Carregando

Cursos do SUS sobre Saúde Mental capacitam médicos para atendimentos

Sabia que existem cursos do SUS sobre saúde mental para capacitar médicos para atendimentos? Se você pensa em se aventurar por essa área na residência médica e ter uma carreira sólida com esse tipo de trabalho, é fundamental ficar por dentro do que a plataforma UniverSUS pode oferecer a você.

Essa é uma maneira de se desenvolver profissionalmente e, mais importante ainda, se habilitar para cuidar ainda melhor de seus pacientes. Afinal, este é um assunto delicado: mesmo quem lida com algum distúrbio pode ter dificuldades de aceitar, entender e até mesmo se adaptar a alguma proposta de intervenção.

Então, nada melhor do que estar preparado para esse desafio, em uma área tão admirável da Medicina. Veja mais sobre o assunto a seguir!

Saúde mental: um tema cada vez mais importante

A cada dia que passa, existe mais possibilidade de que os médicos tenham que lidar com atendimentos relacionados à saúde mental. Mesmo que não façam residências específicas, como Psiquiatria ou Medicina de Família e Comunidade, essa demanda é frequente em determinados casos.

Por exemplo, durante um plantão ou dentro de uma UBS, um paciente pode chegar com determinado problema, mas sua necessidade se estende ao tratamento de saúde mental. Sendo assim, é fundamental saber reconhecer sinais e sintomas para fazer o devido encaminhamento, além de saber lidar com alguma situação ou complicação causada pelo transtorno.

De acordo com uma pesquisa do Ministério da Saúde, a saúde mental do brasileiro está em uma condição preocupante, principalmente por causa da pandemia da Covid-19. A ansiedade é o transtorno mais comum entre os pacientes entrevistados: 86,5% lidam com o problema. O transtorno de estresse pós-traumático vem em seguida, com 45,5% e a depressão, com 16%.

Os indivíduos entrevistados têm idade entre 19 e 92 anos, sendo que a maioria é do sexo feminino. Além disso, a maior parte dos entrevistados não chegou a contrair Covid-19, então nem sempre o resultado dos distúrbios identificados está relacionado diretamente com a experiência trazida por sintomas da doença.

Quais são os cursos do SUS sobre saúde mental?

Diante desses números, fica clara a importância de se dedicar a um estudo mais aprofundado do assunto. Por isso, é interessante aproveitar os cursos do SUS sobre saúde mental, oferecidos pela plataforma UniverSUS, que tem programas gratuitos a distância sobre uma série de temas voltados para a saúde. Veja quais são eles!

Prevenção ao suicídio

O curso de prevenção ao suicídio visa qualificar adultos que atuam diretamente junto a adolescentes de 11 a 18 anos. Essa é uma abordagem que precisa ser didática e acessível, por isso uma preparação faz a diferença.

É indicado para profissionais da saúde e residentes, educadores e outros profissionais que estão em contato direto com esse público. A duração é de 40 horas, com todo o conteúdo remoto.

Prevenção da automutilação

No curso de prevenção da automutilação, o profissional de Medicina tem acesso a uma série de informações para ajudar a prevenir comportamentos automutilatórios.

Também é voltado para o tratamento de adolescentes de 11 a 18 anos e tem carga horária de 20 horas. O conteúdo fala sobre noções gerais sobre automutilação e passa uma abordagem prática de prevenção e intervenção.

Formação de Multiplicadores em Urgências e Emergências em Saúde Mental

O curso de Formação de Multiplicadores em Urgências e Emergências em Saúde Mental, por sua vez, tem como objetivo capacitar profissionais de saúde do SAMU para que se tornem mais qualificados no atendimento de quadros clínicos de urgência e emergência em Saúde Mental. A carga horária é de 60 horas remotas e 30 horas presenciais.

A primeira turma, inclusive, já está com vagas esgotadas, então fique de olho para a próxima oportunidade. É um dos cursos mais importantes para profissionais da Medicina e da Enfermagem.

SUS terá linha de TeleApoio emocional

Para além dos cursos do SUS sobre saúde mental voltados para profissionais da saúde, um novo atendimento psiquiátrico também tem previsão de ser implementado pelo sistema até o final do ano. A linha será do número 196, e a intenção é contar com uma equipe preparada para oferecer o melhor serviço de atendimento telefônico de saúde mental do mundo.

A pessoa que recebe apoio preventivo e inicial à sua condição tem muito mais chances de se recuperar e evitar que o caso se torne mais complexo e exija medicação e tratamentos específicos. A linha serve como um passo inicial a esse tipo de cuidado, e pode encaminhar os pacientes para atendimentos específicos sempre que a necessidade for identificada.

Essa é uma linha que também trabalhará em contato direto com a atuação dos profissionais que passaram pelo curso de Formação de Multiplicadores em Urgências e Emergências em Saúde Mental e estão no serviço de urgência e emergência. Se a chamada constatar situações do tipo, será encaminhada a solicitação para a intervenção dos profissionais.

E a saúde mental dos médicos?

E a saúde mental dos médicos, como fica? Todo mundo sabe que esse período de pandemia foi exaustivo para a população médica, dos mais experientes aos residentes e alunos de internato. Todos tiveram, junto a outros profissionais de saúde, uma rotina muito intensa e pesada ao longo dos dois últimos anos.

Mas, à parte disso, a rotina médica é tradicionalmente intensa. Há muitas jornadas longas para cumprir, plantões e casos de alta complexidade que tomam tempo, dedicação e podem comprometer a saúde mental dos profissionais. Que, por sua vez, precisam estar bem não apenas para fazer seu trabalho, mas para contribuir com a recuperação de seus pacientes.

O médico que não se cuida pode desenvolver uma série de distúrbios, como ansiedade, depressão e a Síndrome de Burnout, que interfere diretamente na eficácia do trabalho e causa baixa realização pessoal. Então, é bom ter atenção às suas emoções para não ter que lidar com esses problemas. Para saber mais sobre isso, escute nosso podcast especial sobre Saúde Mental na Medicina!

Qual residência médica fazer para trabalhar com saúde mental?

Deseja trabalhar com saúde mental? Além dos cursos, você também pode fazer residência médica em uma das duas áreas a seguir, de acordo com seus interesses acadêmicos e profissionais. Saiba mais e escolha!

Residência médica em Psiquiatria

A residência médica de Psiquiatria tem a duração de três anos e é de acesso diário. Em geral, quando se trata da prática, é um curso que tem uma carga de atividades menor do que outras especialidades médicas.

Entretanto, isso acontece porque lidar com o sofrimento mental dos pacientes já exige uma carga qualitativa ainda maior do profissional. São 60 horas semanais de carga horária, como é de praxe nos programas de residência, mas o residente estará alocado em serviços de urgência psiquiátrica, enfermaria, neurologia, CAPS, ambulatórios e interconsultas psiquiátricas.

A partir do fim do segundo ano de residência e durante todo o terceiro ano, os ambulatórios são específicos de grupos de transtornos mentais. Ainda é possível se subespecializar em Psiquiatria da infância e da adolescência, Psicogeriatria, Psiquiatria Forense e Medicina do Sono.

Residência médica de Medicina de Família e Comunidade

O programa de residência médica de Medicina de Família e Comunidade tem a duração de dois anos e também é de acesso direto. Está na área de atenção primária à saúde, sendo uma especialidade que conta com ações estruturantes para que esse primeiro nível de atenção seja efetivo e evite que pacientes sejam reencaminhados para outro nível.

Entre as tarefas dessa residência, o aluno aprende a identificar doenças e enfermidades em momentos iniciais, inclusive em saúde mental, manejar condições crônicas e estáveis, entender como prestar cuidado integral aos pacientes, e muito mais. A prática da residência está ligada a atendimentos e consultas, com supervisão dos tutores.

O residente também passa por estágios, capacitações e aulas teóricas. Muitas dessas atividades ocorrem em conjunto com a equipe multidisciplinar, que inclui psicólogos, enfermeiros, dentistas e fisioterapeutas. A residência também pode ter fases voltadas para o atendimento no Sistema Único de Saúde, que se responsabiliza por oferecer um atendimento primário de qualidade à população.

Como você pode ver, essas são residências direcionadas para o tratamento da saúde mental. Porém, se você escolher outra, mas ainda assim se interessar pelo tema, pode fazer os cursos do SUS ou ainda outras especializações de curta-duração que permitam um atendimento mais completo e humanizado a seus pacientes.

Já está reestudando para a residência médica?

E então, curtiu saber mais sobre os cursos do SUS sobre saúde mental? Com a crescente importância de se tratar do assunto na Medicina, não deixe de dedicar um tempo para se aperfeiçoar no atendimento prestado aos pacientes, seja para a residência médica ou curso complementar. Saúde mental é coisa séria e, se não recebe a devida atenção, pode desencadear outros problemas mais sérios e condições físicas preocupantes, que exigem tratamentos mais invasivos e longos.

E por falar em residência médica e preparação, você já está no caminho para garantir sua vaga na instituição dos sonhos? Se não, não dá para perder mais tempo! Baixe o app da Medway para começar a estudar por questões, com filtros de temas e dificuldades, e entender o que vai cair na prova para ficar craque e dominar direitinho o processo seletivo. Pra cima!

Receba conteúdos exclusivos!

Telegram
JoanaRezende

Joana Rezende

Carioca da gema, nasceu em 93 e formou-se Pediatra pela UFRJ em 2019. No mesmo ano, prestou novo concurso de Residência Médica e foi aprovada em Neurologia no HCFMUSP, porém, não ingressou. Acredita firmemente que a vida não tem só um caminho certo e, por isso, desde então trabalha com suas duas grandes paixões: o ensino e a medicina.