Carregando

Como fazer residência em Hematologia Pediátrica?

Escolher uma especialização para a residência médica não é tarefa fácil. É fundamental levar em conta seus interesses e aptidões, além de detalhes mais abrangentes, como o mercado de trabalho e a concorrência no processo seletivo. Mas, para ajudar você a pensar mais a fundo sobre o assunto, vamos explicar um pouco sobre a residência em Hematologia Pediátrica.

Essa é uma área médica um tanto quanto recente, então oferece muitas oportunidades interessantes para os profissionais. A jornada para se formar na especialidade é intensa, mas muito gratificante e repleta de experiências com tutores renomados, em instituições reconhecidas nacional e internacionalmente.

Quer se aprofundar no tema e conhecer mais sobre o que espera por você nessa modalidade? Continue a leitura deste artigo e fique por dentro de todos os detalhes!

O que é Hematologia Pediátrica?

A Hematologia Pediátrica é a junção de duas especialidades: a Hematologia e a Pediatria. Seu objetivo é prevenir, diagnosticar e tratar doenças que afetem o sangue, a medula e o sistema linfático de crianças e adolescentes entre 0 e 18 anos de idade.

O papel desse especialista se faz ainda mais importante porque a avaliação de exames nessa faixa etária se difere bastante de adultos. Além disso, o atendimento por si só exige um cuidado bem direcionado, em especial em relação aos recém-nascidos e bebês.

O hematologista pediátrico também é responsável por identificar suspeitas de certos tipos de câncer, como a leucemia e o linfoma. A depender do caso, ele trabalhará em conjunto com o oncologista durante o tratamento do paciente.

As doenças tratadas nesta especialidade podem ser hereditárias ou adquiridas. Mas, em geral, apresentam uma alta complexidade. O médico também fica responsável por identificar casos de:

  • deficiência de vitaminas;
  • hemoglobinopatias;
  • deficiência de enzimas;
  • incompatibilidade sanguínea entre mãe e bebê;
  • contagem de plaquetas e leucócitos, entre outros.

Para completar, além das consultas, faz atendimentos de emergência, participa de plantões, solicita, analisa e realiza exames, prescreve medicamentos, sugere e acompanha tratamentos, monitora pacientes em internação, e muito mais.

A rotina do especialista é bastante atribulada, como você pode ver. E vale lembrar ainda que ele não apenas fica em contato com pacientes jovens, mas também com seus familiares, o que também requer uma preparação específica para repassar explicações e diagnósticos.

Como fazer residência em Hematologia Pediátrica?

Antes de entrar para a residência em Hematologia Pediátrica, é preciso passar por algumas etapas de estudo para aprofundar conhecimentos e direcionar seu foco para a especialidade. Conheça, a seguir, cada uma delas e o que fazer para executá-las com sucesso!

Faculdade de Medicina

A faculdade de Medicina é onde começa toda a sua experiência de carreira. Ela tem a duração média de seis anos, com uma carga horária cumprida em período integral. No Brasil, é a graduação com o maior tempo de duração.

Nos dois primeiros anos de curso, o aluno fica imerso no chamado ciclo básico. Ou seja, tem contato com disciplinas mais teóricas, para desenvolver o raciocínio clínico e o domínio sobre a estrutura e o funcionamento do corpo humano.

Apesar de não estar em contato ainda com pacientes, é possível participar de atividades em salas de microscopia, laboratórios e rotinas de saúde. A partir do terceiro ano, começa o período clínico, que dura outros dois anos. Neste momento começa o contato com pacientes e o trabalho por meio de exames e diagnósticos de uma forma mais prática.

Os dois últimos anos incluem a dedicação ao internato hospitalar. Nele, a prática clínica é realmente intensa: o aluno participa de atendimentos em hospitais, plantões e atividades ambulatoriais supervisionadas por professores.

Residência médica em Pediatria

A residência médica em Pediatria tem acesso direto e é pré-requisito para quem deseja se dedicar à Hematologia Pediátrica. Isso significa que você pode se candidatar a uma vaga de sua instituição de escolha assim que se formar na faculdade de Medicina, mas vale lembrar que mesmo sendo oferecida em diversas instituições, é bastante concorrida.

A carga horária de um residente nesta especialidade é de 60 horas semanais. Elas se dividem entre 40 horas de atividades práticas e teóricas e 20 horas de plantão. Sua duração é de três anos. Durante esse período, o aluno aprende a:

  • orientar vacinas;
  • atender recém-nascidos, crianças e adolescentes;
  • orientar mães;
  • identificar situações pediátricas de urgência ou emergência;
  • reconhecer situações de encaminhamento para outras especialidades;
  • identificar oportunidades de promoção e prevenção à saúde;
  • avaliar exames de acordo com as exigências pediátricas;
  • realizar visitas clínicas e desenvolver relatórios de atendimento clínico ou plano de conduta;
  • realizar atividades assistenciais, e muito mais.

Residência em Hematologia Pediátrica

A residência em Hematologia Pediátrica tem a duração de dois anos e a mesma divisão de carga horária que a Pediatria. Nessa especialidade, o residente se prepara para diagnosticar e tratar patologias onco-hematológicas, conhece quimioterápicos e medicamentos e seus efeitos colaterais, e cumpre uma carga de medicina transfusional.

O foco está sempre na faixa-etária que a Pediatria abrange. Durante a residência, o aluno também se dedica a atividades como:

  • investigação diagnóstica;
  • análise de alterações no sangue;
  • biópsia de medula óssea;
  • prescrição e monitoramento do uso de quimioterápicos;
  • análise e indicação de anticorpos monoclonais;
  • manuseio de produtos biológicos;
  • terapia celular;
  • procedimentos invasivos e minimamente invasivos, entre outros.

O residente da Hematologia Pediátrica conta com auxílio e orientação de tutores, pode realizar pesquisas simultaneamente aos atendimentos práticos e deve participar de outras atividades complementares à sua formação, como eventos, congressos e palestras. É uma rotina puxada, que requer também equilíbrio emocional devido à gravidade das doenças estudadas e à idade dos pacientes.

Há também a possibilidade de se aventurar por essa especialidade por meio de outras especializações que não sejam a residência médica. Por exemplo, em cursos presenciais promovidos pela USP e voltados para a Onco-Hematologia Pediátrica, com a duração de dois anos e carga horária de 3840 horas no total.

É isso!

E então, conseguiu entender melhor como funciona a residência médica em Hematologia Pediátrica? Se esse é o caminho que você quer seguir para sua carreira médica, a hora de começar a se preparar é agora!

Venha fazer parte da Academia Medway e ter acesso a materiais exclusivos e gratuitos que podem ajudar você nessa fase tão importante de estudos. Um deles é o Guia Estatístico da Unifesp, que inclusive é uma ótima opção de instituição para fazer residência. Você também pode se jogar no Intensivo São Paulo, um curso que acontece a partir do meio do ano e tem conteúdo voltado para as provas de São Paulo. Entre para nosso time!

Receba conteúdos exclusivos!

Telegram
JoãoVitor

João Vitor

Capixaba, nascido em 90. Graduado pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES) e com formação em Clínica Médica pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HC-FMUSP) e Administração em Saúde pelo Hospital Israelita Albert Einstein (HIAE). Apaixonado por aprender e ensinar.