Carregando

Residência na UFMS: tudo sobre o processo seletivo

Se você está buscando uma especialização reconhecida e qualificada, não pode deixar de acompanhar o conteúdo que preparamos sobre a residência na UFMS. Essa é uma das maiores instituições de ensino do Sul e uma das melhores na área da saúde, com pontuação máxima no ENADE. 

Vamos contar um pouco da história da universidade, as especialidades da residência médica na UFMS, como é o hospital de serviço dos residentes e todas as etapas do processo seletivo. Acompanhe a leitura e fique por dentro de tudo para a próxima prova! 

A história da UFMS

Fundada em 1962, a Universidade Federal de Mato Grosso do Sul é uma das principais instituições de ensino superior da região, ofertando mais de 200 cursos de graduação e pós-graduação. 

O curso de Medicina da UFMS tem uma longa história. Foi um dos primeiros a ser incorporado, em 1966, juntamente de Farmácia e Odontologia, após a criação do ICB (Instituto de Ciências Biológicas de Campo Grande). Por outro lado, a nomenclatura da Faculdade de Medicina da UFMS só foi instituída a partir de 2005. 

Com a junção de diversos centros de ensino e a federalização da universidade, os campi também se expandiram e se espalharam por diversas cidades do estado. Ao todo, hoje, a UFMS é composta por 9 campi. São eles:

  • Aquidauana;
  • Chapadão do Sul;
  • Coxim;
  • Naviraí;
  • Nova Andradina;
  • Pantanal – Corumbá;
  • Paranaíba;
  • Ponta Porã;
  • Três Lagoas.

Ao falar da estrutura da UFMS, também é preciso citar sobre o Hospital Universitário Maria Aparecida Pedrossian (HUMAP). Administrado pela Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (EBSERH), ele é o maior laboratório de residência da universidade.

O HUMAP

A residência na UFMS conta com um hospital próprio, o HUMAP. Com atendimento voltado ao SUS (Sistema Único de Saúde), é uma grande oportunidade para os médicos residentes entrarem em contato com o dia a dia das áreas de especialização. 

Com atendimento humanizado, o HUMAP é referência estadual no tratamento de doenças infectocontagiosas e procedimentos de alta complexidade. Com 232 leitos ativos e infraestrutura de ponta, o hospital já chegou a registrar a marca de 650 mil atendimentos ambulatoriais e 8.600 procedimentos de internação em um único ano. 

O hospital conta ainda com Ambulatórios de Especialidades, Centro Cirúrgico, Centro Obstétrico, CTIs Adulto e Pediátrico, UTI Neonatal, Unidade Coronariana (UCO), Pronto Atendimento Médico (PAM), Diagnóstico por Imagem, Serviço de Radiologia, Banco de Leite Materno e Hemodiálise.  

A residência médica na UFMS

Durante os programas de residência na UFMS, enquanto a universidade é designada como a instituição formadora, responsável pelo aspecto teórico da formação, o HUMAP é a instituição executora, que proporciona aos alunos a experiência prática no atendimento à comunidade.  

No geral, as atividades da residência médica na UFMS são divididas em 80% para treinamentos práticos e 20% para tarefas teóricas. Com isso, a carga horária estimada é de 60 horas de atividades semanais, incluindo os plantões obrigatórios de até 24 horas. 

Ao total, a UFMS dispõe de 25 especialidades para residência médica, divididas entre acesso direto e pré-requisitos. Porém, nem todas as vagas são abertas todos os anos. É importantíssimo ficar de olho no edital para confirmar os programas disponíveis e não perder nenhuma data.  

Especialidades com acesso direto

São chamadas de áreas de acesso direto aquelas especialidades em que nenhuma formação extra nem experiência prévia é exigida. Entre as modalidades diretas da UFMS, estão:

Especialidades com pré-requisito

Por outro lado, áreas com pré-requisito exigem uma formação básica e pelo menos alguns anos de experiência em Clínica Médica, Cirurgia Geral ou Pediatria, por exemplo. Entre as modalidades com pré-requisito da UFMS, estão:

  • Medicina Intensiva Pediátrica;
  • Neonatologia;
  • Cardiologia;
  • Cirurgia Vascular;
  • Pneumologia;
  • Reumatologia;
  • Urologia.

Etapas do processo seletivo 

O processo seletivo para a residência na UFMS é executado pelo ENARE (Exame Nacional de Residência Médica), um sistema unificado, que engloba inúmeras instituições geridas pelo EBSERH. Por isso, a prova é realizada em todas as capitais do país, em mais de 50 locais de aplicação.

O processo acontece em duas etapas: a primeira é uma prova objetiva, com questões de múltipla-escolha, com peso 9. A segunda fase, para os aprovados, é a análise curricular, de peso 1. 

As provas da primeira fase de acesso direto possuem 100 questões, divididas igualmente entre os temas de Cirurgia Geral, Clínica Médica, Pediatria, Obstetrícia, Ginecologia e Medicina Preventiva e Social. Já as provas com pré-requisito possuem 80 questões, todas compatíveis com a área escolhida. 

Conte com a gente em cada passo! 

Gostou de saber mais sobre a residência na UFMS? Escolher a universidade e a área de especialização não é tão fácil quanto parece. Então, que tal aproveitar para conhecer outras instituições e abrir o seu leque de oportunidades? 

No nosso blog, você encontra conteúdos completos sobre as principais universidades do Brasil e dicas valiosíssimas para os processos seletivos. Aproveite nossos conteúdos gratuitos para se preparar e conquistar a residência dos seus sonhos!

Receba conteúdos exclusivos!

Telegram
Ana KarolineBittencourt Alves

Ana Karoline Bittencourt Alves

Catarinense nascida em 1995, criada em Imbituba e apaixonada por uma praia. Formada pela Universidade Federal de Santa Catarina em 2018, com residência em Clínica Médica pela Universidade de São Paulo (USP-SP 2019-2021) e professora de Clínica na Medway. "Ensinar não é transferir conhecimento, mas criar as possibilidades para a sua produção ou a sua construção. Quem ensina aprende ao ensinar e quem aprende ensina ao aprender" - Paulo Freire.