Carregando

O que faz o Ortopedista Esportivo: saiba tudo sobre essa especialidade

Corridinha na praia, bater uma bolinha com os amigos, aquela puxada de peso para melhorar o shape, treininho de cardio e aí quando você vê já é quase um atleta profissional! Com as benesses que a prática regular de exercícios traz, vêm também as lesões. E aí? A quem recorrer? Ao Ortopedista Esportivo

Não é apenas atleta de alto desempenho que precisa desse especialista, não! No mundo moderno, em que mais e mais pessoas, de todas as idades, buscam por atividades físicas para ter qualidade de vida e saúde, o Ortopedista Esportivo tem o seu lugar garantido ao sol! É tarefa dele cuidar da prevenção e do tratamento das lesões esportivas e traumas do esporte, como fraturas, danos ligamentares e de cartilagens, luxações e tendinites, entorses e lesões de todo tipo nos esportistas profissionais e de final de semana! Bora lá saber mais! 

O que faz o ortopedista do esporte? Esse tipo de profissional tem se tornado cada vez mais importante, e chegou a hora de conhecer melhor o seu trabalho!

O que é a Ortopedia Esportiva

A Ortopedia do Esporte ou também chamada de Medicina do Exercício e do Esporte é um campo da medicina que vem se destacando no mercado e ganhando cada vez mais espaço no coração daqueles que buscam por uma residência médica, por conta do aumento de pessoas que praticam esportes diversos, como corrida, tênis, musculação, treinamento funcional, natação ou até mesmo o futebol com os amigos no fim de semana. 

O papel desse especialista é atuar não apenas nas lesões em si, mas também na educação do atleta – profissional ou não – ensinando as melhores maneiras de adaptar seu corpo e sua biomecânica ao esporte praticado, ajudando a prevenir danos. Muita gente não sabe, mas se você começa a fazer algum tipo de atividade física, além do acompanhamento do profissional de educação física, ter como aliado um médico do esporte vai melhorar seu desempenho e diminuir o risco de lesões

Mas é aquela coisa, nem todo mundo tem esse cuidado e acaba se machucando. Num primeiro momento, a ideia é procurar um ortopedista, mas a recorrência e a própria triagem médica acabam levando o paciente ao Ortopedista Esportivo, que vai analisar e tratar a lesão, além, é claro, de ajudar na reabilitação que inclui, por exemplo, técnicas avançadas de terapia de plasma rico em plaquetas (PRP), que facilitam a recuperação e diminuem o tempo de retorno à prática esportiva. E você aí pensando que só de cirurgia vive um ortopedista esportivo, né? Nada! Grande parte do seu trabalho é curativo e preventivo. 

É interessante também que esse médico tenha um conhecimento aprimorado e ampliado sobre esportes em geral para que sua prática diária no atendimento aos pacientes seja bem mais proveitosa. Em muitos casos, o médico ortopedista esportivo é também um atleta ou amante de alguma prática esportiva e bastante conhecedor da fisiologia do exercício. De cara a gente já percebe que isso vai refletir nos atendimentos, com as orientações para a melhora do rendimento físico seja por meio de acompanhamento ou suplementação. 

O mercado de trabalho para o ortopedista esportivo

O que todo mundo quer mesmo é saber se isso dá futuro, mas isso é o futuro! A especialidade conta com pouco mais de 800 médicos especialistas diante de um cenário de amplo crescimento nos esportes e nos adeptos de atividades físicas em geral. O boom dos movimentos em favor da saúde e do bem-estar, o aumento expressivo de academias e boxes de treinamentos funcionais e o universo fitness tornam esse profissional essencial para que as pessoas tenham sucesso e resultados. 

O especialista em Ortopedia do Esporte pode atuar em clínicas e consultórios particulares especializados em medicina esportiva, em clubes e agremiações de futebol, vôlei, basquete, ginástica ou qualquer outro tipo de esporte com atletas profissionais de alto rendimento. O Médico do Esporte pode ainda integrar o departamento médico de delegações esportivas que disputam campeonatos e torneios nacionais e internacionais, trabalhando como clínico geral de toda a equipe ou time, tratando das lesões e cuidado dos procedimentos de recuperação e prevenção de atletas. 

O que você deve esperar mesmo ao ingressar nesse campo da medicina é trabalhar muito; atuar em diversa faixas etárias para orientar cuidadosamente a prática esportiva ou orientar ações aos dirigentes de entidades esportivas, educacionais e até mesmo recreativas; realizar exames clínicos periódicos, fichas biométricas e provas de esforço que vão possibilitar aos atletas o melhor do seu rendimento técnico com proteção e saúde. Vai ser animador trabalhar em equipe com outros profissionais da saúde física e psicológica e ajudar uma equipe a vencer um campeonato! 

Das muitas possibilidades de trabalho, uma delas fica de fora da rotina de quem escolhe ser Ortopedista do Esporte: pegar mão em cirurgias não é prevalência. Isso porque a base do trabalho desse profissional é clínica e, em casos de lesões ou acidentes graves, o paciente é encaminhado a hospitais ou clínicas especializadas. Ainda assim, espere por uma rotina cheia de surpresas e aprendizados.

Quanto ganha o ortopedista esportivo

E para saber se vai dar para deixar o porquinho bem gordinho, fizemos uma pesquisa salarial com base nos últimos lançamentos no site Trabalha Brasil e informações do Banco Nacional de Empregos: um profissional iniciante ganha em média 6 mil reais por uma jornada de 20 horas semanais.

Dependendo do clube ou da associação em que ele esteja, do tempo e do know-how do esporte, o salário do médico ortopedista esportivo pode chegar a mais de 18 mil reais, além de alardear fama e valorizar seu passe – tal qual um jogador de futebol, por exemplo – em outros times. Aí, o céu é o limite!

Residência médica em Medicina do Exercício e do Esporte ou Ortopedia do Esporte

Mas para chegar lá, primeiro você tem que fazer a residência médica em Medicina do Esporte! E os processos são os mesmos para as outras especialidades, com um ponto negativo: apesar da SBMEE (Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte) ter sido fundada nos anos de 1962, os programas de residência médica para a especialidade só foram iniciados em 2007. 

E como é um programa bastante recente, nem sempre os médicos que atuam hoje no esporte nacional ou nos consultórios do país são de fato formados na Medicina Esportiva. Eles se apropriam da sua prática e a condicionam às atividades físicas, como o caso, por exemplo, de um cardiologista esportivo que trata de pacientes com enfermidades cardíacas ou até mesmo infartados, mas cujo olhar se limita à sua área. A maior vantagem do especialista em Medicina do Exercício e do Esporte é que ele tem uma visão e um conhecimento muito mais ampliado! Ele trata de toda a gama de doenças relacionadas às atividades físicas sem a necessidade de encaminhar seus pacientes a outros especialistas. Ele é o cara! 

A boa notícia é que cada vez mais o Ortopedista do Esporte está sendo reconhecido e valorizado pelo grande público e pelas entidades esportivas. O lado ruim é que se você quer se tornar um desses especialistas, só vai poder estudar em São Paulo ou no interior do Rio Grande do Sul! Isso porque a residência médica em Medicina do Exercício e do Esporte é oferecida apenas pela USP-SP (Universidade de São Paulo), pela Unifesp (Universidade Federal de São Paulo), pela Unesp de Botucatu (Universidade Estadual de São Paulo) e pela Universidade de Caxias do Sul – que foi eleita a sexta melhor instituição de ensino superior privado do país segundo ranking divulgado pela Folha de São Paulo em 2018.

Se esse é o seu sonho, se joga! E saiba que a Medicina do Exercício e do Esporte é uma especialidade de acesso direto, ou seja, se você deseja se tornar um especialista no tratamento e prevenção de atletas e esportistas, não vai precisar fazer previamente nenhuma outra especialidade: saiu da graduação e já está pronto para ingressar! Mais 3 anos de estudos e estágios práticos na área e você será um Ortopedista Esportivo que vai poder acompanhar crianças, adolescentes e adultos praticantes de esportes! 

E aí? Gostou de saber mais sobre o que faz o Ortopedista do Esporte?

Bom, se você acha que essa pode ser a residência médica que você vem sonhando há tempos, tem que começar a se preparar desde já para garantir um bom desempenho nas provas! Se ainda estiver em dúvida, dá uma olhada no artigo que fizemos sobre endocrinologia esportiva!

Já contamos aqui no blog tudo sobre a prova de residência médica da USP, que, como falamos antes, é uma das quatro instituições que oferecem a residência em Medicina do Exercício e do Esporte no Brasil! Quer saber mais? Então, baixa o nosso novo Guia Estatístico com os cinco temas e assuntos que mais caem em cada grande área na prova da USP, com base em uma análise das provas dos últimos anos. Bora pra cima!

Receba conteúdos exclusivos!

Telegram
JoanaRezende

Joana Rezende

Carioca da gema, nasceu em 93 e formou-se Pediatra pela UFRJ em 2019. No mesmo ano, prestou novo concurso de Residência Médica e foi aprovada em Neurologia no HCFMUSP, porém, não ingressou. Acredita firmemente que a vida não tem só um caminho certo e, por isso, desde então trabalha com suas duas grandes paixões: o ensino e a medicina.