gema, nasceu em 93 e formou-se Pediatra pela UFRJ em 2019. No mesmo ano, prestou novo concurso de Residência Médica e foi aprovada em Neurologia no HCFMUSP, porém, não ingressou. Acredita firmemente que a vida não tem só um caminho certo e, por isso, desde então trabalha com suas duas grandes paixões: o ensino e a medicina.