Carregando

As instituições mais buscadas para fazer residência em Cardiologia em SP

Fala, galera! Hoje o tema é pra quem quer buscar opções. Mas antes de partirmos para conhecer as melhores instituições para fazer residência em Cardiologia em São Paulo, é importante sabermos de um detalhe: essa residência não é um programa de acesso direto. Para se tornar um cardiologista, você precisará fazer os 2 anos de residência em Clínica Médica, depois mais 2 anos da desejada residência em Cardiologia, sem contar as subespecialidades que você pode escolher estudar.

Mas o tempo de formação nessa área não é prolongado por acaso. O cardiologista é um profissional extremamente requisitado e deve estar preparado para lidar com um grande número de doenças ligadas ao coração. Para entender a relevância da Cardiologia, cabe nos informarmos de que as doenças cardiovasculares são responsáveis ​​por cerca de um terço de todas as mortes no mundo, segundo pesquisa da Organização Mundial de Saúde (OMS).

Então, agora que você já sabe mais sobre a importância dessa área, bora ver as instituições mais buscadas para fazer residência em Cardiologia em SP!

Cardiologia na USP
Quer saber quais são as instituições mais buscadas pra fazer Cardiologia em São Paulo? Continue lendo!

USP

Vamos começar com nada mais, nada menos que a Universidade de São Paulo. A Cardiologia é uma das especialidades clínicas mais disputadas da USP. Um dos motivos pela residência em Cardiologia ser tão requisitada nessa faculdade é o Instituto do Coração (INCOR) do HCFMUSP. Esse hospital público faz parte do programa de residência da USP e é especializado em Cardiologia, Pneumologia e cirurgias cardíacas e torácicas. 

Não só pacientes do Brasil procuram atendimento nesse hospital: o INCOR é conhecido internacionalmente, sendo um dos três maiores centros de Cardiologia do mundo em volume de atendimento e número de especialidades de Cardiologia reunidas. Se você quer fazer essa residência, é difícil não sonhar em fazê-la na USP.

Durante as 2.880 horas de estudo, você terá de 80 a 90% do seu tempo preenchido por estágios práticos e o restante é voltado para atividades acadêmicas. Então, se esse é realmente o seu sonho, é preciso se informar sobre o nível de dificuldade encontrado para alcançar a aprovação. Lembre-se de que é difícil, mas não é impossível. 

Segundo o edital da USP 2021, foram disponibilizadas 28 vagas para a residência em Cardiologia. E em 2021, a relação candidato/vaga foi de 8,43. Ao todo, foram 236 concorrentes. A prova é puxada, mas nada como uma boa preparação para te ajudar nessa jornada. Pra começar a estudar, você pode dar uma olhada no artigo que publicamos contando tudo o que você precisa saber sobre a prova da USP!

Unicamp

A Unicamp também é uma importante instituição de São Paulo para quem procura fazer a residência em Cardiologia, seu programa é composto, assim como na USP, por 60 horas semanais. Lá, você estudará no Hospital de Clínicas (HC), que é um dos maiores hospitais universitários do Brasil. 

Nessa residência você terá uma formação muito completa. Além de um renomado corpo clínico docente, lá, no Hospital das Clínicas, são realizadas cerca de 300 cirurgias cardiovasculares por ano, 200 implantes de marcapasso e cerca de 1200 cateterismos/ano. Não é pouca coisa, né?

Se encantou pela Unicamp? Então vamos saber mais informações sobre a prova de residência. É importante saber que, segundo o edital de 2021, a Unicamp ofereceu apenas 6 vagas para a residência em Cardiologia e a sua relação candidato/vaga foi de 9,67, contando com 58 concorrentes. Tem que ralar, galera!

Unifesp

Estudar na Unifesp é o sonho de muitos estudantes de Medicina. Os médicos graduados por lá são famosos por conquistarem muitos prêmios de pesquisa e na Academia Nacional de Medicina, o que atrai o olhar dos alunos. Sem contar que a residência em Cardiologia da Unifesp é realizada no Hospital São Paulo, referência para a medicina nacional, principalmente por sua tecnologia.

Dá para acreditar que o Hospital São Paulo foi reconhecido pelos trabalhos desenvolvidos na área de Qualidade Assistencial em Cardiologia? Isso mesmo, ele recebeu essa congratulação no 74º Congresso Brasileiro de Cardiologia. E não para por aí, a Cardiologia da Unifesp ainda foi a única, dentre as pertencentes ao Sistema Único de Saúde (SUS), a receber a Certificação de Reconhecimento de Qualidade Assistencial em Boas Práticas Clínicas em Cardiologia nos três eixos: Síndrome Coronariana Aguda (SCA), Insuficiência Cardíaca (IC) e Fibrilação Atrial (FA), sendo a Fibrilação Atrial destacada como único centro do Brasil a receber essa Certificação.

Fazer parte dessa Universidade tão reconhecida na área não é para qualquer um e, para entender a concorrência para a prova da Unifesp, trouxemos algumas informações do edital da Unifesp 2021. Foram 24 vagas disponíveis para a residência em Cardiologia e 120 alunos foram convocados para a segunda fase da prova.

SUS-SP

Fazer residência médica pelo SUS-SP é uma experiência diferente das demais, pois ele reúne diversos programas em variadas instituições. Porém, como estamos falando da residência em Cardiologia, cabe destacar o Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia e o Hospital Beneficência Portuguesa.

Podemos começar pelo Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia, já que ele é a instituição mais desejada do SUS-SP para quem deseja se especializar no coração humano. O IDPC foi a primeira instituição a oferecer a residência em Cardiologia no Brasil, quando ele era chamado de Instituto de Cardiologia do Estado de São Paulo. E não é apenas pela sua brilhante história que o IDPC se destaca na área: a residência em Cardiologia lá conta também com um corpo docente diferenciado e um grande nome no mercado da saúde, além de uma estrutura tecnológica bastante avançada

Agora vamos falar mais do Hospital Beneficência Portuguesa, que possui atendimento especializado em cardiologia 24 horas por dia. Além disso, no BP você encontra uma Unidade Cardiológica Intensiva, com leitos dedicados ao cuidado intensivo dos pacientes nessa área, o que, com certeza, torna a residência em Cardiologia bem completa. Sem contar que lá encontramos o maior parque hemodinâmico da América Latina.

Mas fazer residência pelo SUS-SP não é mole não, você terá que lidar com a concorrência. Segundo o edital de 2021, no geral, são disponibilizadas 88 vagas e a relação candidato/vaga é de 4,46, com 393 concorrentes. A prova do SUS-SP é o primeiro passo para quem quer um dia estudar no IDPC ou na BP.

Iamspe

Fazer residência em Cardiologia pelo Sistema Iamspe de Saúde é uma excelente opção. Você vai poder atuar no Hospital do Servidor Público Estadual (HSPE), que é destaque nacional e pioneiro em diversos setores da Medicina. 

E vale lembrar que a residência médica no Iamspe é credenciada pelas Comissões Estadual e Nacional de Residência Médica na forma de curso de especialização com treinamento em serviço.

Se você se interessou em fazer sua residência em Cardiologia nessa instituição de qualidade, você precisa saber a concorrência para a prova. De acordo com o Edital de 2021, o Iamspe disponibiliza apenas 3 vagas para Cardiologia e 30 candidatos são classificados para a segunda fase da prova.

Gostou de saber mais sobre a residência em Cardiologia em diferentes instituições?

A residência em Cardiologia é muito procurada, visto a alta demanda de profissionais da área no mercado de trabalho. Então, se é seu sonho ser um cardiologista, comece agora a procurar quais instituições podem fazer parte do seu futuro.

Para saber tudo sobre as melhores instituições de São Paulo, que tal dar uma olhada na Academia Medway? Lá você encontra e-books gratuitos, como guias definitivos sobre a USP, Unicamp, Unifesp e muito mais!

Não perca tempo! Valeu, pessoal!

Receba conteúdos exclusivos!

Telegram
AlexandreRemor

Alexandre Remor

Nascido em 1991, em Florianópolis, formado pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) em 2015 e com Residência em Clínica Médica pelo Hospital das Clínicas da FMUSP (HC-FMUSP) e Residência em Administração em Saúde no Hospital Israelita Albert Einstein (HIAE). Fanático por novos aprendizados, empreendedorismo e administração.