Carregando

Residência médica na Faculdade de Medicina de Jundiaí pelo SUS-SP

Pensa em estudar em uma das melhores instituições de saúde de São Paulo? Então é hora de descobrir mais sobre a residência médica na Faculdade de Medicina de Jundiaí pelo SUS-SP! Com 53 anos de história, ela já formou mais de 2800 médicos e 800 residentes, contando, atualmente, com uma unidade especializada que foca em pesquisa.

Com todas essas coisas, já dá pra perceber que a FMJ pode proporcionar uma experiência completa, tanto na prática quanto na área acadêmica. Além disso, essa instituição tem um corpo docente de alto padrão, o que faz com que a universidade tenha processos seletivos de graduação, pós e residência superconcorridos.

E aí, ficou interessado em saber mais sobre o que espera por você nessa universidade? Então, continue a leitura e fique por dentro de outros detalhes que poderão ser úteis nos estudos e na conquista da sua vaga!

História

A história da instituição começa em 1968, pelas mãos de um grupo de jundiaienses liderados por Dr. Jayme Rodrigues, um dos cirurgiões mais conceituados de São Paulo. Na época, o acesso aos estudos da Medicina era bem restrito: apenas 60 vagas estavam disponíveis.

O internato acontecia no Hospital de Caridade São Vicente de Paulo. A partir do reconhecimento adquirido pela FMJ, sua estrutura começou a crescer e a se modernizar. Foi preciso ampliar o espaço, que antes ocupava apenas uma sede, mas passou a incluir salas para cursos de especialização, aulas da graduação e experimentos laboratoriais.

Em 2003, o Hospital Universitário foi inaugurado. Assim, o programa de residência médica da Faculdade de Medicina de Jundiaí conseguiu ser aprimorado, embora já formasse médicos desde 1974. Na década de 2000, a pesquisa também passou por um grande avanço, em especial pelo incentivo que partia dos próprios professores, também incentivadores dos programas de pós-graduação.

Desde 2002, no Hospital Santa Rita, o hospital escola da universidade, a instituição presta atendimento gratuito à população pelo SUS. O foco inicial era no atendimento materno-infantil, mas com o passar do tempo, novas especialidades começaram a fazer parte dos serviços prestados.

Agora, o atendimento nos hospitais conveniados e universitários são muito mais completos, com equipamentos de alta tecnologia e procedimentos atualizados. Por isso, a FMJ é referência em ensino, pesquisa e atendimento médico no estado de São Paulo, no Brasil e internacionalmente.

Números e estrutura

A FMJ conta com cinco unidades, que incluem salas de aula, laboratórios, auditórios, centros de informática, centros de pesquisa, Unidades Básicas de Saúde, ambulatórios, hospital universitário e hospitais conveniados. É uma estrutura enorme, que atende com excelência todos os estudantes e pacientes da região e proximidades.

O Hospital Universitário, por sua vez, tem um laboratório de análises clínicas completo e banco de sangue, oferecendo serviços como radiografia, ultrassonografia, tomografia e ecocardiograma. Ele apresenta dependências muito bem planejadas para atender um fluxo intenso de pacientes.

Ao todo, são 16 leitos para internações cirúrgicas, 5 leitos para internações clínicas gerais, 12 leitos de UTI divididos entre Pediátrica e Adulto, 40 leitos de Ginecologia e Obstetrícia, consultórios, brinquedoteca e muito mais. O hospital tem uma equipe formada por 337 médicos e mais de 500 colaboradores diretos.

Residência médica na Faculdade de Medicina de Jundiaí

Os programas de residência médica na Faculdade de Medicina de Jundiaí têm a duração de 2 a 3 anos, de acordo com a especialidade. A carga horária é dividida entre 80% de prática e 20% de teoria, que inclui aulas, pesquisas, reuniões e discussões de caso.

Nem é preciso comentar que as vagas são apertadas e concorridas, não é mesmo? Por isso, é muito importante acompanhar os editais do processo seletivo e prestar atenção na quantidade de vagas por especialidade, as quais, no momento, são as seguintes:

  • Pediatria: 8 vagas;
  • Obstetrícia e Ginecologia: 8 vagas;
  • Medicina da Família e da Comunidade: 1 vaga;
  • Anestesiologia: 6 vagas;
  • Ortopedia e Traumatologia: 8 vagas;
  • Oftalmologia: 1 vaga;
  • Otorrinolaringologia: 2 vagas;
  • Neonatologia: 1 vaga;
  • Medicina Intensiva Pediátrica: 1 vaga.

Mais uma vez, vale ressaltar que o quadro docente da FMJ tem um grande destaque nos programas de residência. Eles são responsáveis não apenas por orientar e monitorar os residentes durante o programa, mas também por mantê-los inseridos em todos os processos da instituição, inclusive pesquisa.

Os programas de residência da universidade são conhecidos pela assistência moderna, humanizada e ética. Sendo assim, mais do que entender a prática da rotina médica, o estudante também desenvolve características importantes a todo médico, como a empatia e o comprometimento.

O processo seletivo do SUS-SP

Mas e então, como entrar para a residência médica na Faculdade de Medicina de Jundiaí pelo SUS-SP? O processo seletivo é um pouco diferente do tradicional, então é interessante ficar por dentro dos detalhes, ficando por dentro, dessa maneira, dos pontos mais importantes para a sua preparação. Vamos lá?

Como é a prova

A prova do SUS-SP é de fase única. Dessa maneira, ”só” é preciso encarar uma prova objetiva, composta por 100 questões de múltipla escolha, com alternativas de A a D. Essa é uma prova considerada relativamente previsível no que diz respeito a conteúdo.

E o que isso significa? Bom, significa que você pode tomar por base as provas de edições passadas, para ter uma ideia do que pode cair e quais são os assuntos mais cobrados, incluindo as questões no seu cronograma de estudos.

Essa também é uma prova naquele estudo “tudo ou nada”. Ou seja, se você sabe, você acerta, e se não sabe, não adianta fazer muitos rodeios para acertar. Por isso, dominar os assuntos é essencial para ter um bom resultado.

Além disso, lembre-se de que essa prova é válida para interessados em vagas de qualquer instituição filiada ao SUS-SP. Somente mais tarde você entrará na disputa da vaga na instituição que você deseja. Essa escolha depende, exclusivamente, de uma nota alta: quem está na frente da classificação pode escolher primeiro no leilão de vagas.

No mais, no edital você encontra todos os detalhes a respeito do dia fatídico: divulgação de datas, horários e locais de prova, o que pode ou não pode levar no dia, documentação necessária e outras informações pertinentes. É importante acessá-lo com frequência não apenas para frisar esses pontos, mas também para conferir se o edital não sofreu nenhuma retificação.

Concorrência por especialidade em 2021

A última edição da residência pelo SUS-SP dá uma ideia de como anda a concorrência por especialidade nesse processo seletivo. Por exemplo, entre as especialidades mais concorridas no ano passado, estão a Oftalmologia, a Cirurgia Geral e a Neurocirurgia. A quantidade de candidatos por vaga varia de 26 a 40,7.

A Neurologia, a Dermatologia, a Obstetrícia e Ginecologia e a Otorrinolaringologia também fazem parte desse ranking. Se a sua praia é uma dessas especialidades, não deixe de começar a estudar o quanto antes e a se dedicar bastante. Nós, da Medway, temos o necessário para ajudar você nessa parte: é só conferir o Guia Estatístico do SUS-SP e o Guia Definitivo do SUS-SP para saber o que te espera no processo seletivo em questão.

Observar essa lista não significa que você precise ficar com medo ou insegurança. Pelo contrário, deve servir como incentivo para você focar ainda mais em seu objetivo. Além do mais, não vale se desesperar quando suas chances não dependem apenas de uma nota alta, mas também das oportunidades geradas pelo leilão de vagas do SUS-SP.

Leilão de vagas do SUS

Por fim, como funciona o tal leilão de vagas do SUS, afinal? Bem, alguns dias após a realização da prova, um resultado preliminar com a classificação dos candidatos por especialidade é divulgado. Antes disso, porém, você já saberá a nota de corte por especialidade, então todo mundo que está acima dela, está automaticamente classificado.

A parte mais importante é a ordem de classificação por especialidade. Basicamente, as maiores notas estão mais bem colocadas, então são esses candidatos que escolhem suas vagas primeiro. É o próprio candidato que precisa avaliar sua posição para decidir se vale ou não vale a pena comparecer ao leilão.

Na época em que ele acontece, porém, muitos resultados de outros processos seletivos já foram divulgados. Portanto, uma quantidade significativa de candidatos abre mão do leilão, o que gera mais oportunidades para o restante dos classificados. Cada instituição tem uma concorrência, então, é preciso ficar de olho no quanto a lista vai “rodar” para que você consiga abocanhar sua vaga.

Em geral, o leilão acontece presencialmente. Entretanto, com as limitações da pandemia, é importante acompanhar as orientações para saber se o procedimento será o mesmo ou se ocorrerá alguma alteração nesse sistema esse ano, certo?

É isso!

Pronto! Agora você já sabe tudo sobre como entrar para a residência médica na Faculdade de Medicina de Jundiaí pelo SUS-SP. A jornada será desafiadora, mas com a Medway você pode traçar um caminho de muito sucesso, sabia?

Para começar, que tal aproveitar nossos materiais gratuitos? Na Academia Medway, você encontra conteúdo e apoio diversificado para otimizar sua preparação.Para completar, você ainda pode escolher um de nossos Extensivos recém-lançados para estudar: o Extensivo São Paulo, com 1 ano de preparação para as instituições do estado, o Extensivo Programado, que conta com 4 cursos em 1 e o Extensivo Base, caso você esteja no  5º ano, mas já queira começar a se preparar. Ufa! Opção não falta para você se dar bem, então venha com a gente nessa!

Receba conteúdos exclusivos!

Telegram
AlexandreRemor

Alexandre Remor

Nascido em 1991, em Florianópolis, formado pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) em 2015 e com Residência em Clínica Médica pelo Hospital das Clínicas da FMUSP (HC-FMUSP) e Residência em Administração em Saúde no Hospital Israelita Albert Einstein (HIAE). Fanático por novos aprendizados, empreendedorismo e administração.