Carregando

Pós-graduação em Hematologia: opções para quem quer se especializar mais

Na Medicina, você pode se especializar em inúmeras áreas que cuidam de diferentes partes do corpo e fases da vida, de acordo com seus interesses e aspirações profissionais. Uma das opções para garantir seu título é fazer uma pós-graduação em Hematologia, que pode ser realizada em grandes instituições do país.

Essa é uma especialidade que foca no estudo do sangue humano e seus elementos. Por causa disso, pode ajudar muitas outras especialidades a encontrarem tratamentos para doenças. Além disso, é uma área com bastante oferta de emprego, já que o médico pode atuar em diversas frentes.

Ficou curioso para saber mais sobre o que essa especialização pode trazer para sua carreira? Continue a leitura e descubra outros detalhes sobre ela!

O que é Hematologia?

Antes de falar da pós-graduação em Hematologia, é importante se inteirar mais profundamente no que essa especialidade estuda. Sua abrangência envolve o sangue, a medula óssea, os linfonodos, o baço e os gânglios linfáticos.

Sendo assim, o médico hematologista é responsável por diagnosticar e tratar condições que afetem todos esses elementos. Além de observações de análise clínica e laboratorial, ele também realiza exames específicos para entender se as células do sangue contam com nutrientes certos, se possuem alguma deficiência e se as alterações identificadas causam algum problema de saúde no paciente.

Dessa forma, ele pode fazer o devido encaminhamento do paciente para outro especialista. E ainda trabalhar em conjunto com ele ao longo de todos os procedimentos necessários para acompanhar a evolução do caso e o estado do sangue.

Há ainda a possibilidade de se envolver na descoberta de novos fármacos e métodos diagnósticos que permitam um tratamento mais efetivo para doenças do sangue. Afinal, elas têm uma evolução rápida, e é fundamental que a intervenção seja igualmente incisiva para que o paciente consiga se recuperar e  não entre para um quadro mais agravado.

Outra função do hematologista é acompanhar e tratar pacientes por meio da transfusão de sangue. Além disso, ele também atende quem se apresenta com sangramentos frequentes, como na gengiva e no nariz, avalia condições de trombose, manchas e inchaço na pele, que podem ser sinal de doenças sanguíneas.

Depois dessa lista, já dá para ver que o hematologista é um profissional multifacetado, com várias possibilidades de atuação, certo? Portanto, se você tem identificação com alguns pontos do que foi descrito aqui, pode pensar com mais carinho em ingressar nessa especialidade.

Como é o mercado de trabalho?

A Hematologia tem ganhado mais reconhecimento a cada dia que passa. Por isso, a procura dos pacientes é de alta demanda, o que gera várias oportunidades interessantes de carreira. Vale ainda lembrar que não é fácil encontrar um hematologista, então o profissional costuma ter a agenda bem cheia.

Hoje, em nosso país, existem apenas 2.300 hematologistas registrados pela Associação Brasileira de Hematologia, Hemoterapia e Terapia Celular. Por esse número, dá para ver que ainda há muito espaço para se formar e trabalhar, com um mercado mais amplo e sem uma concorrência tão acirrada.

O médico ainda tem opções diferentes para realizar suas atividades. Pode lidar diretamente com o público, em hospitais, clínicas e consultórios da rede pública ou particular. Ou ainda se aventurar pela área laboratorial, como supervisor de laboratórios de análises clínicas. Por fim, ainda pode se envolver no trabalho de bancos de sangue e prosseguir com pesquisas sobre doenças da especialidade.

De modo geral, o dia a dia de um hematologista é agitado, mas variado. É possível dividir seu horário entre pesquisas e atendimentos, ou se dedicar apenas a um ou outro. O tratamento dos pacientes é bastante intenso e requer um acompanhamento de perto, em especial para aqueles que fazem quimioterapia ou acabaram de descobrir um câncer.

O profissional dessa área deve ter um olhar bastante cuidadoso aos pacientes. Em especial, porque muitos deles têm doenças graves, de tratamentos muito longos e com condições que mudam muito rapidamente. Sendo assim, ter paciência e procurar prestar um atendimento humanizado faz toda a diferença.

Além disso, a parte prática deve ser sempre aprimorada. Apresentar expertise em genética é muito importante para compreender distúrbios do sangue, assim como descobrir novas tecnologias que permitam tratamentos menos invasivos e com resultados positivos para doenças malignas.

O especialista pode trabalhar em subespecialidades como:

  • Hemoterapia, que trata de atividades transfusionais;
  • Transplante de Medula Óssea, que trabalha junto à Oncologia e exige uma formação adicional na residência médica;
  • Hemostasia, que se volta para distúrbios de coagulação;
  • Citofluorimetria, que realiza diagnósticos por meio de anticorpos monoclonais e substâncias fluorescentes.

A remuneração de um hematologista varia de acordo com a região em que ele está e com quais atividades trabalha. No entanto, a média pode chegar a R$ 11.693,27 por mês, em uma carga horária de aproximadamente 20 horas semanais. No entanto, os valores podem aumentar principalmente quando o médico se dedica a atividades cirúrgicas.

Não podemos esquecer que é comum que o especialista enfrente situações críticas, principalmente em um plantão. O paciente pode chegar com níveis muito baixos de hemoglobina, infecções graves, choque séptico, entre outras condições que exigem ação rápida para uma boa estabilização.

Por este motivo, o hematologista deve ter um perfil bastante sério e seguro. Prestar um atendimento humanizado é também uma recomendação importante, porque alguns pacientes estarão na linha entre a vida e a morte, e ter a delicadeza na conversa com eles e com seus familiares é essencial.

Como funciona a pós-graduação em Hematologia?

A pós-graduação em Hematologia tem uma carga horária de 420 horas no total. Pode ser realizada na modalidade presencial ou online, de acordo com a instituição escolhida. Após a conclusão do curso, o médico ganha a certificação e pode atualizar seu registro junto ao CRM.

Em relação ao conteúdo abordado, a pós-graduação estuda temas que envolvem o diagnóstico e a seleção de ferramentas para tratar patologias do sangue. Ainda fornece algumas aulas teóricas e científicas, para dar suporte no desenvolvimento de projetos e pesquisas durante e após o curso.

Entre as disciplinas estudadas, estão: Bioestatística e Ética Profissional, Hemoterapia e Banco de Sangue, Hemostasia, Hematopoiese e Coagulação, Principais Anemias e Leucemias, Terapia Transfusional, entre outras. É um curso puxado, mas que proporciona um aprendizado único. Não se esqueça de, ao procurar pela pós ideal para você, se certificar de que ela conta com autorização e reconhecimento do MEC em relação às disciplinas ministradas.

Ainda vale mencionar que a Hematologia é uma área em que decisões inteligentes precisam ser tomadas rapidamente. Dessa forma, o médico se capacita para ter esse entendimento, mesmo que sob pressão. Na parte prática, ele lida ainda com técnicas laboratoriais e manuseio de equipamentos, inclusive daqueles de última geração, utilizados nos maiores laboratórios de Hematologia e Hemoterapia do mundo.

Posso me especializar por meio da residência médica?

Além da pós-graduação em Hematologia em formato tradicional, você ainda pode optar pela especialização por meio da residência médica. Ela tem a duração de dois anos, mas exige outros dois anos de residência previamente concluídos em Clínica Médica.

Caso o residente se interesse pela área pediátrica, é preciso acrescentar mais três anos de residência em Pediatria a esse período. Para se especializar na transfusão de medula óssea, outros dois anos posteriores precisam ser adicionais ao fim da residência em Hematologia.

É uma jornada longa, mas repleta de descobertas. Ao longo dela, o residente se prepara para diagnosticar e cuidar de doenças do sangue, de maior ou menor complexidade. Ainda se aprofunda na constituição de quimioterápicos, anticorpos e efeitos colaterais causados por esses tratamentos.

Dentro da Hematologia, ainda há o viés hemoterápico. Nele, o residente cumpre determinada carga horária voltada para a medicina transfusional. Para completar, ainda precisa se dedicar a algumas aulas teóricas e conduzir pesquisas simultaneamente, em especial se houver o desejo de atuar na área laboratorial.

O processo seletivo para essa residência requer uma prova prática, uma prova teórica e entrevistas ou análise de currículo. Existem várias instituições importantes no país para realizar o curso, sob orientação de tutores renomados que ajudarão em toda a formação do residente.

Ao fim da residência, o médico se habilita para investigar e diagnosticar qualquer distúrbio hematológico, seja ele benigno ou maligno, para realizar atividades de exame laboratorial com excelente, para executar intervenções medulares e para fazer a biópsia da medula óssea.

Essa é uma rotina pesada, na qual o residente pode ficar em contato constante com pacientes em recuperação. Alguns deles, já em estado crítico, o que adiciona um peso considerável ao trabalho. Apesar disso, rende experiências importantes não apenas para a formação profissional, mas também para o crescimento como ser humano.

E aí, que tal a pós-graduação em Hematologia?

Viu só quantas portas a pós-graduação em Hematologia pode abrir para você? Se essa é mesmo a carreira que você deseja seguir, é importante começar a estudar desde já para enfrentar os processos seletivos das grandes instituições que oferecem esse curso e, principalmente, a residência médica.

Não sabe por onde começar? Relaxa, a gente está aqui para ajudar! Você pode fazer parte de nosso Intensivo, que oferece estudos direcionados e específicos para as provas teóricas das principais instituições de São Paulo. Um ótimo jeito de se preparar, não acha? Esperamos por você!

Receba conteúdos exclusivos!

Telegram
JoãoVitor

João Vitor

Capixaba, nascido em 90. Graduado pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES) e com formação em Clínica Médica pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HC-FMUSP) e Administração em Saúde pelo Hospital Israelita Albert Einstein (HIAE). Apaixonado por aprender e ensinar.