Carregando

Ortopedia: saiba tudo sobre esta especialidade

Depois da conclusão na graduação, é hora de dar mais um passo rumo à carreira médica: a especialização. Escolher uma área específica não é uma tarefa fácil, mas existem diversas opções para atender a todos os gostos. Uma delas é a Ortopedia

A especialização em Ortopedia é a sétima mais procurada pelos estudantes de Medicina no Brasil. Isso porque a área oferece ampla atuação e boa remuneração. Quer saber mais? Então, continue a leitura! 

O que faz o ortopedista?

O ortopedista é o médico procurado para cuidar de doenças e lesões que afetam o sistema musculoesquelético. Os tratamentos são destinados a pessoas que podem apresentar problemas congênitos, como malformações, lesões relacionadas a algum trauma, fraturas e as mais diversas disfunções no aparelho locomotor. 

Nesta área, o médico tem a oportunidade de se especializar em partes específicas do corpo. Um exemplo são as mãos e o punho, em que a atuação é voltada para problemas como dedo em gatilho, síndrome do túnel do carpo, dedo em botoeira, além de fraturas, artrose e outros.

As enfermidades mais comuns nos consultórios dos médicos ortopedistas são: lombalgia, hérnia de disco, artrose em idosos, bursite, lesões dos meniscos e ruptura de ligamentos nos praticantes de esportes, fratura do colo femoral, entorses, “joanete”, síndrome do túnel do carpo, fascite plantar e outras.

Para Vinicius Sabag, ortopedista formado pela USP, a principal característica dos médicos da área é a qualidade resolutiva: “A maioria dos pacientes que buscam um ortopedista se apresenta com queixas de dor ou limitações, o que faz com que a vida na especialidade seja sempre uma busca por resultados imediatos”. 

Ele complementa, dizendo: “Além disso, a questão da habilidade manual se faz fundamental na Ortopedia. Hoje em dia, com o avanço das tecnologias, as cirurgias se tornaram cada vez mais delicadas e dependentes da técnica do cirurgião”. 

É comum que o profissional em Ortopedia atue em conjunto com colegas de outras áreas para potencializar ações e completar um tratamento. No caso de fraturas, além da medicação, é importante o acompanhamento de um fisioterapeuta ou de um ortopedista esportivo, se for o caso, para recuperar o movimento. 

Em síntese, Ortopedia e Traumatologia — como é o nome oficial da especialidade — lida com três aspectos: o trauma, a preservação e o restabelecimento funcional de ossos, músculos, ligamentos e articulações, com o objetivo de melhorar a qualidade de vida dos pacientes. 

A rotina e o mercado de trabalho do Ortopedista

O mercado de trabalho da especialidade é amplo e está em crescimento, principalmente, por conta do envelhecimento da população e dos avanços na tecnologia. Outro fator preponderante é o número de acidentes urbanos que torna essencial a presença de traumatologistas nas emergências e nos prontos-socorros.

A rotina varia pelo local de atuação e a presença de outras subespecialidades. No caso de Vinicius, o atendimento foca em pontos específicos. Ele diz que, atualmente, “está cursando subespecialidade em cirurgia da coluna vertebral, além da residência, atendo em um consultório e fazendo plantões em alguns hospitais”.

Por estar se especializando em patologias da coluna, as doenças que ele mais atende são “lombalgia (dor nas costas), hérnia de disco, escoliose (desvio da coluna) e fraturas vertebrais”.

Segundo o especialista em Ortopedia, quem está iniciando na área pode entrar em uma equipe médica ou seguir uma carreira mais individual. A maioria opta por ter um consultório próprio para atender a mais pacientes e realizar mais procedimentos e cirurgias.

Vinicius dá uma dica para quem começa a jornada: “desde a residência, esteja disponível. Acho que essa é a palavra-chave”. Ele complementa: “se você estiver disponível para os outros, oportunidades vão surgir, e você vai ganhar mais notoriedade entre os residentes aos poucos. Quando você terminar a residência, já tem um caminho pré-traçado.”

Quanto o ortopedista ganha?

De acordo com o site Vagas, a média salarial para um ortopedista no Brasil é de   R$ 7.955,00. O valor depende do que o ortopedista trata (subespecialidades), da região do país, do tipo de vínculo trabalhista e da experiência do médico. 

“Acho que a Ortopedia é uma das especialidades com mais ‘variedade’ de salários entre os profissionais. Tudo depende de quantos plantões você faz, do número de pacientes que atende no consultório e no ambulatório e do número de cirurgias que realiza”, comenta Vinicius.

A residência Médica em Ortopedia e Traumatologia

A residência em Ortopedia e Traumatologia é de acesso direto. Após a conclusão da graduação, não é necessário fazer um programa prévio em Clínica Médica, Cirurgia Geral ou demais áreas. Basta ser aprovado nos processos seletivos para passar por três anos de estudos e treinamento prático.

Vinicius conta que, durante o programa de residência, os estudantes passam por blocos mensais. Na Ortopedia, há 11 subespecialidades estudadas e praticadas: 

  • Cirurgia da Mão e Microcirurgia;
  • Cirurgia do Ombro e do Cotovelo;
  • Cirurgia da Coluna Vertebral;
  • Cirurgia do Quadril;
  • Cirurgia do Joelho;
  • Cirurgia do Pé e do Tornozelo;
  • Ortopedia Pediátrica;
  • Ortopedia Oncológica;
  • Ortopedia de Reconstrução e Fixador Externo;
  • Cirurgia do Trauma;
  • Ortopedia Esportiva. 

No R1, o foco é mais em traumatologia. Os futuros especialistas se dedicam a cirurgias de traumas em estágios diurnos e noturnos no pronto-socorro. No caso de Vinicius, que fez o programa na USP, haviam estágios externos no Hospital Universitário. Nesse mesmo ano, também há blocos de Ortopedia Pediátrica e Esportiva. 

No R2 e no R3, o contato com a Ortopedia começa, e os ciclos rodam em todas as outras subespecialidades. As cirurgias são supervisionadas, mas nestes anos, os estudantes têm mais autonomia. 

No geral, elas são escalonadas por ordem de dificuldade. “Por exemplo, no R1, fazemos fixador externo. No R2, fazemos fratura de tornozelo. No R3, fazemos uma prótese de quadril. Esses são exemplos de cirurgias que podemos fazer a cada ano da residência”, conta Vinicius. 

Prepare-se para ser um médico ortopedista!

Gostou de saber mais sobre Ortopedia? Agora, ficou mais fácil para se preparar e ser aprovado nos processos seletivos de residência médica. Com a nossa ajuda, você vai mais longe. Então, não perca a oportunidade de se matricular em um de nossos cursos preparatórios e fazer parte do nosso time! 

Receba conteúdos exclusivos!

Telegram
DjonMachado

Djon Machado

Catarinense e médico desde 2015, Djon é formado pela UFSC, fez residência em Clínica Médica na Unicamp e faz parte do time de Medicina Preventiva da Medway. É fissurado por didática e pela criação de novas formas de enxergar a medicina.