Carregando

A entrevista de residência na Unicamp vai acontecer em 2022?

E aí, está se preparando para a prova de residência da Unicamp? Se você chegou até aqui, a resposta, provavelmente, é sim. Essa é uma ótima escolha, porque nem precisamos lembrar o quanto essa universidade é incrível (e concorrida)! Mas é fundamental se preparar bastante para conquistar sua vaga, levando em consideração, inclusive, a possibilidade de haver a entrevista da prova de residência da Unicamp.

Uma dúvida muito comum é: essa parte do exame acontece mesmo na Unicamp? Ela é bem temida pelos alunos, porque é preciso responder algumas perguntas a uma banca. Só que, felizmente, isso não vai acontecer! Então pode deixar o nervosismo de lado.

Entretanto, é bom se concentrar em outros detalhes importantes do processo seletivo, inclusive no que diz respeito à análise de currículo, porque ela rola mesmo sem entrevista. A seguir, confira todos os detalhes sobre o assunto!

O processo seletivo da Unicamp

O edital do processo seletivo da Unicamp saiu no começo de outubro. Ele é bastante detalhado, e a única coisa em aberto até agora é a determinação dos locais de prova. De resto, você confere tudo por lá, com datas, horários e outras recomendações importantes.

Entrevista de residência na Unicamp: confira se essa fase vai acontecer!
Vai acontecer entrevista de residência na Unicamp 2022?

Porém, para dar uma refrescada na memória e adiantar alguns pontos, colocaremos, aqui, as principais informações para ficar de olho. Segue o fio!

Primeira fase

Para começar, a primeira etapa é dividida em duas provas. É isso mesmo! Você fará uma prova de múltipla escolha, com 80 questões e peso 5,5. Ela acontece na parte da manhã, com a duração de quatro horas.

Na parte da tarde desse mesmo dia, você faz outra prova, mas dessa vez dissertativa. Ela conta com 60 questões de respostas curtas, com peso 3,5. Dessa maneira, ambas resultam no peso 9 da primeira fase de provas teóricas.

Segunda fase

Se você for classificado para a segunda fase, precisará passar pela análise de currículo. Ele é enviado online, no formato PDF, e é preciso anexar também os documentos comprobatórios das suas atividades, eventos e publicações. Essa fase tem peso 1 e é aí que entra a questão da entrevista de residência na Unicamp.

Entrevista de residência na Unicamp: existe?

A partir dessa análise de currículo, rola ou não rola a entrevista de residência na Unicamp? Bom, dessa vez, quem se sente meio ansioso para passar por uma banca de arguição pode ficar tranquilo. Em 2022, a entrevista não vai acontecer durante o processo seletivo.

Mas isso não é um sinal para que você entregue um documento feito de qualquer jeito. Muito pelo contrário, ele será sua única oportunidade de demonstrar suas realizações e seu interesse em se desenvolver na área médica.

E para quem não tem tanta bagagem assim, o que fazer? A Vanina Almeida, que hoje é residente na Unicamp, enfrentou esse dilema no ano passado, e pode passar uma visão mais completa para você. “Pra mim, especificamente, foi um pouco pior, porque eu vim de uma faculdade que era nova. Eu sou da primeira turma da minha faculdade. Então, a gente não tinha uma bagagem muito grande de produção acadêmica. Eu fui desenvolvendo isso mais tarde. Eu fiquei preocupada”, conta ela.

Natural, não é mesmo? E é por isso que ela estava contando com a entrevista nessa fase: no ano passado, ela também foi eliminada. “Eu achei que na arguição seria uma oportunidade em que eu poderia ter de me ‘vender’ melhor, de poder me mostrar melhor, o que, às vezes, não dá pra ver no papel”, comenta a residente.

Mas e então, não ter a entrevista é algo bom ou ruim? A Vanina diz o seguinte sobre isso: “Por outro lado, tem também a parte boa, porque eu tenho certeza de que o nervosismo iria me atrapalhar. Sempre atrapalha, né? Ainda mais com essa expectativa maior que eu estava depositando. E eu acho que é também aquela incógnita. Você não sabe o que vai ser perguntado, então pode ser que fosse bom, mas também poderia aparecer uma pergunta com que eu não soubesse lidar bem”.

A Ana Karoline, nossa professora e host do podcast da Medway que entrevistou a Vanina (vale a pena ouvir, porque lá tem muitas outras dicas sobre a Unicamp!), fala que essa é uma fase que gera muita ansiedade para os alunos. Há quem julgue mais cômodo simplesmente enviar o currículo e deixar acontecer a avaliação. Na opinião da Ana, seria legal manter a entrevista: a maioria das pessoas não têm um currículo repleto de publicações e eventos, e a arguição pode ser um empurrãozinho para permitir angariar pontos que não estão na parte objetiva curricular.

Em contrapartida, sem a entrevista, o aluno não tem os gastos e providências com a viagem ou deslocamento. Marcos Marangoni, que também é professor e host do podcast, concorda com ela. Ele acha que pode ser interessante conhecer a banca e entender as exigências que ela faz, até para se aperfeiçoar posteriormente, ao longo da experiência da residência.

Portanto, com base nessas três colocações, dá para perceber que as opiniões a respeito das vantagens e desvantagens da entrevista são bem pessoais. De qualquer forma, o importante mesmo é que você aproveite ao máximo a oportunidade trazida por essa etapa, que dirá muito sobre você: se dessa vez é só um envio de documento, capriche, escolha bem as informações que achar interessantes e confie em si mesmo! 

Sobre a possibilidade de entrevista de residência na Unicamp 2022, é isso!

Pronto! Agora você já está por dentro de tudo o que diz respeito à entrevista de residência da Unicamp. Ela não acontece este ano, mas há outros detalhes para se preocupar e que fazem a diferença na sua preparação e classificação. Portanto, fique de olho no edital e cumpra todas as exigências para turbinar seu currículo e passar tranquilo na segunda fase.

Por último, mas não menos importante, se você quiser dar um upgrade nos seus estudos nessa reta final, que tal vir para a Academia Medway? Por lá é possível encontrar uma série de conteúdos exclusivos que podem ajudar na jornada rumo à residência médica, inclusive o Guia Estatístico da Unicamp.

Até a próxima!

Receba conteúdos exclusivos!

Telegram
JoãoVitor

João Vitor

Capixaba, nascido em 90. Graduado pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES) e com formação em Clínica Médica pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HC-FMUSP) e Administração em Saúde pelo Hospital Israelita Albert Einstein (HIAE). Apaixonado por aprender e ensinar.