Carregando

As instituições mais buscadas para fazer residência em Radiologia em SP

Seu desejo é trabalhar na área de Radiologia? Trabalhar com Diagnóstico por Imagem, fazendo determinações precisas e identificando problemas antes mesmo que eles possam se desenvolver? Se você chegou até aqui é muito provável que já saiba que deseja fazer a residência em Radiologia, então já dá uma olhada no salário do radiologista no Brasil!

A verdade é que a Radiologia é uma área muito ampla, que trabalha junto e é útil para todas as áreas da medicina. Essas que mencionamos são apenas algumas das possibilidades que a especialização em Radiologia, que tem duração de 3 anos, pode te proporcionar.

Você pode até ter certeza de que é Radiologia que você quer, mas como decidir onde se especializar com tantas instituições tradicionais em São Paulo? É pra isso que serve esta série de posts, e hoje é o dia de falar sobre as seis instituições mais buscadas de São Paulo para fazer Radiologia!

Vamo começar?

USP

Uma das instituições mais concorridas do país, a residência em Radiologia da USP é um sonho pra muita gente. Não é por menos: estamos falando do maior complexo hospitalar da América Latina! São mais de 1 milhão de consultas ambulatoriais, 232 mil atendimentos de urgência e mais de 50 mil cirurgias por ano!

O Instituto de Radiologia (InRad) do Hospital das Clínicas da FMUSP, onde é feita a residência em Radiologia da USP
O Instituto de Radiologia (InRad) do Hospital das Clínicas da FMUSP (Créditos: FMUSP/Reprodução)

Claro que, apesar de chamativos, esses números não contam como é o dia a dia de quem faz essa residência médica. É por isso mesmo que entrevistamos o Paulo e o Thiago, residentes no Instituto de Radiologia do HC (InRad), que nos contaram tudo sobre como é a residência em Radiologia na USP. Dá uma olhada!

Mas você já deve saber que passar na prova de residência da USP-SP exige muita dedicação! Partindo das estatísticas do último processo seletivo, de 2019, cada candidato precisa disputar cada uma das 23 vagas em Radiologia com outras 8 pessoas. Não é pouca coisa!

Nesse caso, a sua melhor ferramenta é o preparo e nisso a gente pode te ajudar: Dá uma olhada nos materiais gratuitos da Academia Medway! Lá você encontra minicursos gratuitos, questões comentadas e vários outros recursos que podem fazer a diferença nos seus estudos. Um exemplo é o nosso novo Guia Estatístico, em que falamos sobre os 5 temas e assuntos que mais caem em cada grande área na prova de residência da USP, com base em uma análise das prova dos últimos anos!

Ah, e se você quer saber ainda mais sobre o assunto, é bom dar uma olhada no podcast Finalmente Residente. Nele, recebemos convidados que falam sobre suas vivências nas mais variadas residências e instituições do país! O mais interessante nisso tudo é que você pode ouvir a voz da experiência e conhecer os principais aspectos dessa etapa por meio de quem vive (ou viveu) com afinco a vida de residente. O Felipe Lorenzo, por exemplo, contou um pouco pra gente sobre a residência em Radiologia. Ele é fera, então, corre lá pra conferir!

Unifesp

Outra instituição extremamente concorrida, a Unifesp ofereceu 10 vagas para a residência em Radiologia no processo seletivo 2019-2020. A relação candidato/vaga foi levemente maior que a da USP: 10.

Apesar de a USP possuir o maior complexo hospitalar da América Latina, a Unifesp não fica atrás: grande parte das atividades práticas da residência na universidade são desempenhadas no Hospital São Paulo, reconhecido como o maior hospital universitário do país.

Fachada do Hospital São Paulo, onde é feita a residência em Radiologia da Unifesp
Fachada do Hospital São Paulo

A vivência lá é bastante variada. Já no R1, os residentes são introduzidos a temas como radiologia geral, princípios básicos de física e proteção radiológica, anatomia patológica, técnicas de indicação e contraindicação de exames contrastados, além de estágios em ultrassonografia, tomografia computadorizada, densitometria e medicina nuclear. 

A partir do R2, já é possível começar a se inserir nas subespecialidades, e no R3 há a ênfase no desenvolvimento das mais diversas modalidades de Diagnóstico por Imagem, suas aplicabilidades, formulação do diagnóstico e seus diferenciais, acompanhamento evolutivo e terapêutico e radiologia intervencionista.

Mas isso somos nós falando. Se você quiser saber em primeira mão como é a residência em Radiologia da Unifesp, deixa a Raquel e a Gabriela, residentes de lá, te contarem! Elas nos falaram sobre várias outras coisas muito interessantes a respeito da especialização, então vale a pena dar uma olhada na entrevista que fizemos com elas caso você tenha interesse nessa residência!

Em relação à prova de residência médica da Unifesp tem uma outra diferença em relação à USP: a prova multimídia! Muita gente deixa de se preparar pra ela, e se for o seu caso, tá na hora de construir seu diferencial. Quer saber como? Com o nosso Minicurso de Prova Multimídia, que traz 3 aulas em que contamos o segredo por trás dessa prova.

Aproveita e dá uma olhada no Guia Estatístico que preparamos com os 6 focos que mais caíram na prova nos últimos cinco anos!

Unicamp

A Unicamp é outra opção muito procurada por quem sonha com a residência em Radiologia, e segue uma tendência similar à USP e à Unifesp no que diz respeito à concorrência. No processo seletivo 2019/2020, foram 9 candidatos concorrendo a cada uma das 10 vagas.

E isso tem motivo: além da ótima qualidade de ensino, da qual a gente nem precisa te falar, o complexo hospitalar da Unicamp é muito rico em experiência. A partir do Departamento de Radiologia da Faculdade de Ciências Médicas (FCM) da Unicamp, os residentes têm a oportunidade de adquirir, ao longo dos 3 anos da residência em Radiologia, experiência no Hospital de Clínicas da universidade, no Hospital Estadual Sumaré (HES) e no Centro de Atenção Integral à Saúde da Mulher (CAISM).

Centro de Atenção Integrada à Saúde da Mulher (Caism), onde se pode adquirir experiência prática dentro da residência em Radiologia da Unicamp
Centro de Atenção Integrada à Saúde da Mulher (Caism) (Créditos: Unicamp/Reprodução)

A bagagem que se pode adquirir a partir dessas experiências é muito relevante. Por exemplo, o CAISM: o serviço de diagnóstico por imagem do Centro realiza exames diagnósticos, invasivos, terapêuticos e virtuais de ultrassonografia geral e doppler, biópsias dirigidas, mamografias, agulhamentos, histerografias, exames contrastados e incidências radiográficas. São cerca de 40 mil exames por ano!

Em relação à prova de residência médica da Unicamp, ela não é muito diferente das de outras instituições: mantém a estrutura de 3 fases, com a 1ª fase sendo uma prova dividida em dois períodos, a 2ª uma prova prática e a 3ª uma análise de currículo, a famosa entrevista. Mas fique atento! Neste ano, com acesso direto em 2021, pode ser que algumas fases sejam modificadas, em função da pandemia de COVID-19, então não deixe de acompanhar as novidades que aparecerem!

Em todo caso, dá uma olhada no nosso Guia Estatístico da Unicamp pra você ficar por dentro dos seis focos que mais caíram na prova nos últimos cinco anos!

IAMSPE

Em termos de concorrência, o IAMSPE fica acima de todas as instituições que mencionamos até agora: do total de 10 vagas, o último processo seletivo apresentou uma relação candidato/vaga de 13. Não é por acaso que ele tá nessa lista né?

Vista aérea do IAMSPE
Vista aérea do IAMSPE

O grande nome que acompanha o IAMSPE, definitivamente, é o do Hospital do Servidor Público Estadual (HSPE). Mas não se engane: apesar de ser centralizado em um único hospital, o treinamento em serviço da residência em Radiologia do IAMSPE não deixa a desejar. Com equipamentos modernos, o HSPE oferece exames de Radiodiagnóstico, Mamografia, Densitometria Óssea, Ultrassonografia, Tomografia Computadorizada, Ressonância Magnética e Radiologia Intervencionista Não-Vascular. Ao todo, realiza mais de 30 mil exames por mês!

Apesar de também contar com um processo seletivo dividido em 3 etapas (teórica, prática e entrevista), a prova “prática” do IAMSPE apresenta uma diferença: é, na verdade, uma prova de multimídia – mais uma razão pra você descobrir o segredo pra mandar bem nessa prova assistindo ao nosso Minicurso de Prova Multimídia (100% gratuito, velhinho)! Se quiser saber mais a fundo sobre ela, recomendamos o nosso artigo em que contamos tudo sobre a prova do IAMSPE. Dá uma olhada!

Unesp

Um dos grandes nomes pra quem pensa em uma especialização pra além da capital paulista, não podíamos deixar de falar da grande Unesp, cujo complexo hospitalar, que fica na cidade de Botucatu, garante assistência a cerca de 2 milhões de pessoas.

Hospital Estadual Botucatu, um dos mais importantes componentes do complexo hospitalar da Unesp
O Hospital Estadual Botucatu (HEBo), importante componente do complexo hospitalar da Unesp (Créditos: Unesp/Reprodução)

Apesar de ser o mais conhecido, o Hospital das Clínicas de Botucatu é apenas um dos componentes do complexo hospitalar da Unesp. Além dele, há também o Hospital Estadual Botucatu (HEBo), o Serviço de Atenção e Referência em Álcool e Drogas (SARAD) e dois prontos-socorros, um adulto (PSA) e um pediátrico (PSP). Para quem optar pela residência em Radiologia, vai ser importante se familiarizar principalmente com o Hospital das Clínicas e com o HEBo.

Entre as instituições mais procuradas para a residência em Radiologia, a Unesp tem a menor concorrência entre as 6 instituições que mencionamos, tendo apresentado cerca de 6 candidatos para cada uma das 7 vagas oferecidas no processo seletivo 2019-2020 – o que não deixa de ser uma baita concorrência, né? Estamos falando das instituições mais buscadas, afinal!

Por fim, em relação à prova, a Unesp também adota o modelo de três fases, assim como a USP, a Unifesp e a Unicamp, e também tem duração de 3 anos.

SUS-SP

Nosso objetivo quando escrevemos esse tipo de texto não é ranquear as instituições pela quantidade de concorrência. O SUS-SP é a prova disso: maior processo seletivo de residência médica do Brasil e o que conta com mais vagas, ofereceu, no processo seletivo 2019, 22 vagas para a residência em Radiologia. Mas pra quem já tava ficando mais aliviado, muito pelo contrário: no mesmo ano, foi registrada uma relação de surpreendentes 25 candidatos por vaga, a maior entre as instituições que mencionamos aqui.

Muitos desses candidatos são atraídos por um diferencial do processo seletivo do SUS-SP, que permite que os aprovados possam escolher o hospital em que vão realizar a residência. Considerando que são cerca de 50 instituições, e algumas são bem concorridas, ter esse poder de escolha é muito interessante!

Além da grande concorrência, é importante lembrar que a prova do SUS-SP é diferente da de outras instituições, sendo composta por somente uma fase: um exame de múltipla escolha, com 100 questões, o que torna ainda mais complicado se preparar pra esse exame. 

Por enquanto ainda não temos conteúdos específicos sobre a prova de residência do SUS-SP, mas fica de olho, pois em breve vamos ter mais informações pra você aqui no blog.

Por agora, isso é tudo!

A escolha de onde fazer sua residência em Radiologia realmente não é fácil, nós sabemos. São Paulo tem muitas instituições de renome, e são muitas variáveis em jogo na hora de tomar essa decisão. Mas esperamos que, falando um pouco das mais procuradas, a gente tenha conseguido te ajudar com todo esse processo.

Não deixe de acompanhar o nosso blog, pois já começamos a publicar vários artigos sobre os diferentes programas de residência médica e as provas de residência das principais instituições de São Paulo.

Ficou alguma dúvida? Fala pra gente! Deixe aqui nos comentários que a gente responde! 

Bons estudos!

Receba conteúdos exclusivos!

Telegram
JoãoVitor

João Vitor

Capixaba, nascido em 90. Graduado pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES) e com formação em Clínica Médica pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HC-FMUSP) e Administração em Saúde pelo Hospital Israelita Albert Einstein (HIAE). Apaixonado por aprender e ensinar.