Carregando

Residência na Santa Casa de Santos pelo SUS-SP: história, números e estrutura

A época da residência médica se aproxima para você? Calma! É normal ter muitas dúvidas a respeito desse período, inclusive em relação à instituição na qual você irá atuar. Para facilitar a escolha, é preciso dar aquela pesquisada para saber mais sobre o que cada uma delas oferece em termos de especialidades e oportunidades. E para ajudar você nessa missão, o assunto deste post é a residência na Santa Casa de Santos pelo SUS-SP! 

Ela é concorrida? Sim, bastante! Mas com as informações certas em mãos e muita disciplina para estudar, com certeza você conseguirá abocanhar uma vaga e viver uma experiência incrível e muito especial por lá.

Portanto, nada de perder tempo! Continue a leitura e descubra como é a jornada para ingressar na residência e trabalhar junto ao nosso Sistema Único de Saúde.

A residência na Santa Casa de Santos é realizada neste prédio
Santa Casa de Santos

História

Antes de falar sobre a residência na Santa Casa de Santos, vale a pena descobrir um pouquinho mais sobre a instituição. Sua história é antiga, porque a estrutura começou a ser construída em 1542 e foi inaugurada no ano seguinte. Depois de muitas mudanças de local e desafios enfrentados com a provisão governamental da época, o hospital finalmente se estabeleceu em uma sede própria em 1945.

Somente por este ciclo já é possível perceber que a Santa Casa fez parte da história de nossa pátria. Prestou serviço aos fundadores de nossa nação: navegantes, lusos, colonos, nativos, escravos, bandeirados e condenados. Durante quase três séculos, tornou-se referência em humanitarismo e foi reconhecida como a primeira escola prática de medicina europeia no país.

Também permitiu que nomes como Brás Cubas, José de Anchieta e Martins Fontes exercessem seu trabalho e experiência por lá. Ou seja, fazer parte da instituição hoje em dia é uma forma de honrar esse trajeto inesquecível e cravar também seu nome ao lado dos grandes.

Números e estrutura

A estrutura da Santa Casa de Santos conta com urgência e emergência adulto, pronto-socorro infantil, centro cirúrgico, acomodações dentro e fora de UTIs, maternidade, espaço de medicina diagnóstica, clínica psiquiátrica e núcleo de captação de órgãos. Deu para perceber o tamanho da instituição, não é mesmo?

Mas, para ter uma noção mais direcionada, aqui estão alguns números importantes. A Santa Casa conta com:

  • 25 salas operatórias;
  • 21 leitos para recuperação;
  • 700 leitos, sendo 100 em UTIs especializadas;
  • diversos consultórios para atendimento adulto e infantil;
  • enfermarias e apartamentos individuais ou com 4 leitos.

Em média, o hospital realiza 10 mil atendimentos por mês pelo SUS. Cerca de 40% desses atendimentos são prestados a moradores de cidades da região e até mesmo de outros estados do país. Isso mostra o quanto o fluxo de pacientes é alto, o que se justifica não apenas pelo trabalho humanizado realizado pelos especialistas, mas também pelos recursos, ferramentas e equipamentos de alta tecnologia disponíveis na instituição.

A residência na Santa Casa de Santos

A residência na Santa Casa de Santos pelo SUS-SP conta com carga horária média de 60 horas por semana. A demanda é bastante grande, em especial para as especialidades cirúrgicas e atendimentos ambulatoriais.

Todas as atividades são acompanhadas por preceptores. A princípio, o residente acompanha todos os procedimentos dentro de salas e consultórios. Além disso, deve cumprir plantões e atividades teóricas, como pesquisas e aulas.

O residente ainda pode escolher entre algumas especialidades dentro do hospital. Não se deve esquecer, porém, de que algumas delas pedem pré-requisito, sendo o mais comum a Clínica Médica. Aqui está uma relação de especialidades e vagas disponíveis na instituição:

  • 6 vagas para Clínica Médica;
  • 4 vagas para Cirurgia Básica;
  • 4 vagas para Pediatria;
  • 5 vagas para Obstetrícia e Ginecologia;
  • 14 vagas para Anestesiologia;
  • 8 vagas para Ortopedia e Traumatologia;
  • 3 vagas para Oftalmologia;
  • 2 vagas para Medicina de Emergência;
  • 1 vaga para Cirurgia Cardiovascular;
  • 2 vagas para Cardiologia;
  • 1 vaga para Nefrologia;
  • 1 vaga para Cirurgia Pediátrica;
  • 1 vaga para Cirurgia Vascular;
  • 1 vaga para Urologia;
  • 1 vaga para Cirurgia do Aparelho Digestivo;
  • 1 vaga para Cirurgia Torácica.

A residência na Santa Casa de Santos é reconhecida pelo MEC e tem regimento determinado pela Comissão Nacional de Residência Médica (CNRM). O residente recebe uma bolsa e tem direito a outros benefícios, como alimentação, folga semanal, condições de descanso, entre outros.

O processo seletivo do SUS-SP

Mas e em relação ao processo seletivo, como tudo funciona? Primeiro é preciso lembrar que a residência na Santa Casa de Santos é realizada pelo SUS. Portanto, há algumas particularidades que devem ser analisadas para que você se prepare corretamente. Veja só!

Como é a prova

Na maioria dos processos seletivos de residências, você precisa passar por pelo menos três etapas: prova prática, prova teórica e análise de currículo ou entrevista. Tudo isso já traz aquela ansiedade para a sua rotina, não é mesmo? Mas saiba que a residência pelo SUS-SP é um tanto quanto diferente.

O que pode ser um alívio, inclusive. Você passará apenas por uma etapa, que consiste em uma prova com 100 questões de múltipla escolha. O que não quer dizer que você precisa estudar menos: pelo contrário, a dedicação precisa ser a mesma para que você tenha um bom resultado.

Em geral, a prova do SUS-SP é uma das últimas no calendário, e acontece logo no final do ano. É um processo seletivo enorme, que tem mais de um local de prova. Portanto, é essencial ficar de olho nos detalhes do edital e nas informações que chegarão até você depois da inscrição.

O costume é que ela aconteça em um domingo, logo na parte da manhã. Sendo assim, se você precisa viajar para São Paulo, é importante se programar bem para o dia. E, se já mora em São Paulo, se planejar para não perder tempo com trânsito e cumprir o horário.

Concorrência por especialidade em 2021

Agora, um assunto muito temido por quem está estudando para a residência médica: a concorrência! Infelizmente, não há como fugir dela. São muitos médicos à procura de realizar o sonho dessa experiência e de uma formação completa em uma grande instituição.

No entanto, é muito importante não desanimar e ter confiança em seus conhecimentos. Você ainda pode dar uma repassada na concorrência nos últimos anos, para ter uma ideia sobre o que te espera no processo seletivo. Aqui está uma breve noção do que rolou na última edição da prova, por especialidade!

  • Anestesiologia: 11,9 candidatos por vaga;
  • Cirurgia Básica: 8 candidatos por vaga;
  • Cirurgia Geral: 26 candidatos por vaga;
  • Clínica Médica: 9,3 candidatos por vaga;
  • Medicina de Emergência: 2,9 candidatos por vaga;
  • Obstetrícia e Ginecologia: 9,3 candidatos por vaga;
  • Oftalmologia: 21,4 candidatos por vaga;
  • Pediatria: 6,2 candidatos por vaga.

Essa é uma média que considera o número de inscritos no programa do SUS-SP e o número de vagas totais do curso, e não direcionadas para uma única instituição. Porém, dá para ver que é uma concorrência de respeito, e que vai ser apertada também quando se pensa unicamente na Santa Casa de Santos.

Leilão de vagas do SUS

Quer mais um motivo para não se intimidar com a concorrência? Você pode apostar no leilão do SUS-SP de residência médica. Pode ser que o gabarito demore um pouco para sair e você só tenha um resultado preliminar da classificação de candidatos por especialidade, certo?

Mais para a frente, quando sai a classificação final, acontece também o leilão. Isso porque a data espera que os resultados de outras instituições também saiam. Antes do leilão, uma nota de corte é divulgada para cada especialidade.

Aqueles que estão acima dessa classificação e tenham interesse em preencher uma vaga podem participar do leilão. A escolha da instituição é realizada por ordem de classificação, ou seja, aqueles que estão na frente têm o privilégio de escolher primeiro.

Sendo assim, o próprio candidato analisa sua classificação e as vagas disponíveis para sua especialidade e programas de interesse. Se julgar que vale a pena correr atrás, comparece para se candidatar. Por enquanto, não há uma maneira formalizada de saber quais são os programas mais concorridos.

Mas os candidatos dão aquele jeitinho, e você consegue encontrar grupos em aplicativos como WhatsApp e Telegram em que os candidatos discutem suas chances. No dia do leilão, os candidatos só participam de forma presencial, depois de uma identificação e de assinar a lista de presença. 

É fundamental ficar atento à divulgação de horários e local para não perder a oportunidade e ser desclassificado oficialmente. Em especial, se você quer fazer parte da residência na Santa Casa de Santos ou no Instituto de Cardiologia Dante Pazzanese, que sempre tem muitos interessados inclusive nessa fase de leilão e são os dois hospitais mais concorridos do país.

Como você pode ver, a residência na Santa Casa de Santos pelo SUS-SP é uma experiência que demanda muita dedicação e preparação. Mas você consegue enfrentar esse desafio, em especial se tiver a nossa ajuda!

Para começar, pode acompanhar o Guia Estatístico do SUS-SP e o Guia Definitivo do SUS, para maiores detalhes sobre o processo seletivo. Pode ainda encontrar aquele apoio especial nos materiais gratuitos da Academia Medway.

E, por fim, pode fazer parte do nosso Intensivo Medway! Ele ocorre a partir do meio do ano e tem um conteúdo totalmente direcionado para instituições de São Paulo. Viu só como você tem tudo para alcançar esse objetivo? Vamos pra cima!

Receba conteúdos exclusivos!

Telegram
JoanaRezende

Joana Rezende

Carioca da gema, nasceu em 93 e formou-se Pediatra pela UFRJ em 2019. No mesmo ano, prestou novo concurso de Residência Médica e foi aprovada em Neurologia no HCFMUSP, porém, não ingressou. Acredita firmemente que a vida não tem só um caminho certo e, por isso, desde então trabalha com suas duas grandes paixões: o ensino e a medicina.