Carregando

Quanto ganha um médico nos EUA? Descubra!

Já pensou em exercer a Medicina fora do Brasil? Essa é uma situação que permite desenvolver ainda mais a sua carreira e mesmo as suas habilidades comportamentais. Se a terra do Tio Sam estiver nos seus planos, saber quanto ganha um médico nos EUA é essencial.

Inclusive, isso é importante porque o sistema de saúde lá é bem diferente. O país não conta com sistema público e, por isso, e salário do médico é um aspecto que varia bastante, além da sua forma de trabalho.

Mas será que a medicina é uma área bem remunerada nos EUA? Que tal acabar com a curiosidade sobre o tema? Venha saber quanto ganha um médico nos EUA!

Ok, mas antes a gente tem um breve alerta para dar. É o seguinte: se você está com tudo na preparação para ingressar no R1 em estados como Bahia, Minas Gerais e Paraná, ou ainda o Enare, a Medway pode te ajudar.

Estamos falando dos Intensivos Enare e Estaduais, nossos cursos focadso nas provas destas localidades. Por lá, você conta com aulas ao vivoresolução de questões específicas, simulados na íntegraguias estatísticos e muito mais.

E o que é esse muito mais? É o seguinte: você também vai poder ter acesso ao teste gratuito de 7 dias desses cursos.

Não vai perder, certo? Então acesse agora mesmo a página dos Intensivos e não perca nenhum desses benefícios para a sua preparação!

Tem diferença entre especialistas e não especialistas?

Os chamados “primary care physicians” são responsáveis pelo atendimento primário de pacientes. Em uma comparação, são os nossos médicos generalistas.

Já os “specialists” não precisam nem de explicação, né? Os especialistas atuam em áreas específicas, após o programa de residência médica ou uma pós-graduação. Por causa da maneira de trabalho, o salário também varia.

Segundo o Medscape Physician Compensation Report 2019, a diferença é de quase 100 mil dólares anuais. Os generalistas ganham, em média, 237 mil dólares no ano. Já um especialista ganha uma média de 341 mil dólares. O salário médio de um médico, no geral, foi de 313 mil dólares anuais.

E quanto ganham os especialistas?

Já sabemos que os especialistas são os que recebem mais nos Estados Unidos. Mas você sabia que também há distinções nos ganhos entre as diferentes especialidades? Pois é, para saber quanto ganha um médico nos EUA também é preciso considerar a área de atuação.

Isso acontece porque algumas áreas são mais procuradas que outras e também têm algumas que têm menos profissionais disponíveis.

Veja qual é a média salarial anual:

  •     Ortopedia: 482 mil dólares;
  •     Cirurgia Plástica: 471 mil dólares;
  •     Otorrinolaringologia: 461 mil dólares;
  •     Cardiologia: 430 mil dólares;
  •     Dermatologia: 419 mil dólares;
  •     Radiologia: 419 mil dólares;
  •     Gastroenterologia: 417 mil dólares;
  •     Urologia: 408 mil dólares;
  •     Anestesiologia: 392 mil dólares;
  •     Oftalmologia: 366 mil dólares;
  •     Cirurgia geral: 362 mil dólares;
  •     Medicina de emergência: 353 mil dólares;
  •     Medicina intensiva: 349 mil dólares;
  •     Medicina pulmonar: 331 mil dólares;
  •     Patologia: 308 mil dólares;
  •     Nefrologia: 305 mil dólares;
  •     Obstetrícia e Ginecologia: 303 mil dólares;
  •     Imunologia: 275 mil dólares;
  •     Neurologia: 267 mil dólares;
  •     Psiquiatria: 260 mil dólares;
  •     Reumatologia: 259 mil dólares;
  •     Clínica geral: 243 mil dólares;
  •     Infectologia: 239 mil dólares;
  •     Endocrinologia: 236 mil dólares;
  •     Medicina da família: 231 mil dólares;
  •     Pediatria: 225 mil dólares; e
  •     Medicina pública e preventiva: 209 mil dólares.

Como é a valorização de quanto ganha um médico nos EUA?

Além de tudo, vale destacar que os reajustes nos salários são bem frequentes no país. Para termos uma ideia, o relatório do Medscape de 2015 apontava ganhos de 195 mil dólares anuais para generalistas e de 284 mil dólares anuais para especialistas. Com os dados referentes a 2019, o aumento foi de mais de 20% nas duas modalidades.

Então, se você atuar na área no país, é possível esperar um reajuste salarial adequado ao longo do tempo. Em situações específicas, algumas especialidades se tornam mais requisitadas, o que aumenta os ganhos.

Quais são as diferenças em relação ao gênero do profissional?

Além disso, há diferenças nos ganhos de acordo com o gênero. Entre os generalistas, mulheres ganham 207 mil dólares anuais, contra 258 mil dos homens.

Já entre os especialistas, a distância é um pouco maior. Homens ganham 372 mil dólares anuais e mulheres recebem 280 mil.

Existe também uma diferença em relação à jornada semanal de trabalho. Homens generalistas passam 40 horas com pacientes e mulheres passam 36. Homens especialistas também passam 40 horas, mas mulheres veem pacientes por 37 horas.

Há distinção entre profissionais autônomos e empregados?

Outro fator que temos que considerar para saber quanto ganha um médico nos EUA é o tipo de atuação. Assim como aqui, é comum ver profissionais liberais ou autônomos, como os que têm a própria clínica.

Os que trabalham de forma autônoma ganham 359 mil dólares anuais, enquanto os empregados em hospitais recebem 289 mil dólares.

Parcialmente, isso tem a ver com a idade. Afinal, a maioria os que atuam por conta própria têm mais de 50 anos, o que significa maior experiência e ter a possibilidade de ganhos maiores.

Como são as diferenças salariais no país?

Os ganhos dos médicos nos EUA também variam com o local. Há estados que pagam mais que outros. Considerando que a média geral é de 313 mil dólares anuais, veja quais são os estados que pagam mais anualmente:

  •     Oklahoma: 337 mil dólares;
  •     Alabama: 330 mil dólares;
  •     Nevada: 329 mil dólares;
  •     Arkansas: 326 mil dólares;
  •     Florida: 325 mil dólares;
  •     Kentucky: 324 mil dólares;
  •     Tennessee: 323 mil dólares;
  •     Connecticut: 323 mil dólares;
  •     Georgia: 322 mil dólares; e
  •     Indiana: 322 mil dólares.

Quais são os modelos de pagamento mais comuns?

Como os EUA não têm uma estrutura de saúde pública, não há repasses como acontece no Brasil com o SUS. Por isso, as formas de pagamento e recebimento são diferentes.

Entre os quase 20 mil profissionais pesquisados, 81% escolheram os seguros de saúde (a famosa “insurance”). A segunda modalidade mais citada foi o esquema de cobrança por serviço (com 44% das respostas). A prática baseada apenas em pagamentos em dinheiro, por outro lado, respondeu por apenas 6%.

Afinal, vale a pena ser médico nos EUA?

A resposta é simples: depende dos seus objetivos. Primeiramente, vamos considerar os ganhos de um médico no Brasil.

A Federação Nacional dos Médicos (FENAM) recomendou o piso salarial de R$ 14.619,39 para 20 horas semanais. Considerando a carga horária de 40 horas semanais, o ganho mínimo deve ser de R$ 29.238,78. Ao total, isso representa mais de R$ 350 mil ao ano.

Pensando em quanto ganha um médico nos EUA, ainda há a conversão cambial. Só que por lá o custo de vida também será em dólares, então isso tem que ser considerado. Na média, os ganhos podem ser atraentes aqui e lá.

Só que uma experiência internacional pode agregar outros conhecimentos, acesso a casos diferentes e novos desafios. Por outro lado, o processo não é tão simples e envolve questões de visto, licença para atuar e assim por diante. Portanto, você tem que ponderar a decisão, caso tenha planos de embarcar nessa verdadeira aventura.

Saber quanto ganha um médico nos EUA dá uma boa ideia sobre o potencial da profissão no país. Considerando as diferenças entre especialidades, agora você já pode até definir se deseja trabalhar fora do país.

Pronto, agora você já sabe quanto ganha um médico nos EUA

Agora que você já sabe quanto ganha um médico nos EUA, queria te convidar para participar do nosso grupo de Telegram, o Projeto R1! Lá você recebe conteúdos diários que vão te colocar na briga por uma vaga em QUALQUER residência das principais instituições do Brasil. É GRÁTIS, então é só chegar! Clique AQUI e acesse!

Receba conteúdos exclusivos!

Telegram
AlexandreRemor

Alexandre Remor

Nascido em 1991, em Florianópolis, formado pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) em 2015 e com Residência em Clínica Médica pelo Hospital das Clínicas da FMUSP (HC-FMUSP) e Residência em Administração em Saúde no Hospital Israelita Albert Einstein (HIAE). Fanático por novos aprendizados, empreendedorismo e administração.