Como escolher o hospital da sua residência no SUS-SP

Quem vai prestar as provas de residência médica do SUS-SP já deve estar pensando em tomar uma decisão bastante difícil: em qual instituição cursar? Afinal de contas, são cerca de 50 delas envolvidas no processo e escolher o hospital da sua residência no SUS-SP com sabedoria, pautado nas suas preferências e no direcionamento certo pra sua carreira é muito importante. 

Pensando nisso, a gente está aqui pra te ajudar com todas as informações mais relevantes pra te ajudar a estudar com foco e a botar o seu nome no topo da lista dos aprovados, pois na residência do SUS-SP não basta só passar, tem que estar bem classificado pra escolher o lugar que deseja! Sabe por quê? Nos processos seletivos do SUS-SP a boa classificação permite a sua escolha por meio do famoso “leilão” de vagas do SUS. Calma, a gente vai te contar tudo! Vem comigo! 

Quais são as suas opções

E quem está de olho em uma das vagas, precisa saber que na seleção do SUS-SP para as residências médicas funciona assim: os melhores colocados são os que podem escolher o hospital da sua residência no SUS-SP primeiro.

Quer poder escolher o hospital da sua residência no SUS-SP, incluindo um dos mais disputados como o Hospital Santa Marcelina? Te contamos como!
Quer poder escolher o hospital da sua residência no SUS-SP, incluindo um dos mais disputados como o Hospital Santa Marcelina? Te contamos como!

Isso porque a seleção das vagas para residência médica no SUS-SP permite que a escolha da instituição em que o candidato tenha interesse em fazer a sua residência seja feita sob a forma de um “leilão“. Isso significa que quanto maior a nota final do candidato, maiores serão as suas opções de escolha dos locais disponíveis. E não para por aí: tudo também vai depender da ordem de classificação de cada especialidade. E fica esperto porque alguns dos principais hospitais do SUS-SP são bem concorridos dependendo da sua especialidade.

Se você quiser conhecer todas as 50 entidades participantes do processo de seleção para a residência médica pelo SUS de São Paulo, dá só uma olhada neste artigo que fizemos aqui.

Como funciona o leilão 

Vamos ao que interessa, né?

A prova de residência médica para o SUS de São Paulo é a maior do país! Só pra você ter uma ideia, são mais de 10 mil médicos inscritos e 50 instituições de ensino médico que admitem candidatos para as mais de 700 vagas disponíveis em diversas especialidades. 

Mas não pense você que é moleza, não! Não basta apenas ser aprovado. Pra poder escolher o hospital, além de ser aprovado, você precisa estar ciente da sua classificação, já que você só vai poder optar pelo local depois de fazer o processo seletivo. Uma boa nota é fundamental pra você ir exatamente pra onde quer estudar, já que sua única preocupação não vai ser apenas a prova. 

De acordo com o edital de 2021, foram oferecidas  788 vagas para 52 programas de residência, distribuídos entre as 50 instituições de todo o estado de São Paulo. Então, você já está ligado que a concorrência vai ser grande, né? Isso sem falar no número de inscritos, que no último processo foram exatos 13,7 mil candidatos! E é por meio do leilão de vagas que você vai escolher em qual instituição cursar a sua residência. A ordem de prioridade está ligada à classificação do candidato, contando a partir logo nas primeiras posições. Se, infelizmente, você não obtiver um bom resultado final, vai ser escolhido pelos locais que sobrarem e não vai para onde deseja ir. 

Por isso, além de ter mais de uma opção de escolha em mente, você vai precisar de uma ótima preparação para esse processo que é realizado em uma única etapa com uma prova objetiva composta por 100 questões de múltipla escolha que abordam as 5 grandes áreas: Clínica Médica, Cirurgia Geral, Pediatria, Ginecologia e Obstetrícia e Medicina Preventiva e Social. Quer saber mais sobre a prova? Olha só o que a gente preparou pra você nesse artigo incrível que conta tudo sobre a prova de residência médica do SUS-SP direto ao ponto! 

Mas como escolher o hospital da sua residência no SUS-SP?

Antes de mais nada, para escolher o hospital da sua residência no SUS-SP você deve pensar: o que eu quero? Uma formação mais academicista? Pegar muita mão? Uma variedade maior de casos? Isso certamente vai te guiar pra escolhas mais assertivas e dentro do perfil de instituição. 

Pra te ajudar nessa difícil tarefa de listar os locais mais interessantes pra você ter sempre mais de uma carta na mão, vamos falar sobre os principais aspectos que devem ser observados pra uma escolha eficiente. 

A estrutura do local 

Se tem uma coisa que você deve olhar atentamente é a estrutura dos hospitais participantes e se ela pode mesmo te auxiliar na sua formação. Isso vai depender diretamente da especialização que você quer. Então, equipamentos de ponta e tecnologias modernas disponíveis possuem um papel fundamental para o sucesso de quem quer, por exemplo, especialidades em que esses recursos são requisitados e com os quais você precisa aprender a manipular com segurança. 

Já para as especialidades clínicas, a possibilidade de poder entrar em contato com um maior número de pacientes e casos diversos, é o que mais atrai. Pra isso, o número de leitos disponíveis, a quantidade de plantões, os atendimentos nas emergências e ambulatórios de especialidades, bem como os acompanhamentos aos pacientes internados e até a possibilidade de substituir médicos devem ser observados na escolha mais adequada ao seu perfil. E os que querem mesmo é botar a mão na massa e correr pras mesas de cirurgia, pesquisar entre os 50 hospitais participantes, em quais você vai de fato, rodar seus estágios e aprender em serviço tudo o que precisa pra agir com segurança e eficiência no mundo lá fora da residência, vai te ajudar e muito! 

Uma dica legal é você visitar os hospitais antes de escolher. Pra conhecer mesmo! Assim, dessa forma você vai se ambientalizar e descobrir como é a sua estrutura, vai poder conversar com outros residentes e tirar muitas dúvidas que vão te auxiliar na hora de fazer a sua escolha. 

Instituições de referência 

Outro aspecto que é interessante considerar na hora de pesquisar sobre os hospitais participantes da seleção para a residência médica do SUS de São Paulo é saber se o hospital é uma referência na especialidade que você deseja. Porque aí você já sabe que a experiência vai ser marcante! 

Olha só, por exemplo o Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia, pertinho do parque Ibirapuera em São Paulo é considerado hoje em dia, um dos berços da cirurgia cardiovascular brasileira, além de ser um centro acadêmico de excelência, sendo vinculado à Universidade de São Paulo (USP-SP).

Já o Hospital Estadual da Vila Alpina, na zona leste da capital paulista, é referência para as unidades pré-hospitalares móveis e fixas da região. E o Hospital Guilherme Álvaro na Baixada Santista é referência regional para aqueles que buscam por cirurgias bariátricas pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Isso sem falar do Hospital Beneficência Portuguesa de São Paulo que foi o primeiro hospital privado no Brasil a ter um Centro de Controle da Dor, mas desde 1975 já ostentava o título de centro mundial de cirurgia de ponte de safena! 

A localização do hospital

A gente sabe que a rotina corrida de estudo e trabalho do médico residente pode ser muito exigente, além de ser estressante. E pensar em estratégias que minimizem em parte esse impacto no desenvolvimento da residência médica é de fundamental importância.

Uma forma de diminuir o tempo perdido em deslocamentos e facilitar o dia a dia é ter a possibilidade de morar perto do hospital ou em uma cidade em que haja alguma rede de apoio, como amigos ou familiares. Pra isso, é bom levar em consideração os prós e contras dessa decisão e o que é de fato significativo pra você na residência.

Quer saber quais são os mais procurados? Confere esse artigo aqui com os 3 hospitais mais concorridos para fazer a residência em clínica médica no SUS de São Paulo! 

O volume de atendimento

Pra muitos residentes, a prática diária das rotinas da especialidade escolhida é o que faz mais sentido: pegar mão em cirurgias e atendimentos de emergência ou até mesmo o dia a dia dos ambulatórios.

Apesar do grande volume de atendimentos e muitas vezes, a carga horária de estágios acima do esperado gerar algum estresse e sobrecarga, há o lado positivo de expor o residente a uma experiência enriquecedora: a possibilidade de atuar em uma variedade de casos e diagnósticos diversos diariamente.

A escolha da especialidade e do local que proporcione isso vai diretamente ao encontro de quem considera a prática a coisa mais relevante durante a residência.  

E aí, curtiu saber mais sobre a Residência Médica pelo SUS-SP?

E se você já está sonhando com uma vaga pelo SUS-SP, agora é a hora de manter a  força, foco em dia! Não se esqueça: é a preparação específica que vai te ajudar nessa empreitada,  porque a concorrência vem com tudo. E você também. Vamos juntos!!  Pra te dar uma mãozinha nesse início, corre aqui e dá uma olhada no Guia Definitivo do SUS-SP, onde você vai poder ter acesso a números, informações sobre os hospitais, o processo seletivo e muito mais! 

Pra começar a estudar já, basta inscrever-se  no Extensivo São Paulo, o nosso curso com videoaulas ao vivo e gravadas com os temas que você realmente precisa saber para ingressar nas principais instituições do país. Também oferecemos um app com milhares de questões comentadas. Quer mais conteúdo gratuito sobre as residências médicas? Na Academia Medway, você encontra diversos conteúdos que vão te ajudar a entender melhor como são as provas das principais instituições. Bora pra cima, moçada!

Receba conteúdos exclusivos!

Telegram
AlexandreRemor

Alexandre Remor

Nascido em 1991, em Florianópolis, formado pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) em 2015 e com Residência em Clínica Médica pelo Hospital das Clínicas da FMUSP (HC-FMUSP) e Residência em Administração em Saúde no Hospital Israelita Albert Einstein (HIAE). Fanático por novos aprendizados, empreendedorismo e administração.