As instituições mais buscadas para fazer residência em Ortopedia e Traumatologia em SP

Se você está cursando medicina ou já é médico, pode ter certeza: algum ortopedista ainda vai salvar você no plantão, naquela fratura, aquele raio X de carpo que você pediu, ou até mesmo para alguma dor mecânica de difícil diagnóstico. Estamos falando de uma das especialidades mais vastas e específicas dentro do mundo da medicina; o cuidado com os nossos ossos, músculos e articulações não é nada trivial! Caso você tenha o desejo de entrar nesse mundo fascinante, é necessária uma boa especialização, e é aí que entra a residência em Ortopedia e Traumatologia.

Este artigo, como você já deve ter sacado pelo título, é exatamente sobre isso: vamos falar um pouco sobre cada uma das seis instituições mais procuradas por vocês, segundo o Google, para se fazer residência em Ortopedia e Traumatologia em SP.

Quem sabe isso não te ajuda nessa decisão?

Unifesp

Uma das mais tradicionais instituições de São Paulo, a residência em Ortopedia e Traumatologia da Unifesp tem duração de três anos, ao longo dos quais grande parte das atividades práticas são desempenhadas no Hospital São Paulo, reconhecido como o maior hospital universitário do país. Falamos tudo sobre o complexo da Unifesp e vários outros temas importantes para quem quer se tornar um residente da instituição no nosso Guia Definitivo – vale muito a pena ler!

Em relação à concorrência, a Unifesp ofereceu 15 vagas para a residência em Ortopedia e Traumatologia no processo seletivo com acesso em 2020. A relação candidato/vaga foi razoável: 7. Para esse ano, o edital de residência médica da Unifesp 2021 já revelou que também vão ser 15 vagas.

A vivência lá é bem variada: a residência é dividida em estágios que duram, em média, 3 meses, e que são divididos entre plantões, centros cirúrgicos e ambulatórios – além do estágio em pronto-socorro, que é feito no próprio PS. No R1, os residentes são divididos em quadril/coluna, pronto-socorro, enfermaria e trauma/fixador externo.

Fachada do Hospital São Paulo, onde é feita a residência em Ortopedia e Traumatologia da Unifesp
Fachada do Hospital São Paulo

No R2, a divisão é em joelho/pé, cirurgia da mão, trauma e pediátrica, e no R3, por fim, os residentes são divididos em oncologia/coluna, trauma do esporte, ombro/cotovelo e Vila Maria – hospital externo.

Quem nos contou sobre toda essa rotina foram, na verdade, o Tiago e o João, que fazem residência em Ortopedia e Traumatologia na Unifesp. Eles também comentaram sobre várias outras coisas muito interessantes o programa, então vale a pena dar uma olhada na entrevista que fizemos com eles!

Aproveitando, se você já cogita fazer residência na Unifesp, já tá ligado que a prova de residência médica da EPMum pouco diferente esse ano, não é? Contamos tudo no nosso artigo sobre as novidades do edital 2021, que você pode ler aqui. É claro que algumas coisas não mudam, incluindo os temas que a Unifesp ama! Dá uma olhada no nosso Guia Estatístico com os seis focos que mais caíram na prova nos últimos cinco anos!

Vale lembrar ainda que a segunda fase da Unifesp tradicionalmente é composta de uma prova prática de habilidades e uma prova multimídia. Em 2021, no entanto, não tem prova prática! Mas a prova multimídia está mais viva do que nunca, hein? Sabemos que esse componente põe medo em muito candidato. Mas a gente não quer que esse seja o seu caso (como foi o nosso), por isso, preparamos um Minicurso de Prova Multimídia com três aulas 100% online e 100% gratuitas que conta tudo sobre como se preparar para essa prova e transformá-la no seu diferencial.

USP

Agora vamos falar da residência em Ortopedia e Traumatologia da USP, também muito reconhecida em São Paulo. Só pra você ter ideia, foram 9 candidatos disputando cada uma das 14 vagas disponíveis. E não é por menos: a vivência prática que a USP fornece pra quem opta por essa especialização é muito relevante.

Essa vivência acontece no complexo hospitalar da USP, composto pelo Hospital Universitário (HU) e pelo Hospital das Clínicas (HC), mas especialmente no Instituto de Ortopedia e Traumatologia (IOT). No nosso Guia Definitivo da USP-SP contamos tudo sobre essa estrutura e tudo o que você precisa saber pra ser um residente lá – da preparação à vida de quem já faz residência médica no HC.

Fachada do IOT, onde é feita a residência em Ortopedia e Traumatologia da USP
Fachada do Instituto de Ortopedia e Traumatologia da USP (IOT-USP)

E se prepara, pois o edital de residência médica da USP 2021 trouxe novidades para a prova desse ano! Contamos tudo aqui no blog, então vale a pena dar uma olhada, mas, resumindo pra você: não vai ter prova prática, tá? Mas a prova teórica está um pouco diferente da que estávamos acostumados.

Ainda assim, como no caso da Unifesp, os temas que mais caem na prova de residência da USP-SP dificilmente vão mudar. Então o que você está esperando para baixar o nosso novo Guia Estatístico com os cinco temas e assuntos que mais caem em cada grande área na instituição? To só observando esse seu bocamolismo!

SUS-SP

Maior processo seletivo de residência médica do Brasil e o que conta com mais vagas, a concorrência do SUS-SP mostra a que veio.

A instituição ofereceu, no processo seletivo 2019, com acesso em 2020, 41 vagas para a residência em Ortopedia e Traumatologia. A relação candidato/vaga, por sua vez, chega a dobrar os números que vimos até agora! Cada vaga foi disputada por 14 candidatos, a maior entre as instituições desse post.

São cerca de 50 instituições participam do SUS-SP, cada uma com seus próprios programas de residência médica e sua vivência, e algumas são bem concorridas, então é bom fazer a escolha com cuidado! E fica esperto porque os melhores colocados de cada especialidade escolhem primeiro a instituição em que querem fazer a residência, hein? Isso acontece no leilão de vagas do SUS-SP, que a gente já explicou direitinho como funciona aqui no blog.

Mas antes disso, você vai ter que mandar bem nessa prova, né? A prova do SUS-SP é um pouco diferente da de outras instituições por ser composta de apenas uma fase: um exame de múltipla escolha, com 100 questões. Além de te contar tudo sobre a prova de residência do SUS-SP, direto ao ponto, a gente também preparou um Guia Estatístico com os seis focos que mais caem nessa prova!

Unicamp

A Unicamp é outra opção muito procurada por quem sonha com a residência em Ortopedia e Traumatologia. A relação candidato/vaga tá aí pra provar: 13 candidatos pra cada uma das 6 vagas oferecidas no processo seletivo com acesso em 2020, um número muito parecido com o da USP.

Não é por menos: além da alta qualidade de ensino, o complexo hospitalar da Unicamp é muito rico! Na residência em Ortopedia e Traumatologia na Unicamp, ao longo de três anos, você tem a oportunidade de adquirir experiência no Hospital de Clínicas da universidade, dentro do Ambulatório de Ortopedia, e no Hospital Estadual Sumaré (HES).

Vista do Hospital Estadual Sumaré (HES), um dos locais onde é desenvolvida a residência em Ortopedia e Traumatologia da Unicamp
Vista do Hospital Estadual Sumaré (HES) (Créditos: HES/UNICAMP)

A prova não é muito diferente das de outras instituições: até esse ano, o normal era a estrutura de 3 fases, com a 1ª fase sendo uma prova dividida em dois períodos, a 2ª uma prova prática e a 3ª uma análise de currículo, também chamada de entrevista. No entanto, excepcionalmente esse ano a Unicamp NÃO terá entrevista e nem prova prática na segunda fase, somente entrega de currículo! Contamos todas as novidades do edital de residência médica da Unicamp 2021 aqui no blog – vale a pena conferir!

Em todo caso, não deixa de ser importante se preparar para a primeira fase, que também vai ter algumas mudanças importantes em 2021, então bora de estudo pra essa prova também? Já começa descobrindo o que cai baixando o nosso Guia Estatístico com os seis focos mais cobrados com base em uma análise que fizemos das provas dos últimos cinco anos!

IAMSPE

Agora é a vez de falar do IAMSPE! No último processo seletivo de lá, com acesso em 2020, foram oferecidas 8 vagas, projetando uma relação candidato/vaga de 13, mantendo a média que vimos até agora.

E é justificado: o treinamento em serviço da residência em Ortopedia e Traumatologia no IAMSPE é de ótima qualidade. Com atendimento nas subespecialidades coluna, joelho, mão, pé, quadril, ombro, ortopedia geral, ortopedia pediátrica, trauma e tumor, o Departamento de Ortopedia do IAMSPE realiza cirurgias de pequeno, médio e grande porte, além da colocação de próteses e órteses.

Vista aérea do HSPE, onde é realizada a residência em Ortopedia e Traumatologia do IAMSPE
Vista aérea do IAMSPE

O processo seletivo do IAMSPE é semelhante ao de outras instituições pra fazer residência médica em SP (prova teórica, prova prática e entrevista), e nós também já contamos tudo sobre essa prova. Mas atenção para o componente especial: assim como a Unifesp, o IAMSPE também tem uma prova multimídia na segunda fase. Mais um motivo pra você dar uma olhada no Minicurso de Prova Multimídia, hein?

Ah, e se você quer saber ainda mais sobre o assunto, é bom dar uma olhada no podcast Finalmente Residente. Nele, recebemos convidados que falam sobre suas vivências nas mais variadas residências e instituições do país! O mais interessante nisso tudo é que você pode ouvir a voz da experiência e conhecer os principais aspectos dessa etapa por meio de quem vive (ou viveu) com afinco a vida de residente. O Thiago Fernandes, por exemplo, contou um pouco pra gente sobre a residência médica em Ortopedia no Iamspe. Ele é fera, então, corre lá pra conferir!

Unesp

Pra fechar, não podíamos deixar de falar da residência em Ortopedia e Traumatologia na Unesp. O complexo hospitalar da universidade fica na cidade de Botucatu, onde garante assistência a cerca de 2 milhões de pessoas.

O Hospital das Clínicas de Botucatu é o mais conhecido desse complexo, mas apenas uma parte dele. Além dele, há também o Hospital Estadual Botucatu (HEBo), além do Serviço de Atenção e Referência em Álcool e Drogas (SARAD) e de dois prontos-socorros, um adulto e um infantil.

Hospital Estadual Botucatu, um dos componentes do complexo hospitalar da Unesp
O Hospital Estadual Botucatu (HEBo), importante componente do complexo hospitalar da Unesp (Créditos: Unesp/Reprodução)

Para quem optar pela residência em Ortopedia e Traumatologia, vai ser importante se familiarizar principalmente com o HEBo e com o Hospital das Clínicas – mais especificamente, com o Departamento de Cirurgia e Ortopedia, já que acumula mais de 40 anos de existência!

Entre as instituições mais procuradas para a residência em Ortopedia e Traumatologia, a Unesp tem uma das menores concorrências entre as 6 instituições que mencionamos, tendo apresentado cerca de 6 candidatos para cada uma das 5 vagas oferecidas no processo seletivo 2019-2020 – o que também não deixa de ser uma concorrência considerável, né?

Ufa! Acabamos!

A escolha de onde fazer sua residência em Ortopedia e Traumatologia realmente não é fácil, nós sabemos. São Paulo tem muitas instituições de renome, e são muitas variáveis em jogo na hora de tomar essa decisão. Mas esperamos que, falando um pouco das mais buscadas, a gente tenha conseguido te ajudar com todo esse processo. Aproveita pra dar uma olhada em quanto ganha um ortopedista no Brasil!

Não deixa de acompanhar o nosso blog, pois já começamos a publicar vários artigos sobre os diferentes programas de residência médica, as provas de residência das principais instituições de São Paulo e as novidades dos editais que estão saindo!

Ficou alguma dúvida? Fala pra gente! Deixe aqui nos comentários que a gente responde! 

Bons estudos!

Receba conteúdos exclusivos!

Telegram
JoanaRezende

Joana Rezende

Carioca da gema, nasceu em 93 e formou-se Pediatra pela UFRJ em 2019. No mesmo ano, prestou novo concurso de Residência Médica e foi aprovada em Neurologia no HCFMUSP, porém, não ingressou. Acredita firmemente que a vida não tem só um caminho certo e, por isso, desde então trabalha com suas duas grandes paixões: o ensino e a medicina.