Carregando

Como obter o título de especialista em Oftalmologia?

Você já ouviu falar do título de especialista em Oftalmologia? Se você pensa em seguir nessa área, é bom estar por dentro do assunto. Vou explicar o motivo: é que pra um médico formado se tornar oftalmologista ele pode seguir dois caminhos. O primeiro é a clássica residência médica, que envolve processos seletivos, provas e treinamento prático. O outro, um pouco menos evidenciado, é a pós-graduação lato sensu, seguida da prova de título de especialista

Não, eu não to falando de mestrado e doutorado — essas modalidades de especialização são stricto sensu e estão mais relacionadas à pesquisa científica e à carreira acadêmica. A pós-graduação da qual estou falando é, no caso, um curso de especialização em que não há tanto foco na prática quanto ocorre na residência, mas que possibilita ao médico se tornar um especialista na área. 

Depois de concluir o curso, o médico precisa fazer a prova que já mencionamos para realmente ser considerado especialista. E é isso que um profissional quer, não é mesmo? Exercer sua especialidade do coração, seja por vocação ou pela remuneração na Oftalmologia, com a regularização necessária para dizer que é, de fato, especialista. 

Por isso, bora falar sobre como obter o título de especialista em Oftalmologia!

O título de especialista em Oftalmologia pode fazer toda a diferença para a sua carreira

Título de especialista em Oftalmologia: qual o caminho para chegar lá depois da pós-graduação

A escolha do curso de especialização

Em primeiro lugar, você precisa saber que não é qualquer curso de Oftalmologia que pode ser considerado válido para que você se torne especialista. Por isso, no momento da sua escolha, cheque se o curso é credenciado pelo Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO), a principal associação representativa da especialidade no Brasil. O CBO é responsável pela defesa da profissão, por iniciativas de educação continuada dos oftalmologistas (como o Congresso CBO), por publicações científicas da área e, entre outras atividades, pela realização da Prova Nacional de Oftalmologia

A Prova Nacional de Oftalmologia 

Mas o que é essa prova, afinal? Basicamente, é o exame anual que vai permitir que o médico conquiste seu título de especialista em Oftalmologia — mediante aprovação na prova, é claro. Vamos detalhar um pouco mais como ela funciona abaixo, então continua aqui pra conferir!

Quem pode fazer a prova

A princípio, qualquer médico formado e inscrito no CRM pode realizar a Prova Nacional de Oftalmologia para obter o título de especialista. Agora, a quem interessa fazer essa prova? Basicamente, a três perfis de profissionais: 

  • Médicos que tenham concluído, antes da prova, o curso de especialização (pós-graduação) em Oftalmologia em serviços credenciados pelo CBO, como já falamos. 
  • Médicos que tenham concluído, antes da prova, a residência médica em Oftalmologia em instituições credenciadas pela Comissão Nacional de Residência Médica (CNRM) e queiram inserir a prova no currículo.
  • Médicos graduados que comprovem 6 anos de serviços, treinamento e capacitação em instituições de atendimento oftalmológico. 

Inscrições 

A documentação exigida para inscrição em cada caso é diferente e deve ser consultada no edital da Prova Nacional de Oftalmologia. Para realizar a inscrição, o candidato precisa enviar seus documentos por correio para o CBO, conforme instruções do edital. É possível agilizar o processo enviando os arquivos digitalizados por e-mail também, sem excluir o envio via correio. 

Como é a prova 

São três partes obrigatórias e eliminatórias: a teórica, a teórico-prática e a prática. Porém na edição de 2021, que foi realizada em 28 de fevereiro, em função da pandemia, a terceira parte foi teórica também. Todas foram realizadas em um só dia e online. Aliás, essa condição remota exigiu que os candidatos tivessem alguns equipamentos, como câmera, e um pré-teste obrigatório foi realizado com todos os inscritos para garantir que soubessem acessar o sistema. Dito isso, vamos entender melhor o que tem em cada fase. Se liga!

A prova teórica I tem 50 questões de múltipla escolha, vale 10 pontos e conta com perguntas sobre ciências básicas da Oftalmologia: Anatomia, Embriologia, Farmacologia, Fisiologia, Genética, Histologia, Óptica e Patologia. A prova teórica II é composta por 125 questões de múltipla escolha, também valendo 10 pontos, com conteúdos sobre Oftalmologia clínico-cirúrgica. Por fim, a prova teórico-prática possui 50 questões de múltipla escolha que são respondidas a partir da análise de imagens de estudos de caso, valendo 10 pontos

Vale destacar que o edital sempre traz um anexo com as bibliografias para cada etapa. 

Quanto custa

Você deve estar se perguntando por aí qual é o investimento nessa brincadeira para obter o título de especialista em Oftalmologia, certo? Pois bem: a inscrição sai por R$ 3.200,00 para quem não é associado ao CBO. Caso o médico seja associado e esteja em dia com o pagamento da anuidade do Conselho, o valor da inscrição cai para R$ 1.750,00. Há, ainda, uma terceira possibilidade de taxa que sai por R$ 1.250,00 e é destinada a alunos do terceiro ano de cursos de especialização credenciados pelo CBO, mas o coordenador do curso deve enviar uma lista de aptos a essa modalidade de inscrição ao Conselho. 

Resultados e aprovação 

Tanto o gabarito quanto a relação final de aprovados são divulgados no site www.cbo.com.br algumas semanas após a realização da prova. O calendário varia conforme o ano; por isso, se você tem interesse em prestar a prova, precisa ter todas as datas em mente, desde as de inscrições até as de resultados, até porque cabem recursos em várias etapas, assim como ocorre nas provas de residência. 

É considerado aprovado o candidato que obtiver média aritmética entre todas as provas igual ou superior a 6,5 e nota mínima de 6 pontos em cada uma. 

Exame de Suficiência 

Talvez você não saiba, mas o CBO também oferece um Exame de Suficiência para que médicos formados há mais de 10 anos e sem ligação com sistema de ensino credenciado da especialidade possam obter o título de especialista em Oftalmologia. Apesar de não ser realizada anualmente, essa prova tem critérios rigorosos e tem sido cada vez mais procurada

A residência médica em Oftalmologia também te torna um especialista 

É claro que precisávamos mencionar esse caminho tradicional da especialização médica, não é mesmo? Quem conclui a residência em Oftalmologia, que dura três anos, em instituições credenciadas pela Comissão Nacional de Residência Médica (CNRM), recebe um certificado de conclusão que, na prática, é equivalente ao título de especialista em Oftalmologia

Tem gente que faz a residência e faz a Prova Nacional de Oftalmologia também, mas isso não é obrigatório. É importante lembrar que, para o médico se apresentar como especialista em determinada área, tanto o certificado de conclusão da residência quanto o título de especialista devem ser registrados no Conselho Regional de Medicina (CRM) do estado em que o profissional atua e no Conselho Federal de Medicina (CFM) também. 

Aqui na Medway, nós somos suspeitos pra falar de residência, até porque é o caminho que todo o nosso time de professores escolheu. A experiência e a prática que adquirimos ao longo da vivência são sem precedentes e nos ajudam a ter mais segurança no momento de atender e encaminhar casos diversos. No caso das instituições mais buscadas para fazer Oftalmologia em SP, por exemplo, a imersão e o ambiente com preceptores que são referência na área com certeza vão te tornar um profissional melhor. Pelo menos é isso que relatam os residentes da Unifesp  e da USP nas entrevistas que já fizemos aqui para o Blog. 

Entrar na residência é possível sim

O problema é que muita gente pensa que jamais vai passar na residência e desiste até de tentar. Ok, não vamos mentir pra você, os processos seletivos são concorridos. É difícil mesmo entrar em um programa de residência de uma grande instituição. Mas eu disse que é difícil, não que é impossível. A questão-chave é você descobrir um bom método de preparação, já que a maioria das pessoas tenta estudar fazendo o que todo mundo já faz. Parece que isso vai dar certo? Não, né? Mas, mesmo assim, a galera faz porque tá vivendo o bloqueio da boiada e não entende que pra ter resultados diferentes também precisa agir diferente

Aqui no nosso ebook gratuito você consegue entender melhor como funciona o bloqueio da boiada e, principalmente, como se livrar dele. Além disso, falamos de vários outros bloqueios nos quais você pode estar se perdendo, achando que o problema é a prova ser difícil e não usar um método de estudo que não funciona. Desculpa, mas o papo aqui é reto. 

Não to dizendo que existe fórmula mágica pra passar, mas existe sim um jeito certo de estudar que pode otimizar seu rendimento a ponto de você acertar 80% das provas de residência. Você pode, por exemplo, ter um estudo focado nos temas que mais caem nas instituições que são seu objetivo. Pra te ajudar nessa, temos alguns guias estatísticos na Academia Medway que vão direcionar um pouco mais os seus estudos. Mas pra contar com um acompanhamento mais próximo, recomendo que você clique aqui para conhecer a Mentoria Medway

Depois conta o que achou dos materiais aqui nos comentários, beleza? Abração!

Receba conteúdos exclusivos!

Telegram
JoanaRezende

Joana Rezende

Carioca da gema, nasceu em 93 e formou-se Pediatra pela UFRJ em 2019. No mesmo ano, prestou novo concurso de Residência Médica e foi aprovada em Neurologia no HCFMUSP, porém, não ingressou. Acredita firmemente que a vida não tem só um caminho certo e, por isso, desde então trabalha com suas duas grandes paixões: o ensino e a medicina.