Carregando

Como entrar no mercado de trabalho após a faculdade de Medicina?

São seis longos anos de estudos e dedicação extremas! São diversas provas, dois anos de internato, e muita, muita dedicação para concluir a graduação e se deparar com um questionamento que ainda tem assustado muitos recém-formados: como entrar no mercado de trabalho após a faculdade de Medicina?

A área médica é uma das mais concorridas, mas ainda assim, no Brasil, ela dá conta de absorver grande parte dos que se formam anualmente. Uma coisa precisa ser dita: apesar de ser um campo de trabalho em expansão, as vagas pra médicos que acabaram de sair da faculdade são, na maioria das vezes, em locais fora dos grandes centros urbanos. Alguns estados têm déficit de médicos, por conta da localização geográfica, como os estados do norte e nordeste, mas, em geral, há oportunidades para médicos generalistas em praticamente todo o país. 

E como se inserir no mercado de trabalho? Primeiro, você precisa terminar a graduação em Medicina e depois, de posse do diploma, pedir seu número de CRM. Para ter a permissão para exercer a profissão, o médico recém-formado precisa procurar o órgão no seu estado e realizar a inscrição presencialmente. A gente já falou sobre isso aqui no blog, dá uma conferida! E vamos conhecer as possibilidades de carreira de um médico recém-formado! 

Muitos alunos recém-formados não sabem como entrar no mercado de trabalho após a faculdade de Medicina

Afinal, como entrar no mercado de trabalho após a faculdade de Medicina?

Atuar como médico generalista 

Se você terminou a faculdade de Medicina e está de posse do seu número do CRM, saiba que já pode começar a trabalhar. Muitas áreas médicas exigem a realização de uma residência médica para capacitar o médico como especialista, como a Oftalmologia, a Cardiologia ou a Pediatria. No entanto, não há impedimentos para que os recém-formados exerçam a Medicina como médicos generalistas. E se essa é a sua vontade, se prepara porque os plantões em hospitais e prontos-socorros costumam ser o caminho mais comum, assim como em clínicas e UBS (Unidades Básicas de Saúde). Fazer uma especialização

Segundo informações do Cremesp, só no estado de São Paulo, mais de 50% dos médicos já têm uma ou até mais especializações, o que faz com que o restante seja dividido entre as oportunidades de trabalho existentes. Esse número acaba não sendo capaz de suprir a demanda. Uma coisa legal é que no interior da maioria dos estados e até mesmo nas grandes cidades de regiões como norte e nordeste, muito embora a oferta de residentes seja menor, a quantidade de vagas para médicos generalistas é ainda maior.

Mas atenção: não confunda o médico generalista com o especialista em clínica médica! O segundo é o profissional que faz residência em Clínica Médica, enquanto o primeiro apenas se formou na faculdade de Medicina. 

Fazer uma especialização

Residência médica 

Quem quiser aprofundar seus estudos numa determinada área de interesse dentro do amplo campo que é a Medicina, vai ter que escolher uma residência médica para se tornar especialista. Em geral, as instituições de ensino que oferecem os programas de treinamento em serviço divulgam editais anuais para seleção de novos residentes. Cursar uma residência é uma forma de especialização bastante tradicional, o que leva os médicos a buscarem boas instituições, como USP-SP, USP-RP, Unifesp, Unicamp, Santa Casa, entre outras. Vale lembrar que existem as especialidades de acesso direto e as especialidades com pré-requisitos, que exigem a formação prévia em determinadas especialidades. Essa é uma das opções mais procuradas de como entrar no mercado de trabalho após a faculdade de Medicina. 

Prova de título 

Embora menos conhecido, o caminho da prova de título também é viável. Nele, o médico “substitui” a residência por uma pós-graduação lato sensu e/ou comprova experiência na área em que deseja atuar. No entanto, ele não pode se dizer especialista sem antes conseguir aprovação na prova de título, geralmente promovida por associações ligadas às especialidades no Brasil. Quer saber mais? Leia esse artigo aqui! 

Trabalhar em hospitais e/ou consultórios particulares

Pra quem opta pelo setor privado, as alternativas são os hospitais, os consultórios particulares, as clínicas, os consultórios compartilhados ou a associação com planos de saúde. O médico que escolhe empreender vai ter que arcar com as despesas para manter a infraestrutura do consultório, como água, luz, aluguel e condomínio (sozinho ou em sociedade com outro profissional). Mas também é possível trabalhar como funcionário nesses locais e contar com recursos voltados para a realização de exames e procedimentos. A vantagem, nesse caso, é não se preocupar com despesas para manter o funcionamento do consultório, e aí sobra mais tempo e dinheiro para aperfeiçoar os serviços e os estudos. 

Ingressar no setor público 

Se optar pelo setor público, o médico vai exercer algumas atividades técnicas relacionadas ao planejamento e à implementação de ações e políticas de saúde ou, ainda, atuar no atendimento de postos de saúde, UBS, serviços de pronto-socorro e hospitais públicos. Nem sempre é preciso fazer um concurso público. Em São Paulo, por exemplo, existem organizações, como a Associação Saúde da Família, que têm como função gerir programas dentro de UBSs ou UBSs inteiras. Nesse caso, a associação faz contratações diretamente. Gostou né? Então, confere aqui as vagas abertas e quais são os procedimentos de recrutamento, seleção e contratação da Associação Saúde da Família. E atuar numa UBS pode ser um aprendizado e tanto! Quer saber como entrar em uma USB? Dá só uma olhada nesse artigo! 

Outras possibilidades

E as opções de como entrar no mercado de trabalho após a faculdade de Medicina não param por aí: o médico pode ainda atuar em clubes esportivos, seguir a carreira acadêmica e buscar o mestrado e o doutorado como forma de ingresso na docência do ensino superior, ou entrar para as Forças Armadas e atuar como militar em muitos cantos do Brasil. O mais importante é que você já vá pensando nisso mesmo durante a graduação, pra não enfrentar dúvidas na hora de escolher o que fazer e onde trabalhar.

E aí, qual vai ser o seu caminho?

Pensar em como entrar no mercado de trabalho após a faculdade de Medicina não é uma tarefa fácil, realmente. São muitas possibilidades, não existe certo ou errado. Existe apenas o que é mais adequado ao seu perfil e ao seu projeto de vida. Aqui na Medway a gente é suspeito pra falar, mas acreditamos que um primeiro passo importante é ingressar em uma residência médica de uma boa instituição

A residência é um momento riquíssimo para pegar mão em diversos procedimentos a partir do contato com casos diversos e com equipes de preceptores experientes. Além disso, essa formação oferece a possibilidade de estabelecer contatos profissionais e até de engatar uma carreira acadêmica

Pra saber mais sobre programas e provas de residência, não deixe de acompanhar os conteúdos fresquinhos e super atualizados da Academia Medway! E se a residência médica for a sua escolha de carreira, comece a pensar em se preparar pras provas de São Paulo e das melhores instituições do país! Basta se inscrever no Extensivo São Paulo, o nosso curso com videoaulas ao vivo e gravadas com os temas que você realmente precisa saber para ingressar nas principais instituições do país. Também oferecemos um app com milhares de questões comentadas e acesso ao curso Intensivo São Paulo a partir do meio do ano. Vem com a gente! Bora pra cima! Vamos estudar juntos! 

Receba conteúdos exclusivos!

Telegram
JoãoVitor

João Vitor

Capixaba, nascido em 90. Graduado pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES) e com formação em Clínica Médica pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HC-FMUSP) e Administração em Saúde pelo Hospital Israelita Albert Einstein (HIAE). Apaixonado por aprender e ensinar.