Carregando

O que é saúde coletiva e como trabalhar na área sendo médico?

Você provavelmente já ouviu o termo, mas será que sabe de verdade o que é saúde coletiva? Ele aparece com frequência não apenas em conteúdos da formação das ciências biomédicas, mas também das ciências sociais. Por isso, é um conhecimento considerado multidisciplinar.

Muita gente confunde a definição do conceito com saúde pública. E, embora sejam temas interligados, é importante reforçar que nem toda saúde coletiva é pública. Parece um pouco complexo? Calma! A explicação faz todo o sentido na prática.

Que tal descobrir um pouco mais sobre essa diferença e ainda entender como é possível trabalhar na área sendo médico? Segue o fio!

O que é saúde coletiva?

Então, afinal, o que é saúde coletiva? Nada mais do que uma área de conhecimento que tem como principal objetivo observar e investigar a produção social das doenças, além de planejar a organização dos serviços de saúde com base nos resultados constatados.

Essa necessidade surgiu mais ou menos na metade da década de 1970. Nessa época, havia uma limitação grande de acesso da população aos serviços de saúde. A partir disso, um movimento político surgiu para incentivar a reforma sanitária brasileira.

Hoje, a saúde coletiva tem foco na melhoria da promoção da saúde pública. É possível trabalhar como médico, como pesquisador e como docente para incentivar e desenvolver propostas que contribuam com essa melhoria.

Qual a diferença entre saúde pública e saúde coletiva?

Basicamente, a saúde pública foca em diagnóstico, tratamento e planejamento. Três ações que garantem ao cidadão total assistência à saúde.

A saúde coletiva surge como um complemento a esse trabalho. Ela é considerada como uma disciplina que desenvolve conceitos e projeções acerca dessa assistência prestada.

Quais são as áreas dentro da saúde coletiva?

As áreas da saúde coletiva têm um papel muito importante para os avanços da saúde, de forma geral. São quatro especializações diferentes, com soluções e estratégias que se complementam. Veja só quais são elas e como funcionam!

Epidemiologia

A epidemiologia é responsável por estudar como as doenças e seus mecanismos de transmissão se distribuem pela população e regiões. Conta com técnicas e táticas de monitoramento, observação, análise, relatórios, corporativos, entre outras ferramentas que acompanham a presença de doenças epidemiológicas em determinados territórios.

Gestão e análise dos serviços de saúde

A gestão e análise dos serviços de saúde visam a administração desses serviços, sejam eles de atendimento, de prática médica, de acesso a terapias e tratamentos, de agendamento e disponibilidade de consultas, de retornos, de estruturação e funcionamento de hospitais e centros de saúde, e assim por diante.

Promoção da saúde

Na promoção da saúde, o objetivo é desenvolver políticas e estratégias que favoreçam a conscientização e o acesso à saúde para a população. As ações envolvem campanhas, projetos, propagandas e mais, que podem ser propostas por organizações ou individualmente.

Saúde da família

Por fim, a saúde da família se encontra no primeiro nível de atenção do SUS. Seu intuito é garantir a integralidade da participação da comunidade nas ações de saúde e assistência: todos os membros de uma família, independentemente do tipo de parentesco, participam de um programa de prática assistencial para prevenção e cura de doenças, além de atendimento hospitalar.

Como trabalhar com saúde coletiva sendo médico?

Agora que você sabe exatamente o que é saúde coletiva, surge outra questão: como trabalhar nessa área sendo médico? Depois que você se formar na graduação, é possível seguir duas linhas diferentes.

Uma imagem ilustrativa associada ao tema "o que é saúde coletiva". Confira!
Saiba mais como trabalhar com saúde coletiva sendo médico

A primeira é fazer um outro curso de graduação em saúde coletiva. Algumas universidades, como a UFRJ, contam com esse curso em sua grade. Entretanto, a opção mais popular é fazer residência médica em Medicina Preventiva e Social. Nós entrevistamos a Natália e o Leandro, residentes dessa especialidade na USP, que contaram tudo sobre o programa e o serviço. Dá uma olhada aqui

O programa tem a duração de 2 anos e é de acesso direto. O especialista será preparado para atuar em todos os níveis de prevenção em saúde, com o objetivo de evitar que doenças com fatores de risco tratáveis se espalhem. Dessa maneira, contribuirá com um dos principais propósitos da saúde coletiva: minimizar o impacto de doenças que já estão em desenvolvimento na comunidade.

O médico especialista em Medicina Preventiva e Social também pode atuar na gestão e administração de hospitais e centros de saúde. Nessa área, ele será responsável por otimizar os recursos disponíveis para a saúde e traçar estratégias para que mais pessoas possam ter acesso aos serviços.

Por esse motivo, parte das atividades práticas da residência acontece no atendimento em hospitais (ambulatórios, enfermarias, UTIs, entre outros ambientes) e parte em secretarias de saúde e demais centros de atendimento. É uma área que oferece diversas possibilidades de trabalho para o médico.

Como é a rotina profissional do médico especialista em saúde coletiva?

A rotina profissional do médico especialista em saúde coletiva não está entre as mais exaustivas ou estressantes da Medicina. Por exemplo, ele não precisa lidar com plantões ou casos de alta complexidade.

As horas de trabalho semanais podem ser divididas entre a prática médica e atividades de gestão, ou apenas focada em uma delas. Como a área faz parte da concepção de saúde pública, a atuação mais recorrente desse especialista é no Sistema Único de Saúde (SUS).

A demanda por profissionais da área é grande. São menos de 20 mil médicos registrados na especialidade, sendo que as regiões Norte e Centro-Oeste do país apresentam maior carência de médicos de saúde coletiva. Como a demanda é alta, as oportunidades costumam ser proporcionais, e haverá mais trabalho para fazer.

Como estão seus estudos para residência?

E então, conseguiu entender o que é saúde coletiva e como um médico pode trabalhar na área? Se você pensa em seguir por esse caminho, é muito importante se preparar e focar na residência médica, porque ela é, sem dúvida alguma, a escolha mais segura para desenvolver um trabalho significativo em prol da comunidade e do acesso à saúde de qualidade no Brasil.

A Academia Medway pode te ajudar nessa missão! Por lá, você confere diversos materiais preparatórios totalmente gratuitos, como o Guia Estatístico da Unicamp, que mostra os temas que mais caíram na prova de residência médica dessa instituição nos últimos anos. 

Você também pode fazer parte do Extensivos da Medway! São cursos que ocorrem ao longo do ano, com diversas opções de duração e de conteúdo para que você adapte sua preparação ao seu momento de formação, esteja você no quinto ano, no sexto, ou recém-formado! Aproveite e bora pra luta!

Receba conteúdos exclusivos!

Telegram
JoanaRezende

Joana Rezende

Carioca da gema, nasceu em 93 e formou-se Pediatra pela UFRJ em 2019. No mesmo ano, prestou novo concurso de Residência Médica e foi aprovada em Neurologia no HCFMUSP, porém, não ingressou. Acredita firmemente que a vida não tem só um caminho certo e, por isso, desde então trabalha com suas duas grandes paixões: o ensino e a medicina.